Sandstorm_web.jpg

A banda Medjay acaba de divulgar a arte e o conceito do álbum “Sandstorm”, que teve a mentoria artística e musical do guitarrista, compositor e vocalista Rafael Bittencourt (Angra, Bittencourt Project). Os músicos Phil Lima (guitarra e vocal), Samuka (baixo), Tiago Vitek (bateria) e Freddy Daniels (guitarra) explicam sobre esta nova fase da Medjay e todo o conceito deste trabalho.

O conceito do disco é um dos grandes momentos deste novo trabalho. Tempestade de areia é o nome dado há um fenômeno da natureza conhecido como lito meteoros e ocorre quando a umidade relativa do ar é mais baixa que 80%. Esse fenômeno nos serviu de inspiração para um acontecimento no Egito em 2011, conhecido como a “Revolução do Nilo ou Revolução de Lótus”. A revolução no campo político do mundo Árabe foi como uma tempestade de areia que varreu do poder a “tirania”, iniciando uma nova perspectiva de liberdade e justiça social.

A música título do álbum é uma homenagem a Marcha de milhares de pessoas a praça Tahrir (Al Midan) no Cairo que marca o início da revolução popular no Egito. Ela exalta a luta de um povo guerreiro que deseja justiça, pão e liberdade. A praça tornou-se símbolo de luta e resistência, pois ali sangue foi derramado, vidas martirizadas, dando início a um período de luta, esperança e liberdade para esse povo guerreiro movido pelo espírito dos antigos Medjay.

No trabalho de capa desenvolvido pelo Designer Rômulo Dias, procuramos apresentar três símbolos principais desse evento histórico. O tanque de guerra retratando o poder da tirania exercido por um governo que ficou trinta anos como mandatário do país. O povo guerreiro que resistiu a força, levando para a praça a revolução política através da arte popular e do confronto. Por isso, em cima do tanque um Medjay com o rosto protegido pelo SHEMAGH (lenço utilizado pelos árabes para proteger o rosto do sol e da areia) ergue a bandeira da vitória.
A tempestade de Areia juntamente com as pirâmides retratam tanto a antiguidade egípcia quanto a atualidade, pois são partes inerentes a sua própria história. “É com muita alegria que compartilhamos com os Medjay Warriors o conceito do nosso Álbum. Esperamos que nossas músicas possam alcançar todos vocês, despertando o espírito de luta, coragem e esperança do povo guerreiro que somos”, disse Samuka, historiador, baixista e fundador da banda Medjay.

Assista o vídeo de “Violate” em tributo ao Iced Earth: 

Links relacionados:
https://www.facebook.com/medjayofficial/
https://www.instagram.com/medjay_official/

TRM Press

Narnia_2019_press_3.jpg

03/12, o grupo sueco Narnia comemora o 20º aniversário de um de seus mais populares álbuns, “Long Live The King”.  E para celebrar a data, lança um vídeo para a faixa “Living Water” (2017 version).

Com produção de Per Schelander e filmado durante a apresentação da banda no Sabaton Open Air 2017, a regravação desta faixa contém um solo de teclado feito por Jens Johansson (Yngwie Malmsteen, Stratovarius, Dio, Rainbow e outros) e está inclusa na edição comemorativa do disco em cd lançada em 30 de agosto, pouco antes da banda embarcar para a sua segunda turnê na América do Sul, desta vez juntamente com o Stryper.

A edição de 20 anos de “Long Live The King” é remasterizada por Jens Bogren (Sepultura, Symphony X, Extol e outros) no Fascination Street Studios e está disponível nas versões cd (digipak e jewelcase) com bônus, vinil (gatefold e picture disc) e também nas plataformas digitais de streaming através da colaboração com o selo Sound Pollution.

Confira o clipe da regravação de “Living Water” no link a seguir:

Narnia é:

Christian Liljgren – Vocal

CJ Grimmark – Guitarra

Jonatan Samuelsson – Baixo/Backing Vocal

Martin Härenstam  – Teclados

Andreas “Habo” Johansson – Bateria

– – –

Contato:

Facebook:  https://www.facebook.com/pg/narniatheband

E-mail: info@narniatheband.com

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCmS_rlbDdzruoc0_e_di-3Q

Lex Metalis Assessoria e Agenciamento

flyer feira do vinil

A Feira de Vinil do Rio de Janeiro chega à sua 22º edição, no dia 8 de dezembro, domingo, voltando a ocupar o casarão do Instituto de Arquitetos do Brasil, no Catete. Comemorando 10 anos desde sua primeira realização, a feira dedica a última edição de 2019 celebrando a diversidade e convidando a cantora JOYCE, que será homenageada recebendo, no dia, o Troféu Feira de Vinil do Rio de Janeiro, já entregue, ao longo das últimas edições, a João Donato, ao grupo Azymuth, a Marcos Valle, ao compositor e arranjador Arthur Verocai, ao cantor e compositor Carlos Dafé e ao sambista Wilson das Neves. Assim como nas edições anteriores, será cobrada como entrada simbólica 1 kg de alimento, a ser entregue ao Lar de Teresa.

A edição também estará homenageando os 50 anos do Movimento Black Rio, realizando um bate-papo sobre a cultura black, com a participação de Don Filó, um dos criadores do movimento. Engenheiro cultural, Filó promoveu uma revolução na década de 70. Ele e um grupo de jovens contribuíram para transformar a dura realidade da discriminação racial com a valorização da autoestima da juventude negra através da música, do cinema, e da literatura. Don Filó apostou na cultura como pedra de toque de um grande movimento pela valorização da identidade e da cultura negras, mais tarde chamado de Movimento Black Rio.

No dia, será relançado pela Neves Records e Melômano Discos, em vinil e em pequena tiragem (300 cópias), um dos álbuns mais emblemáticos do psicodelismo brasileiro: “Marinho Castellar & Banda Disrritimia” (1981), que imprime, com maestria, o momento criativo de alguns dos diversos coletivos musicais que coexistiram no Brasil dos anos 70. Na década seguinte esse tipo de manifestação foi menos usual, porém, o disco de Marinho Castellar atua como um expurgo cósmico da década anterior. O disco ganhou status de raridade. Infelizmente, vítima de cirrose, Marinho Castellar faleceu aos 33 anos de idade e não viu seu LP ser reverenciado como um dos trabalhos mais cultuados do underground brasileiro dos anos 80.

            A edição será marcada também pela diversidade, não apenas nas diferenças rítmicas ou musicais, seja também dialogando com variedade étnica e social tão em voga no momento atual.  Integrante do Slam das Minas e do grupo de rap Nefertaris Vandal, a poeta, slammer e rapper Andréa Bak fará participação entre as discotecagens. Aos 18 anos, a poeta já ganhou notoriedade por recitar nas ruas e espaços culturais do Rio de Janeiro versos que contam a história do povo negro sob uma perspectiva de fortalecimento, de exaltação e de empoderamento.

Produzida por Marcello Maldonado e pelo produtor artístico Marcello MBGroove (coletivo Vinil É Arte), a feira apresenta, ao longo do dia, vários DJs com seus sets em vinil, especialistas nos mais variados estilos; MPB, Black Music, Rock, Eletronic. Cerca de 60 expositores de todo o Brasil estarão presentes com discos e CDs. Do Rio, participarão, dentre outros, a Tropicália Discos e a Arquivo Musical, além da Livraria Baratos da Ribeiro e da Satisfaction. Os paulistas serão representados pelo Beco do Disco, Casa da Mia, Mega Hard, Mafer Discos e Vinil SP, só para citar algumas.

 SERVIÇO: 22° Feira de Discos de Vinil do Rio de Janeiro

Dia: 8 de dezembro, domingo

Horário: 11h às 19h

Local: IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil

Endereço:  Beco do Pinheiro, 10 – Flamengo, Rio de Janeiro

Entrada: 1 kg de alimento não perecível

Classificação: livre

Informações: 21-98181-9733

Cezanne Comunicação – Assessoria de Imprensa em Cultura e Arte

mail (2)

A banda sueca de stoner Asteroid faz duas apresentações no Brasil neste fim de semana: sexta-feira (6), toca na capital paulista, no Jai Club, dentro da programação oficial da SIM São Paulo, enquanto no sábado (7) é a vez do Rio de Janeiro, no La Esquina. Com quase 20 anos de carreira, trata-se de uma das formações mais clássicas do gênero na Europa, que nasceu junto a outros nomes como Kadavar e Graveyard. A produção é da Abraxas em parceria com a Powerline.

Crias da efervescente cena stoner rock europeia, os suecos fazem um som que extrapola o gênero, com quebradas prog-jazzísticas e até mesmo levadas heavy metal, sempre embalados a muito fuzz, groove e psicodelia.

A banda tem três discos lançados. O mais recente, de 2016, é o poderoso III, que recebeu só críticas positivas e mostra um Asteroid capaz de criar composições bombásticas e cativantes, repletas de riffs.

Asteroid é Robin Hirse (vocal e guitarra) e Jimmi Kohlscheen (bateria) e Johannes Nilsson, baixista fundador da banda e também irmão de Joakim Nilsson, frontman do Graveyard. Nilsson afirma que pretende explorar um pouco da produção musical do Brasil e já adiantou que permanecerão alguns dias a mais no país para absorver inspiração do clima brasileiro. “Planejamos tirar um tempo livre no RJ para criar novas músicas”.

Em São Paulo, o Asteroid terá a abertura da Spiral Guru é um quarteto paulista de Space Rock/Stoner Rock e Heavy Psych, além da Weedevil, banda de stoner idealizada for Flavio Cavichioli (Pin Ups, ex-Forgotten Boys) que faz nesta sexta seu primeiro show. No Rio de Janeiro, tem Muladhara e Neon Desert, finalistas da seletiva de abertura para o Brant Bjork, e o supergrupo de Pedro Salvador (Necro, Messias Elétrico) junto a músicos do Beach Combers, Auramental e Psilocibina.

Se você é fã de bandas na pegada de Graveyard, Truckfighters, Brant Bjork, Kadavar, além de clássicos como Black Sabbath, Captain Beyond e outros que mesclam peso e psicodelia como ninguém, esse show é pra você!

Abraxas & Powerline apresentam: Asteroid (Suécia) na SIM São Paulo 2019
Evento: https://www.facebook.com/events/2480147125637589/
Data: 6 de dezembro
Horário: 21h
Bandas de abertura: Spiral Guru (SP) e Weedevil (SP)
Local: Jai Club
Endereço: Rua Vergueiro, 2676 – Vila Mariana, São Paulo – SP, 04102-000
Ingresso: 1º lote: R$ 80/ 2º lote: R$ 100 / porta R$ 120
Link para compra: https://pixelticket.com.br/eventos/4541/noite-abraxas-e-powerline-asteroid-suecia
Ingresso físico: Locomotiva Discos (rua Barão de Itapetininga, 37 – Loja 8 – República, São Paulo)
Censura: 18 anos
Apoio: cervejaria Hocus Pocus

mail (3)

Asteroid (Suécia) no Rio de Janeiro
Evento: https://www.facebook.com/events/461759074524494/
Data: 7 de dezembro
Horário: 19h
Bandas de abertura: Muladhara, Neon Desert e Pedro Salvador e o Caos Rastejante
Local: La Esquina
Endereço: Avenida Mem de Sá, 61 – Lapa/Rio de Janeiro
Ingresso: 1º lote: R$ 65; porta R$ 90
Link para compra: https://www.sympla.com.br/festa-da-firma-da-abraxas-com-asteroid-pedro-salvador-e-mais__714670
Censura: 18 anos

Tedesco Comunicação & Mídia

Laudany: retoma processo criativo e anuncia novo EP

Publicado: 04/12/2019 por Pedro Mello em News, Uncategorized
Tags:,

Laudany_Capa Now.jpg

Originalmente formada no interior de São Paulo em 2002, a Laudany é uma banda de metal autoral que sempre logrou êxito enquanto esteve ativa. Tanto em termos de shows como em estúdio.

O grupo estreou nos palcos fazendo logo uma apresentação no Music Hall durante a “Expomusic 2003”. Também fez shows de abertura para respeitadas bandas como Shaman, Moonspell e participou de alguns dos principais eventos de arte gótica do país na época, como a Thorns Gothic Rave, Gótico SP Fest, entre outros.

Depois do single “Invisible”, o grupo lançou em 2006 seu disco de estreia, “Trials And Punishments”. Produzido por Aldo D’Isep (Endrah, Queiron, Threat), o álbum reuniu 10 faixas e foi muito bem recebido pela imprensa na época. “Um ótimo trabalho, com alto nível musical e sonoro” (Revista Roadie Crew); “Heavy rock bem trabalhado, com nuances góticas e progressivas que surpreendem positivamente” (Revista Shopping Music); “Sentimos orgulho pelo fato de uma banda nacional, e de maneira independente, chegar a um nível tão alto quanto o apresentado aqui.” (Whiplash); “Pinta de banda experiente, com boa técnica, ótimas composições que grudam na cabeça.” (With Every Tear A Dream). “O profissionalismo dos caras salta aos ouvidos, com músicas muito bem elaboradas, arranjos que passam a sensação de terem sido muito bem pensados e discutidos, execução impecável e uma produção excelente.” (MetalSplash). Essas foram algumas resenhas publicadas na época sobre “Trials And Punishments” que também chegou a ser indicado ao Prêmio Toddy de Música Independente de 2007 na categoria “Melhor Álbum de Heavy Metal”, onde também concorreram Sepultura, Angra, Krisiun, Violator, Witchhammer, entre outros.

Embora nunca tenha anunciado seu fim, a Laudany permaneceu inativa entre 2009 e 2018, até que neste ano de 2019 anunciou a retomada de seu processo criativo.

Formada atualmente por Moyses Prado (vocal), Hooligan (guitarra), Netto Carvalho (bateria) e Eliton Tomasi (baixo), a banda está em estúdio gravando um novo EP. Intitulado “Now”, o trabalho vai reunir quatro composições inéditas; “Now”, “Holy Wisdom”, “Timeless”, “Evolution” e uma versão para “Strength To Endure” dos Ramones.

“Now pretende continuar de onde a Laudany parou e disponibilizar a banda ao futuro”, conta o guitarrista Hooligan. “Nesse hiato, sempre que compunha algo – e depois de algum tempo parava para ouvir -, tudo soava como se tivesse sido feito para a Laudany. É como se eu nunca tivesse parado de produzir conteúdo para a banda! As músicas desse novo EP preservam a nossa essência, mas trazem certo ar de renovação. Estamos mais abertos e amadurecidos para absorver influências e incorporar vários elementos artísticos no conceito geral da banda”.

De autoria da artista visual Vera Araújo, para a capa de “Now” o grupo decidiu usar uma pintura a óleo sob tela.

“A capa do EP está num quadro na parede aqui da minha casa”, conta Eliton Tomasi que desde o início do grupo exercia o papel de manager e agora passa a ser o baixista da banda. “A opção por uma pintura a óleo sob tela reflete um desejo da banda de se expressar artisticamente em cada detalhe. Isso não significa que subestimamos as artes digitais, muito pelo contrário – o disco de estreia da Laudany traz uma arte incrível desenvolvida nessa linguagem -, mas é que nesse momento queremos buscar novos significados para alguns aspectos da produção criativa de uma banda, e para a capa achamos legítimo resgatar a técnica da pintura sob tela. A ausência do logotipo da banda e título do EP é um ato de desobediência diante dos padrões de mercantilização de trabalhos artísticos. Por fim, a Vera Araújo conseguiu traduzir muito bem a ideia conceitual desse EP como um todo que sugere ao observador, e ouvinte, uma total imersão no momento presente.”

O novo EP “Now” da Laudany deve ser lançado no início do primeiro semestre de 2020. Enquanto o novo trabalho não fica pronto, o grupo convida o público a conferir seu álbum de estreia, “Trials And Punishments”, que agora também está disponível em todas as plataformas digitais de música.

Spotify: https://spoti.fi/2N99EAt 

Deezer: http://bit.ly/2ZczxC9  

Napster: http://bit.ly/2P9BdfY 

iTunes: https://apple.co/2HbBcBu 

Youtube: http://bit.ly/33AH1lz 

Google Play: http://bit.ly/2Z8g2uq 

Amazon: https://amzn.to/2N8A2dW 

Mais Informações:

www.facebook.com/laudanyofficial 

www.instagram.com/laudanyband 

Press Release e Gestão Cultural:

Eliton Tomasi – SOM DO DARMA

eliton@somdodarma.com.br

www.somdodarma.com.br

(15) 99134-3443

Som do Darma

Lyria - Natal - Xmas - Navidad.jpeg

Fim de ano é época de festa e o Lyria quer comemorar o fim de um ano tão produtivo com os fãs de todo o mundo! No dia 15 de dezembro (domingo), o show reunirá as canções dos discos “Immersion” (2018) e “Catharsis” (2014), em uma apresentação diretamente do home studio da banda, com ingressos a preços “pague quanto quiser”.

O ano de 2019 trouxe para o Lyria shows em diversas cidades do Brasil, como Curitiba, Belo Horizonte, Juiz de Fora, Sorocaba, São Paulo, Campos dos Goytacazes e Rio de Janeiro; Lançamento de clipes, como o The Rain, o mais recente, que conta com mais de 158 mil visualizações, além da oportunidade de conhecer fãs do mundo inteiro, por meio do contato online diário.

Pioneiros na modalidade de transmissão de show online, o Lyria criou um estúdio próprio para ensaios e streamings. O projeto de apresentações ao vivo com transmissão já dura mais de quatro anos, e a cada edição aumentam o número de fãs que comparecem ao evento. Durante a exibição acontecem conversas entre banda e público, tornando a relação entre eles mais próxima. O público também pode assistir ao show quando quiser, pois este fica gravado.

Criada em 2012 por Aline Happ (voz), a banda de metal carioca é uma das mais conhecidas do país, chegando a contar com 95 mil curtidas no Facebook e ainda, na mesma rede social, o clipe de “Jester”, conta com quase três milhões de visualizações. O segundo álbum, “Immersion”, contou com um financiamento coletivo para ser produzido, arrecadando mais de 13 mil dólares (cerca de 54 mil reais). Feitos extraordinários para uma banda independente de metal brasileira.

Além de Aline, o Lyria conta com Rod Wolf (guitarra), Thiago Zig (baixo) e Thiago Mateu (bateria). Com refrãos marcantes, arranjos bem trabalhados e temas de superação, o Lyria reúne fãs de todos os cantos do globo, principalmente na Europa, Estados Unidos e Brasil. 

Serviço

Show de Natal – Lyria

Data: 15/12/2019 (domingo)

Horário: 17h30 horário de Brasilia

Pague quanto quiser: https://www.lyriaband.com/donations

Evento: https://www.facebook.com/events/435984527095298/

Classificação etária: Livre

Assista a um clipe do último show online (realizado em 3 de novembro deste ano):

Orbe Comunicação

Necropsy: “Exitus” – Death Metal from Finland

Publicado: 04/12/2019 por Pedro Mello em Uncategorized

file2.jpg

ERA I
In June 1987, a couple of young dudes about in age of eleven ponders on a heavy thought. Janne Kosonen and Ville Raitio decide to form a Thrash Metal band. Inspired by bands like Slayer, Venom, Dark Angel and Death. Name was chosen to be ANXIETY.

First demo “Mental Disturbance” was recorded in 1989 and the name NECROPSY was introduced. At that time, Janne performed the vocal parts as well as played guitar. Aatu Holma on guitars and Jari Louhiniitty on bass.

Vocalist Aku Rytkölä joined the band. “Curse” demo came out and the year was 1990. In the same year demo “Indigestion”, which was darker in tones and more Death Metal instead of past Thrash sounds was released.

“Another World” demo came in 1991 and after that Tero Kosonen replaced Aku Rytkölä. Toni Rahkonen took his place as a bass player.

A split-LP with Demigod and 7”EP “Never to be Forgotten” were also released during the year ‘91. After “Go All the Way of Flesh” demo (1992) was Ville Raitio’s turn to give up and leave the band. Taito Soramäki jumped on drummer’s seat.
Music style changed radically at that time. “Promo Demo ’93” was more technical Death Metal. Last song “Anointing of the Sick” was recorded for “Monoheads Collection” CD 1993.

In 1994 Aatu Holma left the band and Tommi Tanskanen stepped into sinking ship. Even though first record deal was in hand. Songs and covers were ready. Studio time was settled and paid. Something was changed. Band suffered from lack of motivation. Janne thought that it was better to take a break which stretched to fourteen years…

ERA II
Over the years, Janne (lead guitars) and Tero Kosonen (vocals) talked many times about putting the band together again but it was not easy to find suitable players from hometown Lahti. However, in autumn 2008 NECROPSY was blood and flesh again. Aatu Holma got exhumed to play second guitar, Hannu Väänänen (drums) and Ville Vartiainen (bass) joined as new members. After long hard work of rehearsing and few gigs at Finland, first full-length album “Bloodwork” came out in July 2011 through Tritonus Records.

Aatu Holma left the band in October 2011 due to lack of time and Sami Heinonen joined in.
In 2012 NECROPSY got in touch with Xtreem Music with whom they signed a deal for the release of a new mini CD and their 2nd full length album but before that would happen, Century Media offered the band to re-issue all their demos and EP’s on a 3-CD set and 4-LP set.

This was released in early summer 2013, few months before the new mini “Psychopath Next Door” was released in August through Xtreem Music.

Second full length album “Buried in the Woods” which gained very good feedback saw the daylight in august 2015 through Xtreem Music. NECROPSY played several shows in Finland.

One of the highlights was Finnish Death Metal Maniacs Fest in September 2015. In May 2017, for the first time, NECROPSY got a chance to play outside of Finland at Maryland Death Fest XV. NECROPSY started to write new material and more like bored on playing just basic Death Metal. It felt like it was time to do things different and slow down the beat and make things simple. New EP “Exitus” is more Doom than previous releases and will be released by Xtreem Music in January 2020.

Hannu Väänänen decided to leave the band by the end of 2019. For the moment, drummer Martti Merilaid performs live shows with NECROPSY, which will also play old stuff from nineties on forthcoming gigs.

Line-up:

Tero Kosonen – vocals
Janne Kosonen – guitars
Sami Heinonen – guitars
Ville Vartiainen – bass
Hannu Väänänen – drums

Country: Finland
Genre: Death Metal

Links:

https://www.facebook.com/NECROPSY-204404386244264/

Xtreem Music PR