Ashbürn: banda aborda temas contemporâneos e mensagens de esperança sob a roupagem do Power Metal

Publicado: 09/11/2021 por Pedro Mello em News
Tags:,

Cada vez mais observamos alguns gêneros do Heavy Metal que anteriormente eram marcados por temas bastante característicos, sendo repaginados através de um movimento de utilização daquela fórmula musical para passar uma mensagem diferente e mais atual. Esse é o caso do Power Metal, que apesar de sempre ter sido fonte de mensagens e reflexões sobre a vida, o cotidiano e a sociedade, tem dado ainda mais voz para discussões contemporâneas e relevantes para o nosso tempo.

Um dos principais representantes dessa nova frente no Brasil é a banda Ashbürn, que através de seu Power Metal grandioso e deslumbrante, traz em suas letras ponderações absolutamente pertinentes sobre violência doméstica, opressão e o caos social, para citar alguns exemplos, o que torna suas músicas bastante densas e soturnas, mas ainda assim vibrantes e com uma poderosa mensagem de esperança.

A AshBürn foi fundada em 2013 no estado do Espírito Santo, e apesar de já ter registrado algumas músicas em um EP de 2015, lançou seu primeiro álbum completo de estúdio somente em 2020, nomeado “You Can Not Kill What Can Never Die”, gravado e produzido pelo experiente Thiago Bianchi (Noturnall, ex-Shaman), no Estúdio Fusão. O som da banda carrega influências do Heavy e especialmente do Power metal, com arranjos grandiosos, riffs e melodias marcantes e uma maturidade e segurança notáveis em suas composições.

O núcleo principal da banda é formado pelo vocalista Heron Ribeiro, o guitarrista Gabriel Kbelo e o baterista Matheus Koala. Para a gravação do álbum a Ashbürn contou ainda com a guitarrista Raquel Rodrigues e o baixista Vinicius Boza, que acabaram se desvinculando da banda durante a pandemia e em breve terão seus substitutos anunciados, que já ensaiam com a banda.

O conceito principal do álbum de estreia da banda retrata de maneira geral o caos do século XXI, tanto nas letras quanto nos arranjos, o que pode ser observado claramente no Lyric Video para “XXI (I’m Not A Dreamer)”.

“You Can Not Kill What Can Never Die” conta com 10 faixas distribuídas em pouco mais de 40 minutos de duração, com destaque para a sombria abertura com “Doing Nothing is Not the Answer” e a empolgante “Captain Proudmore”, que foge um pouco do conceito e do padrão do álbum, com seus riffs e arranjos vocais memoráveis. “No More Memories” é belíssima e comovente e “Asylum” com seus tempos quebrados e seu clima soturno, carregam o álbum por um delicioso clima sinistro e tétrico. Mas o ápice do disco fica guardado para o final, com “Break the Silence”, onde o núcleo de compositores da banda formado por Heron Ribeiro, Gabriel Kbelo e Matheus Koala, mostra o quão diferenciados eles são, em uma canção nascida para ser um hino de resistência e uma das grandes composições do Heavy Metal brasileiro nos últimos anos.

Confira o álbum “You Can Not Kill What Can Never Die” nas principais plataformas de Streaming:

Hell Yeah! Music Company

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s