Posts com Tag ‘Hard Point’

O Metalcore Fest chega à 12ª edição no dia 9 de outubro, em São Paulo, com um lineup formado por oito bandas que ganham cada vez mais destaque na música pesada nacional. O Central Music Hall (avenida Celso Garcia 1277, Belenzinho) será o palco para Sea Smile, Hard Point, Black Days, A Última Theoria, Cruzando 7 Céus, Bravecore, Incêndio e Delaware.

Apontada pela produção do evento como a ‘edição revolucionária’, este será o terceiro Metalcore Fest somente em 2022, após dois anos em stand by devido à pandemia. É mais uma realização para reafirmar a marca entre as relevantes realizações do metal/rock independente na capital paulista.

A paulistana Sea Smile é hoje um ícone do metalcore brasileiro, com 12 anos de bagagem com seu som pesado e moderno. Já foi bandas de abertura para representantes máximos internacionais do estilo, como We Came As Romans e Bullet For My Valentine. Atualmente está na reta final para o lançamento do novo disco, Vortex.

O Hard Point, que entrou no lugar da Savant Inc, é a representante do stoner rock no 12º Metalcore Fest e pertence ao cast da Viking Records. A banda carioca lançou recentemente o EP Live at Koruja Studio, que tem versões ao vivo de singles e músicas de outros registros.

O Black Days está com nova formação e uma sonoridade ainda mais moderna, entre o post-hardcore, hardcore, pop e elementos eletrônicos. Já abriram shows de bandas internacionais como Dance Gavin Dance, The Amity Affliction, Citizen e This Wild Life e atualmente divulgam o novo single ‘Groselha’.

A Última Theoria, do cast da potente Canil Records, recém-lançou a música ‘A Culpa’, que posiciona o quarteto como um dos mais criativos e expressivos do metal moderno nacional, sempre com ideias e composições impecáveis de XTudo – que é também o responsável por toda concepção gráfica da 12ª edição do Metalcore Fest.

Cruzando 7 Céus é a banda do ilustre vocalista Guilherme Chaves, que atualmente também é a voz do influente John Wayne.

A Bravecore é uma banda paulistana de metalcore/groove metal criada em 2018 influenciada por As I Lay Dying, Lamb Of God, Devildriver, Asking Alexandria, Dream Theather, Meshuggah, Project 46, John Wayne e outras. Este ano, em janeiro, foi lançado o primeiro EP, Devastação.

Representante do post -hardcore, o Incêndio é a conexão Indaiatuba/Salto/Valinhos que desde 2018 é nome frequente em festivais do interior paulista e na capital, ganhando cada vez mais projeção.

O Delaware é metalcore de impacto e cativante, formada em meados de 2014 em Itaquaquecetuba (SP), onde ganhou notória projeção na cena local, principalmente com o lançamento do pesado EP ‘Início do Caos’.

Além das bandas, o 12º Metalcore Fest ainda terá discotecagem do DJ Big Felix (Metalcore) e do DJ Tato (Trance/House).

Acompanhe as novidades do fest em www.instagram.com/metalcore_fest.

O Metalcore Fest

O Metalcore Fest nasceu em março de 2018 pelo experiente produtor Leandro Chechter, o então baterista da banda de metalcore L..O.T.U.S (Lados ocultos transformando o último sistema), de Guarulhos.

Esta é a Edição Revolução devido ao salto proporcionado por Chechter à nova edição, principalmente em relação ao lineup e também na estrutura do evento, agora locado na ampla e completa casa de show Central Music Hall.

Nas palavras do produtor, a 12ª edição será uma “experiência diferenciada, em uma casa de show muito maior que as anteriores, com equipamento de ponta, e relevância das bandas contratadas, além de apoios de peso e sorteio de uma guitarra Studebaker SSS Black”.

Serviço

12º Metalcore Fest
Data: 9 de outubro de 2022
Horário: a partir das 13h
Local: Central Music Hall
Endereço: Avenida Celso Garcia, 1277 – Belenzeninho/São Paulo
Ingresso: R$ 30,00 (+ R$ 3,00 taxa) – 2º Lote
Vendas on-line: https://www.sympla.com.br/evento/metalcore-fest-12-revolucao/1690584

Apoio

Viking Records, Tedesco Mídia, Prostick, Haeresis, Lendas.RJ, Montreal Music Shop, Studebaker Guitars, Associação Cultural Rock De Guarulhos, Caos Bar, Edson Junior Fotografia, Deceptacon, Sandra Chechter & Vânia Tramontino Arquitetura.

Tedesco Mídia

Electric Sessions é um projeto que visa mostrar os lançamentos do selo latino americano Electric Funeral Records, em formato ao vivo trazendo o melhor da música independente. Um dos novos e grandes representantes do Stoner Rock carioca, a banda carioca Hard Point apresenta a faixa “The Reckoning”.

A música “The Reckoning”, com uma pegada Stoner inspirada em “Queens of Stone Age”, é um verdadeiro acerto de contas do eu-lírico com as expectativas que o sistema que vivemos estabelece sobre nós. As composições da banda transitam por vários estilos, destacando-se a influência do stoner rock, do metal alternativo e do grunge.

O quarteto une o melhor do stoner rock a nuances de southern rock, trazendo a faixa um clima intimista/hipnotizante, com grande destaque ao vocal que alcança um timbre perfeito para o estilo musical. 

Assista ao Hard Point no Electric Sessions: 

Electric Funeral

A banda  de stoner rock, Hard Point, lança seu novo single “Inner Monsters” em todas as plataformas de streaming pelo selo latino americano Electric Funeral Records . A faixa que quase deu nome a banda, apresenta a simples premissa de que todos nós temos um monstro interior, não é mesmo? A composição mais antiga do grupo é uma representação fiel da proposta da mesma: um som pesado, stoner, com uma letra na mesma proporção.  Confira “Inner Monsters”: https://onerpm.link/657171233027

A composição veio de uma parceria entre Alex Carvalho e Igor Pinguim, e traz riffs marcantes de guitarra, uma levada na bateria marcada no bumbo constante e um ritmo quebrado entre caixa e pratos. A letra, baseada em um poema de Diego de Souza, estabelece um personagem que não se reconhece mais na própria paranóia. O final da música, inclusive, encontra uma brincadeira onde as vozes respondem às preocupações do personagem da canção em forma de coro. A letra diz “Keep on calling me” (continua me chamando) e o backing responde, como se fosse o chamado: “Hey”. Na mesma linha, o personagem fala que isso que ele está sentindo é como se fosse heroína. Há um sentimento de atordoamento. Só o que ela busca é “endorfina” que é justamente uma substância que o corpo desenvolve para suportar situações de estresse.  

A mixagem e produção final da música foi feita por Celo Oliveira, músico das bandas Fleesh e Hydria, que tem trabalho de produção já consolidado no meio do rock e metal. Essa parceria foi o que proporcionou a sonoridade agressiva e em alguma medida angustiada da canção. A capa é mais um projeto do vocalista, Emanuel Morais, que brinca com os monstros favoritos de cada integrante da banda em uma verdadeira metamorfose. Você consegue identificar todos? E o mais importante: consegue se identificar?

Collapse Agency