Femme Fatale Fest: Invasão Feminina nos Palcos Cariocas

Publicado: 29/11/2012 por Pedro Mello em Eventos, News, Resenhas Shows
Tags:, , , , ,

Como diria o intérprete Martinho da Vila – e não estou fazendo apologia à poligamia – “Melhor do que uma mulher, só duas mulher, três mulher …”, foi isso que aconteceu no Femme Fatale Fest, realizado no Rio Rock & Blues Bar localizado no bairro da Lapa no Rio de Janeiro.

O evento contou com quatro bandas quase que totalmente formadas por mulheres (exceção para a banda Nervosa, que fechou a noite, e teve participação do batera Amilcar Cristófaro (Torture Squad) quebrando um galho após a saída de Fernanda Terra da banda). O público foi razoável para o tamanho da casa mas muito participativo em todas as músicas das bandas presentes.

Após um pequeno atraso, a primeira banda a subir no palco foi a banda Indiscipline, formada por Thais Dias (Baixo / Vocal), Ana de Ferreira (Bateria), e Maria Fernanda Cals (Guitarra). Fizeram uma apresentação curta e demonstraram que a banda tem potencial, e que o trabalho autoral tem qualidade mas precisa de uma vocalista fixa, pois apesar de boa baixista, Thais – nada pessoal – não convenceu. É realmente difícil cantar e tocar ao mesmo tempo e isso requer bom tempo de estrada.

A segunda banda a subir ao palco foi a Melyra, banda de covers que conta com Mariana Figueiredo (Vocal), Fernanda Schenker e Mili Emília (Guitarras), Helena Accioly (Baixo) e Ana de Ferreira (Bateria). Tocando vários clássicos do Heavy Metal mundial, a banda agitou a galera e deixou um gosto de “quero mais” no público. A banda se mostrou entrosada e bem desenvolta no palco, pareciam que banda e público curtiam juntos.

Um dos destaques foi a baterista Ana de Ferreira que se apresentou com as duas bandas com muita disposição.

Depois que a Melyra aqueceu a galera, as meninas do Tevadom subiram ao palco e mandaram ver com um vigoroso Thrash Metal. As composições autorais soaram bem e toda hora me pegava pensando “lá vem uma do Kreator” e não vinha, mas isso não é uma crítica destrutiva e sim um elogio para mostrar a competência de Roberta Tesch (Vocal / Guitarra), Ariane Domingos (Guitarra), Flora Leal (Baixo) e Priscila Valim (Bateria). Espero que gravem algum registro logo.

Fechando a noite, entra a Nervosa, trio de Thrash Metal que vem recebendo grande reconhecimento pelo público e mídia especializada. A banda subiu ao palco e as duas garotas, Fernanda Lira (Vocal / Baixo) e Prika Amaral (Guitarra) souberam ocupar bem o palco. Como o trio estava desfalcado de uma baterista, Amilcar Cristófaro (Torture Squad) deu uma força na bateria e surrou o kit.

As músicas são bem elaboradas e juntamente com a interação entre banda e público a casa cai, “rodas” se formaram, e ficou claro que a banda merece o crédito que vem recebendo.

Grande noite, grandes bandas, e mostrando que lugar de mulher também é tocando Metal.

Acesse a galeria de fotos em: http://www.facebook.com/blogriometal

comentários
  1. Karina disse:

    Concordo com 100% do texto (apesar de ter partes bem mal escritas, hehe)! Keep rockin, girls!

    • Pedro Mello disse:

      Concordo, e obrigado pela crítica. Fiquei receoso em perder o “timing” das postagens e acabei postando sem uma revisão adequada.

      Mas agradeço a crítica construtiva e o texto já se encontra revisado.

      Obrigado.

    • Pedro Mello disse:

      Concordo, e obrigado pela crítica. Fiquei receoso em perder o “timing” das postagens e acabei postando sem uma revisão adequada.

      Mas agradeço a crítica construtiva e o texto já se encontra revisado.

      Obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s