Posts com Tag ‘Pedro Salvador’

capa

Agressividade roqueira antigoverno e anti-capital é o que traz Pedro Salvador (Necro, Messias Elétrico) em “Traste”, seu novo EP solo. Dialogando com a raiva e a revolta que brotam na sociedade contemporânea, Pedro grava todos os instrumentos e apresenta uma sonoridade hard/blues/psicodélica sem floreios. Com 4 canções, inclui uma releitura de “Cheiro de Gasolina”, composta por Carmen Cunha (Lammia, Carmen Blues), músicas de compositores do underground alagoano (Roberto Teodósio e Holanda Jr), e uma composição de Pedro.

Lançamento dia 10 de julho no bandcamp (pedro-salvador.bandcamp.com) e nas demais plataformas de streaming via Voragem.

Para ouvir: 

https://www.youtube.com/watch?v=ir-jAULJlwE&feature=youtu.be  

https://soundcloud.com/pedro_salvador/sets/pedro-salvador-traste-ep-2020/s-h7gtLi4Ws6B 

instagram e twitter: @pedrivus

https://voragem.bandcamp.com/  

“Num mundo tão ruidoso, faz falta parar pra ouvir.

Sempre acreditei que músicas falam conosco, contam histórias, guardam nossas memórias, registram opiniões, eternizam amores e também gritam revoltas. Em meio a uma pandemia, onde olhar pro outro é repensar nossas prioridades individuais, eis que calhou de um trabalho de produção “tão solo” falar e pensar o coletivo.

Solo, mas falando conversando com os sentimentos de um monte de gente, “Traste” é o novo EP do Pedro, um álbum – segundo ele mesmo – curto e mais agressivo.

As versões soam Pedro, embora somente a última música – “Na sujeira da cidade deixarei o meu penar até morrer” – seja de sua autoria.

As quatro faixas soam como uma revolução dançada, cada uma num ritmo, uma  hora jogando energicamente pra cima tanto pesar que guardamos ao longo de nossas caminhadas individuais e sociais, falando sobre expectativas e talvez mantendo uma versão até otimista de que haverá um tempo a se curtir pós-tempestade. É importante lembrar, sobretudo em 2020, que vandalismo é valorizar vidraças, bancos e economia frente à existência das pessoas e que nenhuma revolução será pacífica.

“Traste” como um todo, parece ser sobre pessoas, parece sobre a vida de muita gente, parece sobre mim, parece sobre você. A verdade é que o mundo tá acabando e felizmente sendo recriado todos os dias. Junto a ele, nós também estamos passando, então não vale muito a pena assistir sem participar de tudo isso.

Por isso posicionem-se, mas também tome um fôlego. Acolha – ao menos com o olhar – não só quem caminha ombro a ombro a sua caminhada, mas todas as pessoas que precisam urgentemente serem vistas em nosso bairro, cidade, estado ou país. Cuide-se, mantenha-se vivo, faça você mesmo, mas sempre que precisar peça ajuda.

Pra mim e pra muitas pessoas, seria muito mais difícil entender e participar disso tudo sem música.
Portanto, pare um pouco pra ouvir sempre que possível e escolha bem sua trilha sonora para o fim do mundo.”

(Bárbara Oliveira, enfermeira obstétrica, professora e ouvidora de música)

“De certa forma, “Traste” é uma continuação das explorações que fiz em “Glitch Witch”. Uma busca pelo equilíbrio entre agressividade e lirismo através dos caminhos sonoros do que se chamava antigamente “hardão setentista” – um amálgama de blues, funk, jazz e r&b tocado com instrumentos distorcidos em alto volume, a música negra do norte atravessando a eletricidade. Mas enquanto “Glitch Witch” foca, liricamente,  nas fronteiras da percepção e cognição humanas, “Traste” pisa no chão com pés descalços. São canções urgentes, que transpiram raiva e frustração. A 3 primeiras, de Holanda Jr, Carmen Cunha e Roberto Teodósio, respectivamente, foram compostas há anos, no entanto dialogam perfeitamente com o Agora. E até que consigamos deter a marcha destruidora do capital sobre nossas sobrevivências e afetos, estas músicas continuarão poderosas e necessárias.”
(Pedro Salvador)

Voragem Discos

thumbnail (3).jpg

Guitarrista da Necro lança EP instrumental de quatro músicas nas plataformas de streaming pela Abraxas Records – Foto: Gabriel Passos

Com quatro músicas instrumentais de rock progressivo apimentado pela psicodelia brasileira e jazz rock, o EP ‘Objetos no Céu’ mostra mais uma vez um Pedro Salvador (guitarrista da Necro e Messias Elétrico) versátil e inspirado. O novo material do músico está disponível nas principais plataformas de streaming, lançado pela Abraxas Records: https://ONErpm.lnk.to/PedroSalvador.

Todos os instrumentos foram gravados por Pedro, que também assina a produção e a capa do EP. Na faixa título, a música é transcendental, como conta o músico. “Tem uma intenção ‘tecno-onírica’, um clima baseado nas sensações que antigas fotos de ovnis transmitem”. A harmonização, em acordes menores, deixa tudo meio suspenso, sem resolução, “tal qual os clássicos relatos de avistamentos celestes”, completa Pedro.

thumbnail (4).jpgJá ‘Flagelo Moderno’ experimenta células rítmicas da bateria. A música possui um núcleo percussivo e os demais instrumentos utilizados por Pedro aparecem entre arranjos ora afrobeat, ora highlife. “E as guitarras escapuliram para territórios baianos”, conta.

Na carreira solo, explica Pedro, a veia experimental está mais evidente se comparado ao trabalha da Necro, mais orientado ao rock progressivo psicodélico. “Na Necro existe uma troca com mais duas mentes, é um exercício de cooperação e coletividade. Quando é algo solo, posso me expressar de forma mais direta e sem filtros”, ele conversa.

Algumas das novas músicas serão tocadas ao vivo pela primeira vez ainda neste mês de maio. No Rio de Janeiro, Pedro Salvador toca dia 20/5 no Coletivo Machina e dia 26/5 no Escritório.

Recentemente, Pedro participou de dois lançamentos da Abraxas: ‘Origens 2 – Adaptação’, de Alessandro Aru, e ‘Utopia’, de Lillian Lessa (baixista do Necro e Messias Elétrico).

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia

 

stone house on fire.png

Foto: Stone House on Fire (Divulgação)​

O projeto Las Quintas, de fomento ao rock autoral no Rio de Janeiro com produção das quatro principais produtoras cariocas – Abraxas, Collapse Agency, Speed Rock e Flecha Discos -, retorna à casa de show La Esquina nesta quinta-feira (14 de setembro), a partir das 19h30. 

Assim como na primeira edição, o Las Quintas abre espaço para mais três bandas que estão em evidência nos respectivos segmentos: a local Stone House on Fire, referência nacional da cena stoner, o alagoano Pedro Salvador (guitarrista da Necro) em turnê do psicodélico e multifacetado álbum solo e, também do Rio, a Spiritual Void, uma grata revelação do southern metal.  

Além da música, a segunda edição do projeto recebe a arte vintage do Brechó Soledade, de roupa a vinis. As boas vindas ao La Esquina será com welcome shots de Jägermeister para os primeiros que chegarem, mas também haverá promoções de bebida durante o happy hour.

O La Esquina mantém o projeto em todas as quintas-feiras de setembro. Na próxima semana, dia 21, tem Deaf Kids, Carbo e Os Estudantes; Garage Fuzz, Hover e N.D.R Hardcore participam da última edição no dia 28, e as produtoras já pretendem divulgar nos próximos dias as atrações para as quintas de outubro.

AS BANDAS

Após uma turnê de 28 shows pela Europa, o Stone House on Fire é um dos principais nomes da cena stoner e heavy psych do Brasil, combinando peso e riffs poderosos que alternam entre rápidos e psicodélicos, muito fuzz oitavado e belas melodias de voz. Formado por Andre Leal, Kleber Mariano, Leonardo Moore e Marcus Oliveira, o SHOF é, sem dúvida, é uma das grandes promessas da cena rock autoral brasileira.

Pedro Salvador é um músico alagoano que participou e participa de diversos projetos, como as bandas Necro, Messias Elétrico, Jude e outras. Ao mesmo tempo, Pedro também toca suas músicas no formato solo, já tendo lançado 3 Eps e um álbum. Ao vivo, se apresenta com um trio de rock em alto volume: guitarra, baixo e bateria. O último lançamento de Pedro, um álbum auto-intitulado, está disponível nas principais plataformas de streaming.

Spiritual Void surgiu em junho de 2012 com a ideia de Thiago Norvico (vocal), Wendell Lavor (guitarra) e Roger Avlis (guitarra), de fazer um som tendo como base suas bandas favoritas (Black Sabbath, Pantera, Down, Trouble, Corrosion of Conformity e entre outras). Com o mesmo foco, se juntaram a banda, Rubens de Castro (baixo) e Henrique Silva (bateria) para fazer um som com o pé nas raízes setentistas, com peso atual.

Las quintas - todos os diasSERVIÇO
2º Las Quintas – Stone House on Fire, Pedro Salvador e Spiritual Void
Evento no facebook: https://www.facebook .com/events/1952765248344572
Data: 14 de setembro de 2017
Horário: a partir das 19h30
Local: La Esquina
Endereço: Avenida Mem de Sá, 61 – Lapa/Rio de Janeiro
Ingresso: R$ 15 (com nome na lista – nome nos comentários em post fixo no evento do facebook); R$ 20 (sem nome na lista). 
Ingresso para o Garage Fuzz (encerramento): R$ 25 – https://www.sympla.com.br/la s-quintas—todas-as-quintas-d e-setembro-no-la-esquina__1806 01

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia