Posts com Tag ‘Stratosphere Project’

O músico Flávio Brandão, da cidade de Nova Iguaçu-RJ, responsável pelo Stratosphere Project, anunciou o lançamento de seu site e de uma música exclusiva e inédita para o portal. Ouça “Desert Sun” acessando o site abaixo e navegue para conhecer mais sobre a banda:

www.stratosphereproject.com.br

“Desert Sun” é uma versão Demo para a canção “State of Euphoria”, faixa do álbum de estreia do Stratosphere Project, lançado em 2020, sob o nome de “Stratosphere”. A letra e a melodia vocal da música desde o início possuía duas versões para uma mesma faixa instrumental, sendo a original escrita pelo vocalista alemão Ludvik, e a segunda pelo próprio Flávio Brandão, que nesta nova estreia foi gravada pelo vocalista espanhol Ivar Bergelin, atualmente residente na suécia. Ivar tem um histórico de bandas de Metal Extremo e o Stratosphere Project foi sua primeira atuação como vocal de Power Metal.

Ouça a versão original abaixo:

Flavio Brandão foi guitarrista das bandas cariocas de Power Metal, LifeStealing, entre 1996 e 2003, e de Rock Nacional, Delta S, de 2002 a 2004. Influenciado por diversas vertentes do Heavy Metal e do Classic Rock, Flavio se dedicou a música por mais de 20 anos, retornando sua atenção aos projetos musicais em 2016, onde gravou alguns tributos experimentais com alguns amigos para que, em 2019, iniciasse o protótipo do que viria a ser o Stratosphere Project, fundado oficialmente em 2020, e que atualmente já possui quatro álbuns completos já lançados. Ouça mais abaixo:

Sobre o lançamento do site, criado pelo próprio músico, Flávio comentou:

“Eu construí o site pensando na possibilidade de agregar todos os conteúdos em um lugar só. Hoje em dia as redes sociais, principalmente o Instagram, tem políticas de uso um pouco obscuras, isso dificulta um pouco tanto o alcance como o engajamento no nosso conteúdo como artista. Com um site dedicado basta uma procura no Google e a pessoa terá acesso a todas as informações necessárias sobre a banda em um lugar só”.

“A ideia de trazer versões demo foi um feedback que tive dos meus seguidores recentemente. Eu perguntei se gostariam de ouvir e muitos responderam que sim, afinal, se existisse uma versão alternativa de “Eagle Fly Free”, do Helloween, você não gostaria de ouvir? É um presente pra quem me acompanha quase que diariamente no projeto, seja ouvindo nos serviços de streaming, engajando nos posts ou lendo os meus textos no recém inaugurado Blog. Interagir com as pessoas é o que me traz satisfação principalmente em saber que essas pessoas gostam do que eu faço”, acrescentou Flávio sobre a “Desert Sun”.

Saiba mais sobre o Stratosphere Project e todos os seus lançamentos através do Instagram @stratosphereproject

Hell Yeah Music Company

O músico, compositor e multi instrumentista, Flávio Brandão, lançou neste dia 03 de Junho o disco “LifeStealing Years”, do Stratosphere Project. Ouça o álbum aqui:

Sobre o lançamento do álbum, Flávio Brandão comentou:

“Lifestealing Years é o auge de todo o projeto idealizado por mim, o Stratosphere Project, com a consolidação de todas as minhas habilidades em uma bela homenagem a minha extinta banda de power metal dos anos 90 do underground carioca, Lifestealing. São 7 faixas, compostas por mim em conjunto com Tacito Reis (Lifestealing, Mistrust), Igor Thurler (Lifestealing, Ocean Soul), Allan Saint’clair (Lifestealing) e Claudio Mendes (Lifestealing, Genesis Experiment). Vastamente influenciado por bandas como Stratovarius, Helloween, Rhapsody e até Kamelot, o álbum busca trazer ao público versões revitalizadas das músicas compostas nos anos 90. Com belíssimas interpretações dos convidados de várias partes do Brasil e do mundo, trago a luz essas composições que ficaram quase esquecidas no tempo”.

Confira a lista completa de convidados:

Vocais: Lean Van Ranna (Brasil, kin wagon, Auryah) em Galadriel’s Mirror, Curse of Troia e Far Beyond the Land; Gus Castro (Brasil, Dagor Sorhdeam) em Here I Go; Ricardo Janke (Brasil, Sefirot, Chrysalïd) em Immortal Eyes; Aldeir Donovan (DonLean, Chrysalïd) em Soldiers of Eternity; Bruna Soares (Brasil) vocais em Curse of Troia; Rebecca Riss (USA) vocais em Far Beyond the Land;

Guitarra solo: Claudio Mendes (Brasil, ex-LifeStealing) Solo final em Curse of Troia;

Assista aqui também o Video Collab de “Far Beyond the Land”, com participação de Lean Van Ranna, Rebecca Riss e Roberto Barth:

Hell Yeah Music Company

O Stratosphere Project, projeto do músico, compositor e multi instrumentista, Flávio Brandão, lançou nesta sexta-feira, 13 de Maio, o seu novo single, “Immortal Eyes”, dando o pontapé para o lançamento de seu próximo álbum, “LifeStealing Years”. Composta, produzida e executada pelo próprio Flávio Brandão, “Immortal Eyes” já está disponível em todas as plataformas de streaming e pode ser conferida abaixo:

Para o lançamento de “LifeStealing Years”, Flávio contou com inúmeros convidados nacionais e internacionais, que enriqueceram as composições com suas próprias interpretações e singularidades. O single “Immortal Eyes”, especificamente, contou com a colaboração do músico Ricardo Janke nos vocais.

Sobre o lançamento, Flávio Brandão comentou:

“Immortal Eyes, composta em 1997, é uma canção de Power Metal inspirada em bandas como Stratovarius, Helloween, entre muitas bandas famosas da época. Eu participei ativamente do desenvolvimento dessa música junto com meus antigos colegas de banda, Igor Thurler, Tácito Reis e Allan Saint’Clair, e rearranjei em 2021 para o lançamento do EP “Lifestealing Years”. A letra fala sobre um ser imortal que se deslumbra com o mundo ao seu redor”.

Enquanto o novo álbum não sai, conheça mais sobre o projeto através dos discos lançados anteriormente:

Hell Yeah Music Company

“Stratosphere Project” é o novo projeto do músico Flávio Brandão. “Depersonalization” é um álbum semi conceitual, onde o músico assina todas as guitarras, baixo, teclados e arranjos de bateria, e convidou vocalistas do mundo inteiro para participar do disco de power metal. Todas as composições são criadas pelo musicista, que é também responsável pela parte técnica de pré e pós-produção dos álbuns. O disco “Depersonalization” se encontra disponível para audição em todas as plataformas de streaming.

As quatro primeiras faixas de “Depersonalization” vem com a ideia de passar por um conjunto de transtornos da mente. As demais músicas não fazem parte desse conceito diretamente, mas tem suas temáticas ora subjetivas, ora inspiradas em ideias dos compositores sobre a vida ou sobre histórias. A música tema do álbum trata da despersonalização, um sintoma muito peculiar em portadores de diversos transtornos onde a pessoa perde a noção da realidade e não sabe mais diferenciar se o que está vendo é, na verdade, um sonho lúcido ou uma alucinação.

Projeto formado no final de 2019, iniciou suas atividades de forma despretensiosa, e consistia de músicas colaborativas focadas no power metal de bandas como Helloween, Stratovarius, Masterplan, entre muitas outras influências musicais. “Stratosphere Projec” – “Depersonalization” conta com a participação dos vocalistas Volker Siefer, Rainer Michael Ludvik, Lean Van Ranna, Gus Castro e Michael Hos.

Sobre as Musicas:
Apathy (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – O álbum inicia com Apathy em um pequeno trecho de um prelúdio inspirado em Bach 935. Em seguida, a música escala para uma levada power metal clássico fortemente inspirada em Helloween e Gamma Ray. Nos vocais temos Volker Siefert.

Depersonalization (Harmonia por Flavio Brandão, Letras por Ludvik) – Assim como descrito na explicação conceitual do álbum. Depersonalization trata de forma suave sobre um sintoma severo em quadros bipolares e de esquizofrenia. Mesmo descrevendo de forma lírica um sintoma de um transtorno, a música traz em seu refrão a ideia de perseverança sobre a tristeza. A levada é muito forte porém cadenciada. Uma fórmula fortemente inspirada nas bandas de power metal do final dos anos 1980 e 1990. Nos vocais temos Rainer Michael Ludvik.

Delusion (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Delusion traz reflexões sobre o dia a dia de um portador de esquizofrenia que passa diariamente por delírios. Em uma levada cadenciada, a letra diz muito sobre o sentimento de abandono emocional em que os portadores passam, levado muitas vezes pela falta de compreensão das pessoas ao seu redor. Nos vocais temos Lean Van Ranna.

Hallucination (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Hallucination vem com inspiração dos neoclássicos da década de 90 com uma levada ao estilo Helloween nos primórdios com Kai e Kiske. A letra fala sobre a prova de fogo que é passar por um quadro alucinatório. Nos vocais temos Volker Siefert.

Silver Line (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Essa música é bem subjetiva, fala um pouco sobre as lutas diárias e o confronto contra nós mesmos em nosso cotidiano e como é possível sempre ver um lado positivo até mesmo na guerra que enfrentamos todos os dias de nossas vidas. A música em si é um heavy metal tradicional com raízes em bandas como Judas Priest. Nos vocais Gus Castro.

Last Call (Harmonia por Flavio Brandão, Letras por Ludvik) – Em Last Call Ludvik faz uma analogia com voos sobre oportunidades perdidas na vida. Às vezes deixamos passar oportunidades únicas na vida por não ter certeza do que realmente queremos. Em levada cadenciada, a música evolui de um lick com uma levada forte da guitarra que desenha a harmonia para os vocais únicos de Ludvik. Nos vocais temos Rainer Michael Ludvik.

Twilight Storm (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Essa música é temática e trata sobre uma tropa medieval de guerreiros que lutam contra forças sombrias, a chamada Twilight Storm. Com uma levada rápida e fortemente inspirada em Gamma Ray e Stratovarius, essa música se destaca com sua pequena orquestração inspirada na vigésima quinta de Mozart. Nos vocais temos Lean Van Ranna.

Hey Mary (Harmonia por Flavio Brandão, Letra por Flavio Brandão e Michael Hos) – Essa música trata de um relacionamento quebrado onde o locutor pede perdão a Mary por seus erros passados. É uma balada romântica que destoa um pouco do álbum mas que faz sentido em um contexto de vida do compositor Flavio. Com uma levada mais rock, ela mistura um pouco do acústico e das guitarras distorcidas para dar o clima de arrependimento. Nos vocais Michael Hos.

Confira:

Collapse Agency