Posts com Tag ‘Valvera’

Pela primeira vez, nós temos uma música com participações especiais: a vocalista da banda Malvada, Angel Sberse, fez um trabalho incrível dividindo vocais com Glauber Barreto, ela participou do programa “The Voice” em 2020, atualmente participa do programa “Canta Comigo”, já garantida na final e também tocará no Rock In Rio 2022. Para fechar esse elenco temos um conterrâneo votuporanguense, Gustavo Bombonato, um pianista genial formado em Tatuí.

Sobre Válvera e Angel Sberse:

Válvera: Formada no ano de 2010 a banda Válvera tem três álbuns de estúdio, “Cidade em Caos” de 2015, “Back To Hell” de 2017 e “Cycle Of Disaster” de 2020 lançado mundialmente pelo selo americano Brutal Records.

Com mais de 200 shows na carreira e uma turnê Europeia em 2018, (Alemanha, França, Itália, Bélgica, República Tcheca, Holanda, Eslovênia e Polônia), a banda é uma das mais promissoras do cenário atual, sendo vencedora do concurso “New Rock Bands” em 2020, idealizado por Top Link e Kiss FM, onde superou outras 712 bandas.

Angel Sberse: Formada em Canto Popular pelo IC&T (Instituto de Canto & Tecnologia) da Escola EM&T em 2008, participou do programa “The Voice” em 2020 e do programa “Canta Comigo” de 2022.

Professora de canto, compositora e multinstrumentista, possuí colaborações musicais com artistas como: Malta, Edu Falaschi – Ex Angra, Warrel Dane, Noturnall, Mike Portnoy – Ex Dream Theater etc.

Ela também estará no Rock In Rio desse ano com sua banda, Malvada.

Sobre a música:

“Black Rain” fala sobre os problemas psicológicos que afetam cada dia mais as pessoas, tais como a ansiedade e depressão.

Segundo a OMS, em 2030 a depressão será a doença mais comum do mundo e, devido a Pandemia de Covid-19, essas doenças aumentaram em 25%.

Muita gente sofre em silêncio e muitas não conseguem nem pedir ajuda. Com certeza você, um amigo ou familiar deve estar nesse momento passando por sérias dificuldades, e durante essa reclusão da quarentena, tantas pessoas angustiadas, trancadas, sem saber como será o futuro, sem saber se estarão vivas, se perderam amigos, isso ajudou a potencializar as causas.

Afinal, hoje em dia o mundo vive na correria, cobrança, pressão, medo, todos vivemos inseguranças e mesmo rodeado de pessoas, às vezes nos sentimos sós. É como se não fôssemos capazes de acompanhar, como se fôssemos impotentes pra reagir ou ser insuficientes pra conseguir sobreviver nesse mundo selvagem e sem empatia.

Nós, da banda Válvera passamos por situações assim, temos casos na família de depressão, nós mesmos sofremos com a ansiedade em várias situações. Alguns foram atrás de ajuda profissional, outros se fecharam, cada um enfrentando seus próprios demônios.

Por que fazer uma música diferente dos trabalhos anteriores?
A música “Black Rain” segue por um caminho diferente dos outros trabalhos do Válvera, nós entendemos que é importante arriscar coisas novas, pisar em novos terrenos, fazer parcerias, construir pontes para chegar em novos ouvintes, públicos diferentes que possam se tornar novos fãs.

O rock é rebeldia, o rock é não ter regras, por isso mesmo, às vezes a gente tem que quebrar algumas correntes dentro do nosso próprio mundo pra sermos livres. 

Essa música tem orquestras, piano e violão, vai crescendo e termina de uma forma explosiva… Isso quer dizer que o Válvera vai se tornar uma banda leve? Não, isso quer dizer que o Válvera tem muitas facetas, é uma banda que sempre misturou estilos e acima de tudo, sempre se importou em fazer música. Deixamos em aberto que nós podemos fazer tudo, desde uma balada, até um porradaria, como já de costume.

Essa é mais uma música das tantas que fizemos e apenas outra das tantas que ainda vamos fazer, cheia de verdade, coração e dedicação. Essa letra, esse tema e essa história fazem parte do nosso mundo, da nossa verdade e dos nossos dias. Com certeza, falaremos a mesma língua de tantas outras pessoas que passam por isso.

Queremos dizer para as pessoas: “estamos juntos, vamos conseguir, você não está sozinho!”

Nós acreditamos na força dessa música, por isso ela é nosso próximo single.

Angel Sberse

O que os integrantes da banda e a convidada pensam sobre a música:

Rodrigo: “Black Rain” é uma balada poderosa, é uma música que mostra um lado do Válvera que nós sabemos que existe, porém que muitos de vocês não conhecem ainda, muitas vezes somos lembrados como uma banda de Thrash Metal e realmente somos, sempre fomos bons com riffs rápidos, mas o Válvera é mais do que isso, nós temos esse lado sensível, de criar grandes harmonias,  falar de sentimentos mais profundos e são poucas as bandas pesadas que tem a capacidade de fazer esse tipo de som. Por isso estou curioso para ver como vocês vão reagir com esse nosso novo single.

Glauber: A musicalidade que o Válvera tem é muito maior do que nossa discografia mostra até agora, acho importante mostrar esse outro lado, não ser uma banda genérica na essência criativa. Com a “Black Rain” nós tivemos que ter mais que criatividade, nós tivemos que ter coragem. Enfrentar crises de ansiedade e enfrentar a depressão não é nada fácil e a gente sabe disso na pele, é uma luta pesada, assim como também não é fácil bater de frente com padrões e regras pré estabelecidos que deixam muitos artistas presos e com medo de cruzar certas fronteiras musicais, principalmente no metal. A arte não pode se calar, nem perecer ao medo, a arte tem que ser o que ela tiver que ser. “Black Rain” é mais que uma música, ela é um grito buscando liberdade de corpo e alma.

E preciso falar sobre dividir vocais com a Angel. Foi sensacional, ela é uma das melhores vocalistas que conheço, além de timbre e técnica, também tem feeling. A energia que ela trouxe foi essencial pra gente chegar nesse resultado final, estou muito feliz.

Gabriel: Uma música que aborda um tema importante, de extrema relevância.

A pandemia favoreceu que as pessoas ficassem mais propensas a desenvolver depressão e ansiedade. Nós esperamos e incentivamos que todos busquem ajuda, afinal lutar sozinho contra tudo isso é pesado demais.

Trabalhamos muito para que a “Black Rain” saísse do papel e felizmente o resultado foi maravilhoso. Acredito que a galera vai curtir.

Leandro: Acho que é a hora certa de lançar a “Black Rain”, as pessoas estão vendo e sentindo na pele o quanto essas questões humanas pesam nas pessoas, não é brincadeira e temos que ter essa sensibilidade.

Além disso a música é incrível, diferente, com participações que deixaram ela ainda mais especial, a Angel e Gustavo acrescentaram muito e estou muito empolgado com a “Black Rain”.

Angel: Gravar o single “Black Rain” com o Válvera foi uma experiência muito enriquecedora, pois além de ser uma balada linda com uma crescente super forte, tem uma letra pesada sobre ansiedade e depressão, um dos maiores problemas da sociedade atual, que se agravou bastante no período de pandemia, o que torna super necessário falar sobre o assunto para que as pessoas que se identificam possam buscar forças e procurar ajuda.

Desde o início do processo eu fui super bem recebida pela banda, tive total liberdade de mexer na melodia e colocar a minha personalidade/identidade na música, o que pra mim é extremamente importante em um trabalho, além do clima geral ser uma delícia, muita energia boa sempre!

O resultado não poderia ser diferente. Tanto a música quanto o clipe estão incríveis, estou muito satisfeita, espero ter contribuído para um grande sucesso do Válvera!

Informações:

A música foi lançada em todas as plataformas digitais dia 27/05/22, novamente pela Brutal Records (USA), em parceria com a Sony Music.

O clipe está disponível no canal oficial do Válvera no YouTube.

A música foi gravada no Dual Noise Estúdio com produção de Rogério Wecko e o clipe foi produzido por Caike Scheffer.

As gravações aconteceram no Estúdio Espaço Som e no Teatro UOL, no Shopping Higienópolis.

Black Rain:

Válvera:

Spotify: https://cutt.ly/pv7Rhqp

YouTube: http://youtube.com/valveraoficial

Facebook: http://facebook.com/bandavalvera

Instagram: http://instagram.com/valveraband

Site: http://valvera.com.br

E-mail: bandavalvera@gmail.com

Angel Sberse:

Instagram pessoal: https://www.instagram.com/angelsberse

Instagram banda Malvada:  https://www.instagram.com/malvadabanda

Valvera

No próximo mês, a capital paulista vai tremer com a volta de dois grandes pesos pesados do Thrash Metal nacional em shows presenciais! Dia 9 de outubro, a partir das 17h, na Fofinho Rock Club, em São Paulo/SP, teremos a volta aos palcos dos monstros VÁLVERA e ANCESTTRAL!

Ingressos no valor de apenas R$ 15,00 (quinze reais), podendo ser adquiridos diretamente com a casa ou com a banda Válvera através de suas redes sociais. Os 15 primeiros que comprarem diretamente com o Válvera ganharão 1 (um) CD “Back To Hell” e, junto com o restante dos compradores, participarão de um sorteio de dois kits contendo 1 CD, 1 camiseta, 1 livro “Não É Uma Vergonha”, de autoria do jornalista e escritor Pedro Pellegrino, e 1 Cerveja cada (a retirar após o show). Durante o show, outros 3 (três) livros serão sorteados através de interação com o público!

No dia, teremos aferição da temperatura na entrada, uso de máscara obrigatório, número limitado de pessoas e álcool em gel espalhados pela casa seguindo os protocolos de saúde.

Glauber Barreto (vocalista/guitarrista/Válvera) comenta: “Estamos com sangue nos olhos! Não víamos a hora de poder retornar aos palcos!”. Já Rodrigo Torres (guitarrista/Válvera) vai além e comenta: “Nessa pandemia, não paramos nenhum instante. Não queríamos nem pensar em ficar enferrujados, pois sabíamos que uma hora ou outra teríamos os palcos liberados de novo! Eis que agora surgiu essa oportunidade que agarramos com todas forças”. Gabriel Prado (baixista/Válvera) completa: “Tudo com muita responsabilidade, proteção e seguindo todas as normais de higiene, pois queremos que todos se divirtam em segurança”. Leandro Peixoto (baterista/Válvera) finaliza com bom humor: “No palco a gente mete o louco, mas fora dele somos limpinhos”.

Serviço: VÁLVERA e ANCESTTRAL
Local: Fofinho Rock Club
Endereço: Av.Celso Garcia 2728 – Tatuapé – São Paulo/SP (Próximo ao Metrô Belém)
Horário: das 17h às 21h

Entrada:R$ 15,00 (quinze reais)
Venda/Reservas de ingressos por Whatsapp: (11) 94724-3677 ou Instagram (@fofinhorockclub)
Venda/Reservas de ingressos com direito a prêmios/sorteio: Email (bandavalvera@gmail.com), Facebook (@bandavalvera) ou Instagram (@valveraband)

Mais Informações:

Os Neo Thrashers paulistas do VÁLVERA, que contam com Glauber Barreto (vocal/guitarra), Rodrigo Torres (guitarra), Gabriel Prado (baixo) e Leandro Peixoto (bateria), vem conseguindo uma enorme exposição mundial devido ao seu mais recente e elogiadíssimo álbum “Cycle Of Disaster”. Gravado no Dual Noise Studio, em São Paulo, “Cycle Of Disaster” foi produzido pela própria banda em conjunto com o produtor Rogério Wecko, também responsável pela masterização, mixagem e engenharia de som, com arte de capa a cargo do renomado designer Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, Kreator) e lançado em agosto de 2020 via Brutal Records (EUA e Canadá), Plastic Head (Europa) e Voice Music (Brasil). Seu mais novo videoclipe de “The Damn Colony”, faixa baseada na horrenda história do Hospital Colônia de Barbacena (MG), mais conhecida como o “Holocausto Brasileiro”, alcançou a incrível marca de mais de 30.000 visualizações em 4 meses!

Confira “The Damn Colony” em:

“Cycle Of Disaster” encontra-se à venda em CD físico nas melhores lojas especializadas e, também, disponível nas tradicionais plataformas mundiais de streaming.

Ouça VÁLVERA em:

YouTube: www.youtube.com/valveraoficial
Apple Music: https://music.apple.com/br/artist/valvera/1043332035
Bandcamp:https://valvera.bandcamp.com
Soundcloud:https://soundcloud.com/valvera-music
Spotify: https://open.spotify.com/artist/3S87lwfQs6K1O1WsQrpPhz
Deezer: www.deezer.com/br/artist/8945888
Napster:https://br.napster.com/artist/valvera
Amazon Music:https://music.amazon.com/artists/B015TRXRMG

Mídias Sociais:

Site:www.valvera.com.br
Loja Virtual:www.valvera.lojavirtualnuvem.com.br
Facebook: www.facebook.com/bandavalvera
Instagram: www.instagram.com/valveraband
Twitter:twitter.com/valvera_oficial

JZ Press

VÁLVERA: colhendo frutos sem perder identidade!

Publicado: 01/09/2021 por Pedro Mello em News
Tags:,

Os Neo Thrashers paulistas do VÁLVERA disponibilizaram em seu canal oficial no YouTube um vídeo especial em comemoração a primeiro ano de lançamento do mais recente álbum da banda, o aclamado e eleito um dos melhores álbuns do ano pelos fãs e mídias especializadas, “Cycle Of Disaster”.

Assista “1 Ano de Cycle Of Disaster” em:

Por conta de todas as críticas positivas pelo mundo, Glauber Barreto (vocal/guitarra), Rodrigo Torres (guitarra), Gabriel Prado (baixo) e Leandro Peixoto (bateria) obtiveram uma enorme exposição mundial que, com muito trabalho mesmo com a falta de shows devido a pandemia do #covid19, proporcionou à banda participar de várias festivais online, muitas entrevistas, lives, execuções de suas músicas em rádios e web rádios em mais de 50 países e até participações em programas de TV, como por exemplo o programa Revista de Sábado da TV TEM, filial da Rede Globo, que cobre 50% do território do Estado de São Paulo, alcançando 318 municípios e com potencial de impactação de até 8,6 milhões de telespectadores! É sucesso que fala, não é?

Gravado no Dual Noise Studio, em São Paulo, “Cycle Of Disaster” foi produzido pela própria banda em conjunto com o produtor Rogério Wecko, também responsável pela masterização, mixagem e engenharia de som, com arte de capa a cargo do renomado designer Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, Kreator) e foi lançado em agosto de 2020 via Brutal Records (EUA e Canadá), Plastic Head (Europa) e Voice Music (Brasil).

“Esse álbum é um trabalho cheio de conceitos, abordando várias tragédias, desastres e catástrofes que fazem parte da história do Brasil de forma nunca vista antes. Trouxemos temas profundos que, apesar do conteúdo histórico e local, não deixa de ser moderno e atual”, explicou Glauber Barreto. “Além da parte lírica, este trabalho é mais evoluído, pesado e moderno do que os álbuns anteriores, então, sem nenhum receio, decidimos nos arriscar, explorando ainda mais vertentes no metal e trabalhando com afinações diferentes nas guitarras e baixo. Pisamos em novos territórios, mas não perdemos nossa identidade”, acrescentou Rodrigo Torres.

O mais novo videoclipe de “The Damn Colony”, faixa presente em “Cycle Of Disaster”, baseada na horrenda história do Hospital Colônia de Barbacena (MG) é conhecida como o “Holocausto Brasileiro”, alcançou a incrível marca de quase 30.000 visualizações em 4 meses!

Confira “The Damn Colony” em:

Conheça mais sobre as temáticas abordadas em “Cycle Of Disaster” em:


“Cycle Of Disaster” encontra-se à venda em CD físico nas melhores lojas especializadas e, também, disponível nas tradicionais plataformas mundiais de streaming.

Ouça VÁLVERA em:

YouTube: www.youtube.com/valveraoficial
Apple Music: https://music.apple.com/br/artist/valvera/1043332035
Bandcamp:https://valvera.bandcamp.com
Soundcloud:https://soundcloud.com/valvera-music
Spotify: https://open.spotify.com/artist/3S87lwfQs6K1O1WsQrpPhz
Deezer: www.deezer.com/br/artist/8945888
Napster:https://br.napster.com/artist/valvera
Amazon Music:https://music.amazon.com/artists/B015TRXRMG

Mídias Sociais:

Site:www.valvera.com.br
Loja Virtual:www.valvera.lojavirtualnuvem.com.br
Facebook: www.facebook.com/bandavalvera
Instagram: www.instagram.com/valveraband
Twitter:twitter.com/valvera_oficial

Fotos por Jéssica Marinho
Edição de Imagem por Johnny Z.

Fonte: JZ PRESS

O Shaman apresenta no dia 13 de Julho, reconhecido no Brasil como o Dia Mundial do Rock, às 20h, a segunda edição do “Shaman Fest”, festival online organizado pela banda brasileira formada por Alírio Netto (vocal), Ricardo Confessori (bateria), Hugo Mariutti (guitarra), Luís Mariutti (baixo) e Fabio Ribeiro (teclados).

O evento online, realizado anualmente, dá continuidade à missão do Shaman de celebrar sua história e promover o trabalho de bandas e artistas brasileiros que têm alguma irmandade com os músicos do Shaman e também ajudar a cena do heavy metal nacional, sempre transmitindo ao vivo e com vídeos exclusivos pelo canal oficial do Shaman – https://www.youtube.com/c/ShamanBandOfficial9/.

Link para assistir o “Shaman Fest 2”:

“Depois do Shaman ter feito tantos collabs e vídeos da lockdown sessions, a gente quis colocar tudo isso junto com mais dois inéditos e comemorar no dia mundial do Rock. Também queríamos mostrar algumas bandas de amigos e que tem uma afinidade musical com o Shaman, mas que são diferentes entre si, para mostrar as diferentes vertentes do rock e Heavy Metal”, disse Luis Mariutti.

No “Shaman Fest 2”, além de vídeos inéditos do Shaman no formato lockdown sessions, transformando esse evento em quase um show inédito do grupo, estão confirmadas bandas e artistas como Noturnall, Twilight Aura, Spektra, Lasting Maze, Allen Key, Leandro Caçoilo, Raissa Ramos, Eskrota e Valvera.

Essa segunda edição apresenta conteúdo inédito com as bandas lançando videoclipes e performances no festival. Os músicos de algumas das bandas devem participar do chat interagindo com o público durante a transmissão pelo YouTube.

Serviço:
“Shaman Fest 2”
Data: 13 de Julho de 2021
Horário: 2oh
Onde: https://www.youtube.com/c/ShamanBandOfficial9/

Shaman nas redes sociais:
Facebook: https://www.facebook.com/shamanbandofficial
Instagram: https://www.instagram.com/shamanbandofficial/

TRM Press

Os Heavy/Thrashers, apropriadamente chamados Neo-Thrashers, paulistanos do VÁLVERA lançaram seu fantástico e sinistro novo videoclipe para a faixa “The Damn Colony” no canal oficial da banda no Youtube (www.youtube.com/valveraoficial). Esse assustador videoclipe alcançou a incrível marca de mais de 10.000 visualizações e continua aumentando!

“Estamos muito contentes com toda a repercussão do vídeo, pois sabíamos desde o começo que tínhamos um excelente roteiro, uma brilhante equipe técnica e atores nos guiando. Muito obrigado a todos que assistiram, curtiram, comentaram e principalmente se inscreveram em nosso canal, pois essa energia positiva é o que nos alimenta e nos faz ir sempre em frente”, comentou Glauber Barreto

“The Damn Colony”, faixa presente no aclamado e elogiado trabalho da banda, “Cycle Of Disaster”, que teve seu vídeo pré-lançado dois dias antes em parceria com a Metal Hammer Portugal, é uma faixa baseada na horrenda história do Hospital Colônia de Barbacena, em Minas Gerais. Fundado em 1903 e com capacidade para 200 leitos, o hospital contava com uma média de 5.000 mil pacientes em 1961 e ficou conhecido pelo genocídio em massa ocorrido especialmente entre as décadas de 60 e 80. Trens com vagões lotados (chamados de “trens de doido”), semelhantes aos dos campos de concentração alemães, despejavam diariamente os “dejetos humanos” para “tratamento” no hospital.

Assista “The Damn Colony” (Official Video) em:

Ficha Técnica:

Direção e Fotografia:
 Plínio Scambora (@plinioscambora)
Direção de Arte/Produção Geral: Raquel Tejada (@quel_tejada)
Assistentes de Produção: Aline Lopes (@a_linelopes) e Rennan Carlos (@rcarlos.arch)
Produtoção de Set: Matheus Sabino (@sabinofilmes)
Making Of Still: Fabrício Silva (@fabricioluizs)
Maquiagem: Fabrícia Rodrigues

Atores: Carla Costa (@carla.csta), Pedro Pellegrino (@pellegrinopedro) e Jaque Rofer (@jaquerofer)

Figuração: Eluizio Felix (@eluiziofelix), Raquel Ferreira, Maria Luciene Oliveira, Rose Pereira, Sergio Machado (@_sergio.machado_), Bárbaro Xavier (@barbaroxavier), Karla Camioli (@karlacamioli), Carla Gobato (@cacagobato), Sebastião Vieira e Matheus Aiello (@aiello.mclion)

“É um assunto realmente horrendo, sinistro e até inacreditável de se acreditar. Nesse hospital, as roupas das pessoas eram arrancadas, seus cabelos raspados e seus nomes apagados. Nus no corpo e na identidade, a humanidade sequestrada, homens, mulheres e até mesmo crianças comiam ratos e fezes, bebiam esgoto ou urina, dormiam sobre capim, eram espancados e violentados até a morte”, comentou Gabriel Prado.

Estima-se que cerca de 70% dos internados não tinham qualquer diagnóstico de doença mental. O hospital era destinado para a contenção dos indesejáveis, com função de higienização e sanitarismo da localidade, ou seja, “pessoas não agradáveis e incômodas” para alguém com mais poder, como opositores políticos, prostitutas, homossexuais, mendigos, pessoas sem documentos, epiléticos, alcoolistas, meninas grávidas e violentadas por seus patrões, esposas confinadas para que o marido pudesse morar com a amante, filhas de fazendeiros que perderam a virgindade antes do casamento, entre outros grupos marginalizados na sociedade.

“Os pacientes do Colônia morriam de frio, de fome, de doença. Morriam também de choque. Em alguns dias os eletrochoques eram tantos e tão fortes que a sobrecarga derrubava a rede do município. Nos períodos de maior lotação, 16 pessoas morriam a cada dia e ao morrer, davam lucro. Entre 1969 e 1980, mais de 1.800 corpos de pacientes do manicômio foram vendidos para 17 faculdades de medicina do país, sem que ninguém questionasse. Quando houve excesso de cadáveres e o mercado encolheu, os corpos passaram a ser decompostos em ácido, no pátio da Colônia, na frente dos pacientes ainda vivos, para que as ossadas pudessem ser comercializadas”, comentou Rodrigo Torres.

O psiquiatra italiano Franco Basaglia, pioneiro na luta antimanicomial na Itália, esteve no Brasil e conheceu o Colônia em 1979. Na ocasião, chamou uma coletiva de imprensa e desabafou: “Estive hoje num campo de concentração nazista. Em lugar nenhum do mundo, presenciei uma tragédia como essa.”

“Os números exorbitantes e silenciados (por mais de 50 anos) das execuções sumárias, frias e violentas que ocorreram no hospital Colônia de Barbacena superam, e muito, as mortes registradas e ocultadas na ditadura militar brasileira (dentre índios, camponeses, perseguidos políticos etc.). Superam inclusive os números das mais sangrentas ditaduras da América Latina, Chile com mais de 40 mil e Argentina com mais de 30 mil mortos”, comentou Glauber Barreto.

“Como artistas que somos, temos a obrigação de falar, de ser a voz do povo, de trazer perguntas e respostas para que as coisas assim nunca mais aconteçam”, finalizou Leandro Peixoto.

Mais Informações:

“Cycle Of Disaster”, terceiro álbum de estúdio dos paulistanos do Válvera, foi lançado em agosto de 2020 via Brutal Records (EUA e Canadá), Plastic Head (Europa) e Voice Music (Brasil), e vem recebendo excelentes críticas pelos fãs e imprensa especializada brasileira e mundial, inclusive sendo listado como um dos melhores lançamentos de 2020 em muitos sites, revistas e veículos respeitados dentro e fora do país.

Gravado no Dual Noise Studio, em São Paulo/SP, produzido pela banda em conjunto com o Rogério Wecko (masterização, mixagem e engenharia de som) e com arte de capa pelo experiente Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, Metal Allegiance, Kreator), esse trabalho vem recebendo excelentes críticas não só no Brasil, como também no exterior, e está sendo considerado por muitos como um dos grandes lançamentos do ano. “Cycle Of Disaster” já se encontra à venda em CD físico nas melhores lojas especializadas e também disponível nas tradicionais plataformas mundiais de streaming.

Formação:

Glauber Barreto – Vocal/Guitarra
Rodrigo Torres – Guitarra
Gabriel Prado – Baixo
Leandro Peixoto – Bateria

Ouça VÁLVERA em:

YouTube: www.youtube.com/valveraoficial
Apple Music: https://music.apple.com/br/artist/valvera/1043332035
Bandcamp:https://valvera.bandcamp.com
Soundcloud:https://soundcloud.com/valvera-music
Spotify: https://open.spotify.com/artist/3S87lwfQs6K1O1WsQrpPhz
Deezer: www.deezer.com/br/artist/8945888
Napster:https://br.napster.com/artist/valvera
Amazon Music:https://music.amazon.com/artists/B015TRXRMG

Mídias Sociais:

Site:www.valvera.com.br
Loja Virtual:www.valvera.lojavirtualnuvem.com.br
Facebook: www.facebook.com/bandavalvera
Instagram: www.instagram.com/valveraband
Twitter:twitter.com/valvera_oficial

Fonte: JZ PRESS

VÁLVERA: lança assustador novo videoclipe!

Publicado: 01/05/2021 por Pedro Mello em News
Tags:,

Os Heavy/Thrashers, apropriadamente chamados Neo-Thrashers, paulistanos do VÁLVERA lançaram seu fantástico e sinistro novo videoclipe para a faixa “The Damn Colony” no canal oficial da banda no Youtube (www.youtube.com/valveraoficial).

“The Damn Colony”, faixa presente no aclamado e elogiado trabalho da banda, “Cycle Of Disaster”, que teve seu vídeo pré-lançado dois dias antes em parceria com a Metal Hammer Portugal, é uma faixa baseada na horrenda história do Hospital Colônia de Barbacena, em Minas Gerais. Fundado em 1903 e com capacidade para 200 leitos, o hospital contava com uma média de 5.000 mil pacientes em 1961 e ficou conhecido pelo genocídio em massa ocorrido especialmente entre as décadas de 60 e 80. Trens com vagões lotados (chamados de “trens de doido”), semelhantes aos dos campos de concentração alemães, despejavam diariamente os “dejetos humanos” para “tratamento” no hospital.

Assista “The Damn Colony” (Official Video) em:

Ficha Técnica:

Direção e Fotografia:
 Plínio Scambora (@plinioscambora)
Direção de Arte/Produção Geral: Raquel Tejada (@quel_tejada)
Assistentes de Produção: Aline Lopes (@a_linelopes) e Rennan Carlos (@rcarlos.arch)
Produtoção de Set: Matheus Sabino (@sabinofilmes)
Making Of Still: Fabrício Silva (@fabricioluizs)
Maquiagem: Fabrícia Rodrigues

Atores: Carla Costa (@carla.csta), Pedro Pellegrino (@pellegrinopedro) e Jaque Rofer (@jaquerofer)

Figuração: Eluizio Felix (@eluiziofelix), Raquel Ferreira, Maria Luciene Oliveira, Rose Pereira, Sergio Machado (@_sergio.machado_), Bárbaro Xavier (@barbaroxavier), Karla Camioli (@karlacamioli), Carla Gobato (@cacagobato), Sebastião Vieira e Matheus Aiello (@aiello.mclion)

“É um assunto realmente horrendo, sinistro e até inacreditável de se acreditar. Nesse hospital, as roupas das pessoas eram arrancadas, seus cabelos raspados e seus nomes apagados. Nus no corpo e na identidade, a humanidade sequestrada, homens, mulheres e até mesmo crianças comiam ratos e fezes, bebiam esgoto ou urina, dormiam sobre capim, eram espancados e violentados até a morte”, comentou Gabriel Prado.

Estima-se que cerca de 70% dos internados não tinham qualquer diagnóstico de doença mental. O hospital era destinado para a contenção dos indesejáveis, com função de higienização e sanitarismo da localidade, ou seja, “pessoas não agradáveis e incômodas” para alguém com mais poder, como opositores políticos, prostitutas, homossexuais, mendigos, pessoas sem documentos, epiléticos, alcoolistas, meninas grávidas e violentadas por seus patrões, esposas confinadas para que o marido pudesse morar com a amante, filhas de fazendeiros que perderam a virgindade antes do casamento, entre outros grupos marginalizados na sociedade.

“Os pacientes do Colônia morriam de frio, de fome, de doença. Morriam também de choque. Em alguns dias os eletrochoques eram tantos e tão fortes que a sobrecarga derrubava a rede do município. Nos períodos de maior lotação, 16 pessoas morriam a cada dia e ao morrer, davam lucro. Entre 1969 e 1980, mais de 1.800 corpos de pacientes do manicômio foram vendidos para 17 faculdades de medicina do país, sem que ninguém questionasse. Quando houve excesso de cadáveres e o mercado encolheu, os corpos passaram a ser decompostos em ácido, no pátio da Colônia, na frente dos pacientes ainda vivos, para que as ossadas pudessem ser comercializadas”, comentou Rodrigo Torres.

O psiquiatra italiano Franco Basaglia, pioneiro na luta antimanicomial na Itália, esteve no Brasil e conheceu o Colônia em 1979. Na ocasião, chamou uma coletiva de imprensa e desabafou: “Estive hoje num campo de concentração nazista. Em lugar nenhum do mundo, presenciei uma tragédia como essa.”

“Os números exorbitantes e silenciados (por mais de 50 anos) das execuções sumárias, frias e violentas que ocorreram no hospital Colônia de Barbacena superam, e muito, as mortes registradas e ocultadas na ditadura militar brasileira (dentre índios, camponeses, perseguidos políticos etc.). Superam inclusive os números das mais sangrentas ditaduras da América Latina, Chile com mais de 40 mil e Argentina com mais de 30 mil mortos”, comentou Glauber Barreto.

“Como artistas que somos, temos a obrigação de falar, de ser a voz do povo, de trazer perguntas e respostas para que as coisas assim nunca mais aconteçam”, finalizou Leandro Peixoto.

Mais Informações:

“Cycle Of Disaster”, terceiro álbum de estúdio dos paulistanos do Válvera, foi lançado em agosto de 2020 via Brutal Records (EUA e Canadá), Plastic Head (Europa) e Voice Music (Brasil), e vem recebendo excelentes críticas pelos fãs e imprensa especializada brasileira e mundial, inclusive sendo listado como um dos melhores lançamentos de 2020 em muitos sites, revistas e veículos respeitados dentro e fora do país.

Gravado no Dual Noise Studio, em São Paulo/SP, produzido pela banda em conjunto com o Rogério Wecko (masterização, mixagem e engenharia de som) e com arte de capa pelo experiente Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, Metal Allegiance, Kreator), esse trabalho vem recebendo excelentes críticas não só no Brasil, como também no exterior, e está sendo considerado por muitos como um dos grandes lançamentos do ano. “Cycle Of Disaster” já se encontra à venda em CD físico nas melhores lojas especializadas e também disponível nas tradicionais plataformas mundiais de streaming.

Formação:

Glauber Barreto – Vocal/Guitarra
Rodrigo Torres – Guitarra
Gabriel Prado – Baixo
Leandro Peixoto – Bateria

Ouça VÁLVERA em:

YouTube: www.youtube.com/valveraoficial
Apple Music: https://music.apple.com/br/artist/valvera/1043332035
Bandcamp:https://valvera.bandcamp.com
Soundcloud:https://soundcloud.com/valvera-music
Spotify: https://open.spotify.com/artist/3S87lwfQs6K1O1WsQrpPhz
Deezer: www.deezer.com/br/artist/8945888
Napster:https://br.napster.com/artist/valvera
Amazon Music:https://music.amazon.com/artists/B015TRXRMG

Mídias Sociais:

Site:www.valvera.com.br
Loja Virtual:www.valvera.lojavirtualnuvem.com.br
Facebook: www.facebook.com/bandavalvera
Instagram: www.instagram.com/valveraband
Twitter:twitter.com/valvera_oficial

JZ PRESS

Próximo domingo, dia 4 de outubro, o palco do tradicional Rock Bar de São Paulo, Manifesto Rock Bar, vai tremer com as apresentações das bandas paulistanas Andralls (Thrash Metal) e Válvera (Heavy/Thrash Metal).

O Andralls, que continua divulgando seu mais recente trabalho, “Bleeding For Thrash”, iniciará a devastação Thrash exatamente às 20h, e o Válvera, que fará seu show de lançamento do novo álbum, “Cycle Of Disaster”, continuará o massacre às 21h, com transmissão ao vivo através do canal oficial do Manifesto Bar no YouTube!

Válvera convida a todos em:
https://www.facebook.com/bandavalvera/videos/2476840215953786/

Se inscrevam e ativem as notificações:
https://www.youtube.com/user/ManifestoBar666

A grande novidade dessa Live Autoral é que, agora, a casa estará aberta ao público, com 40% de sua capacidade total e seguindo todos os protocolos de segurança! Reserve já sua mesa diretamente com o Manifesto! Ingressos também estarão à venda na porta no valor de R$ 35,00, com abertura da casa às 18h.

Enquanto os shows forem acontecendo, um link para vakinha online estará a disposição de todos que queiram apoiar as bandas e a casa nesses tempos difíceis de pandemia. Ajude você também, com qualquer valor, no link http://vaka.me/1351898.

Evento no facebook:
https://www.facebook.com/events/2411980222438169

A banda de Heavy/Thrash Metal de Votuporanga, São Paulo, Válvera, que vem atingindo grande notabilidade no Brasil e no exterior, lançou dia 28 de agosto seu novo álbum “Cycle Of Disaster”, via Brutal Records (EUA e Canadá), Proper Music (Europa) e Voice Music (Brasil).

Gravado no Dual Noise Studio, em São Paulo/SP, produzido pela banda em conjunto com o Rogério Wecko (masterização, mixagem e engenharia de som) e com arte de capa pelo experiente Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, Metal Allegiance, Kreator), esse trabalho vem recebendo excelentes críticas não só no Brasil, como também no exterior, e está sendo considerado por muitos como um dos grandes lançamentos do ano. “Cycle Of Disaster” já se encontra à venda em CD físico nas melhores lojas especializadas e também disponível nas tradicionais plataformas mundiais de streaming.

Confira Lyric Video para “Glow Of Death” em:

Confira Lyric Video de “Born In A Dead Planet” em:

Confira Teaser de todas faixas de “Cycle Of Disaster” em:

Confira Playthrough de “Glow Of Death” com Gabriel Prado (baixista) em:

Loja virtual/Smart Link em:
https://snd.click/iami


Formação:

Glauber Barreto – Vocal/Guitarra
Rodrigo Torrer – Guitarra
Gabriel Prado – Baixo
Leandro Peixoto – Bateria


Discografia:

“Cidade em Caos” (Álbum/2015)
“Demons Of War” (Single/2017)
“Back To Hell” (Álbum/2017)
“Bringer Of Evil” (Single/2019)
“Glow Of Death” (Single/2020)
“Born In A Dead Planet” (Single/2020)
“Cycle Of Disaster” (Álbum/2020)


Ouça VÁLVERA em:

YouTube: www.youtube.com/valveraoficial
Apple Music: https://music.apple.com/br/artist/valvera/1043332035
Bandcamp: https://valvera.bandcamp.com/
Soundcloud: https://soundcloud.com/valvera-music
Spotify: https://open.spotify.com/artist/3S87lwfQs6K1O1WsQrpPhz
Deezer: https://www.deezer.com/br/artist/8945888
Napster: https://us.napster.com/artist/valvera
Amazon Music: https://music.amazon.com/artists/B015TRXRMG


Mídias Sociais:

Site: www.valvera.com.br
Facebook: www.facebook.com/bandavalvera
Instagram: www.instagram.com/valveraband
Twitter: twitter.com/valvera_oficial


JZ PRESS

Os paulistas do Válvera soltaram um teaser com 15 segundos de cada faixa presente no novo e terceiro álbum da carreira, “Cycle Of Disaster”, a ser lançado dia 28 de agosto, via Brutal Records (EUA & Canadá), Proper Music (Europa) e Voice Music (Brasil). Esse novo trabalho vem recebendo excelentes críticas não só no Brasil como também no exterior e a procura está sendo grande desde que a pré-venda foi anunciada em julho! Links da loja virtual da banda e das pré-vendas mundiais mais abaixo.

Confira teaser de “Cycle Of Disaster” em:

1- Nothing Left To Burn
2- Cycle Of Disaster
3- Glow Of Death
4- The Damn Colony
5- All Systems Fall
6- Born On A Dead Planet
7- O.S. 1977
8- Fight For Your Life
9- Bringer Of Evil

“Cycle Of Disaster” foi gravado no Dual Noise Studio 2020, em São Paulo/SP, produzido pela banda em conjunto com o Rogério Wecko (masterização, mixagem e engenharia de som) e arte de capa pelo experiente Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, Metal Allegiance, Kreator).

Confira Lyric Video para “Glow Of Death” em:

Confira Teaser do Lyric Video para “Born On A Dead Planet” em:

Confira Playthrough de “Glow Of Death” com Gabriel Prado (baixista) em:

Loja virtual em:
www.valvera.lojavirtualnuvem.com.br

Pré-venda Brutal Records (USA & Canada) em:
https://cutt.ly/YiODMNl

Pré-venda Proper Music (Europe & Worldwide) em:
https://cutt.ly/8iOSGjR

Pré-venda Voice Music (Brasil) em breve!

Formação:

Glauber Barreto – Vocal/Guitarra
Rodrigo Torrer – Guitarra
Gabriel Prado – Baixo
Leandro Peixoto – Bateria

Discografia:

“Cidade em Caos” (Álbum/2015)
“Demons Of War” (Single/2017)
“Back To Hell” (Álbum/2017)
“Bringer Of Evil” (Single/2019)
“Glow Of Death” (Single/2020)
“Cycle Of Disaster” (Álbum/2020)

Ouça VÁLVERA em:

YouTube: www.youtube.com/valveraoficial
Apple Music:https://music.apple.com/br/artist/valvera/1043332035
Bandcamp:https://valvera.bandcamp.com/
Spotify: https://open.spotify.com/artist/3S87lwfQs6K1O1WsQrpPhz
Deezer:https://www.deezer.com/br/artist/8945888
Napster:https://us.napster.com/artist/valvera
Amazon Music:https://music.amazon.com/artists/B015TRXRMG

Mídias Sociais:

Site:www.valvera.com.br
E-mail:bandavalvera@gmail.com
Facebook: www.facebook.com/bandavalvera
Instagram:www.instagram.com/valveraband
Twitter:twitter.com/valvera_oficial
Loja Virtual:www.valvera.lojavirtualnuvem.com.br

JZ PRESS

VÁLVERA: “Cycle Of Disaster” New Release August 28 / 2020

Publicado: 13/08/2020 por Pedro Mello em News
Tags:,

Válvera uses the “ambient” or “atmospheric” Thrash riff, a melodic phrase line concluding abruptly in a prolonged resolution to center each riff and create a mesmerizing effect on the listener. 

Vocals are shouted with a centric approach of early evil thrash metal frosting on them as they urge transitions using thrash-style conveyances, shifting directly from a riff to a new thematic riff that becomes understandable as continuous only after its transfer via the context of vocal harmony.

Enjoying the abrupt, this band alternate between structures with no warning and in the style of the South American school, make sense of their riffs in context of song structure and in that mindset often dive or leap to a change unpredictably, with a fire of acquisition. 

Rolling riffs of fast tunneled tremolo connect songs in a sequence of tone and rhythm, flowing into one another and rejoining on the snap command of circular song structure to begin again a cycle. With a real taste for a coherent but beautiful aesthetic, the music of Válvera moves fluidly, with disjointed song structures rectified by such distinctive riffs and bridges as to make this unconfusable with any other band.

Lyrics are mainly fantastic, focusing on the history of which addresses various catastrophes that happened in Brazil and its people. Deliberate songwriting with simple implements and intents clarifies into immersive and sensual sound. 

Percussion is accurate and like all instrumentalism, of an intentionally minimalist framework to ensure complete execution. 

Válvera “Glow of Death” lyric video is about a Cesium-137 radioactive contamination, the biggest civilian radiation accident in history, that took place in Goiânia (BRA), in 1987

Recorded at Dual Noise Studio 2020 | Engineered by Rogério Wecko | Mixed and Master by Rogério Wecko. Cover artwork by Marcelo Vasco | Photography Benassi Bass lines recorded by Ziel Lagoin

MEMBERS:
Glauber Barreto (vocal/guitarist)
Rodrigo Torres (guitarist)
Gabriel Prado (bass player)
Leandro Peixoto (drummer)

TRACKLIST:
1 – Nothing Left To Burn
2 – Cycle Of Disaster
3 – Glow Of Death
4 – The Damn Colony
5 – All Systems Fall
6 – Born On A Dead Planet
7 – O.S. 1977
8 – Fight For Your Life
9 – Bringer Of Evil

Online:
www.valvera.com.br
bandavalvera@gmail.com
www.youtube.com/valveraoficial
www.facebook.com/bandavalvera
  instagram: @valveraband
  twitter: valvera_oficial

Label Info:USA & Canada
https://www.brutalrecords.com/
https://brutalrecords.us/
https://brutalrecords.bandcamp.com/
https://soundcloud.com/brutalrecordshttps://www.instagram.com/brutalrecords.official/
https://www.facebook.com/BrutalRecords.USA/https://twitter.com/BrutalRecordsUS

Brutal Records Youtube Channel
https://cutt.ly/Eiant7R

Brutal Records

098258

Válvera uses the “ambient” or “atmospheric” Thrash riff, a melodic phrase line concluding abruptly in a prolonged resolution to center each riff and create a mesmerizing effect on the listener.

Vocals are shouted with a centric approach of early evil thrash metal frosting on them as they urge transitions using thrash-style conveyances, shifting directly from a riff to a new thematic riff that becomes understandable as continuous only after its transfer via the context of vocal harmony.

Enjoying the abrupt, this band alternate between structures with no warning and in the style of the South American school, make sense of their riffs in context of song structure and in that mindset often dive or leap to a change unpredictably, with a fire of acquisition.

Rolling riffs of fast tunneled tremolo connect songs in a sequence of tone and rhythm, flowing into one another and rejoining on the snap command of circular song structure to begin again a cycle. With a real taste for a coherent but beautiful aesthetic, the music of Válvera moves fluidly, with disjointed song structures rectified by such distinctive riffs and bridges as to make this unconfusable with any other band.

Lyrics are mainly fantastic, focusing on the history of which addresses various catastrophes that happened in Brazil and its people. Deliberate songwriting with simple implements and intents clarifies into immersive and sensual sound.

Percussion is accurate and like all instrumentalism, of an intentionally minimalist framework to ensure complete execution.

Válvera “Glow of Death” lyric video is about a Cesium-137 radioactive contamination, the biggest civilian radiation accident in history, that took place in Goiânia (BRA), in 1987

Recorded at Dual Noise Studio 2020 | Engineered by Rogério Wecko | Mixed and Master by Rogério Wecko. Cover artwork by Marcelo Vasco | Photography Benassi Bass lines recorded by Ziel Lagoin

MEMBERS:
Glauber Barreto (vocal/guitarist)
Rodrigo Torres (guitarist)
Gabriel Prado (bass player)
Leandro Peixoto (drummer)

“Nothing Left To Burn,” kicks off proceedings, with a haunting bass line. Then when the guitars kick in you know something frenetic is about to happen, when the big riffs start, the answer is provided. A brilliant way to kick things off.

“Cycle Of Disaster,” another epic monster song that combines traditional thrash riffage with some superb melodies.

“Glow Of Death,” works into overtime the sense of chaos and destruction.
“The Damn Colony,” a song that veers one way and then another. One that produces something simply fantastical.

“All Systems Fall,” a brutal riff homage to the end of time.

“Born On A Dead Planet,” hits hard. A song that combines the chaos of the riff with the monstrous vocal abilities of Glauber Barreto to deliver a stand our performance.

“O.S. 1977,” a riff sandwich that really swings things hard.

“Fight For Your Life,” a song that merges melody and shred together in a fantastic delivery.

“Bringer Of Evil,” slams and finishes off in style.

TRACKLIST:
1 – Nothing Left To Burn
2 – Cycle Of Disaster
3 – Glow Of Death
4 – The Damn Colony
5 – All Systems Fall
6 – Born On A Dead Planet
7 – O.S. 1977
8 – Fight For Your Life
9 – Bringer Of Evil

Online:

http://www.valvera.com.br
bandavalvera@gmail.com
http://www.youtube.com/valveraoficial
http://www.facebook.com/bandavalvera
instagram: @valveraband
twitter: valvera_oficial

Label Info:

USA & Canada
https://www.brutalrecords.com/
https://brutalrecords.us/
https://brutalrecords.bandcamp.com/
https://soundcloud.com/brutalrecords
https://www.instagram.com/brutalrecords.official/
https://www.facebook.com/BrutalRecords.USA/
https://twitter.com/BrutalRecordsUS

Brutal Records Youtube Channel
https://cutt.ly/Eiant7R

 

Brutal Records