Posts com Tag ‘Gangrena Gasosa’

69330997_2525586654164264_8352690081856749568_n.jpg

MISSA NEGRA Produções, Areninha Carioca Renato Russo e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro apresentam: GANGRENA GASOSA NA ILHA DO GOVERNADOR!

A tradicional banda carioca criadora do estilo “Saravá Metal” Gangrena Gasosa invade a Ilha novamente com um show altamente nuclear misturando Heavy Metal, Hardcore e regado a Pontos de Candomblé.

Completando o line up teremos as bandas cariocas Wartank, Vicious e CrowHead (lançando seu primeiro disco), que juntas garantem o caos e o som pesado regado a muito stoner, grunge, thrash metal e rock n’ roll.

O evento conta ainda com:
– DJ Haole;
– Estandes de venda;
– Drinkeria;
– Serviços de barbearia;
– Sorteio de brindes;
– Cervejas Artesanais.

DATA: 11 de outubro
ABERTURA DA CASA: 21h
VALOR: R$20,00 (meia entrada)

PONTOS DE VENDA*:
– Bilheteria da Arena;
– Tudo Nosso Rock Bar (Praia da Bica, Quiosque 21 – Jd. Guanabara)
– Elilson Barbearia (R. Coatata, 121 – Cacuia)
– Com as bandas / Produção

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 18 anos
(Menores somente com responsável)

COMO CHEGAR:
A Areninha Carioca Renato Russo fica no Parque Manoel Bandeira (Aterro do Cocotá) e é um dos locais mais acessíveis da Ilha, por onde passam diversos ônibus municipais (que fazem parada no terminal BRT Fundão) e intermunicipais.

LINHAS:
322, 328 – Candelária x Bananal (Av. Brasil)
323 – Castelo x Bananal (L. Vermelha)
327 – Castelo x Ribeira (L. Vermelha)
634 – Saens Peña x Bananal (Av. Brasil)
696 – Méier x Praia do Dendê (Av. Brasil)
739L – Vilar dos Teles x Aterro do Cocotá

APOIO*:
Grita Dagradi
Hard Rock Pizza
Tudo Nosso Rock Bar
Estúdio Anderson Engel
KRX Mídia
Elilson Barbearia
Baixo Ilha Underground Group
Mamp Abreu Tattoo
Cervejaria Penélope
Cervejaria São Patrício
Coletivo Guanabara Bay Area Heavy Music

REALIZAÇÃO:
Missa Negra Produções, Areninha Carioca Renato Russo e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

57034749_2286226031433662_922221214657675264_o.jpg

Prefeitura do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro apresentam:

>GANGRENA GASOSA

Um batuque sombrio surge dos terreiros de Candomblé. Formada no Rio de Janeiro, a Gangrena Gasosa e suas entidades cruzam elementos da cultura afro-brasileira na sua música incorporando uma mistura de metal com hardcore regado a pontos de Candomblé.

A Gangrena Gasosa é:
Angelo Arede (Zé Pelintra) – Voz
Eder Santana (Omulu) – Voz
Minoru Murakami (Exu Caveira) – Guitarra
Diego Padilha (Tranca-Rua) – Baixo
Gê (Pomba Gira) – Percussão

Esse show marca a estreia do novo baterista, Alex Porto!
Seja bem vindo, Exu Tiriri!

>TAMUYA THRASH TRIBE

A banda, formada em 2010, é composta por Luciano Vassan, Leonardo Emanoel, João Paulo Mugrabi, Paula Perez e JP Rodrigues. o Tamuya Thrash Tribe faz um som pesado e distorcido, com letras que misturam inglês, português e até o tupi guarani, com riffs elaborados e batidas arrasadoras, aliados a um vocal que passeia por diversas texturas que vão desde o gutural mais agressivo ao limpo e melódico. Essa mistura de elementos que une o peso e a força do Thrash Metal a elementos da música brasileira como Maracatu, Maculelê, Samba, Ritmos indígenas, Africanos, dentre outros, é o principal alicerce da identidade da banda.

E mais:

Oficina de bateria para garotas da Hi Hat Girls Magazine
*Curtam a página e fiquem atentas às inscrições!

SERVIÇO

Local: Arena Carioca Fernando Torres
Endereço: Rua Bernardino de Andrade n• 200, entrada Portão 4, Parque de Madureira
Data: 10/05/19 (sexta-feira)
Horário: 19hs
Classificação: 12 Anos
Ingresso: R$ 10 (meia entrada) | R$ 20 (inteira)

 

Luciano Vassan

89ad2df2d6033477aea6519c1e0e773d.jpg

Sua banda predileta de forrócore e o único grupo saravá do planeta se reúnem para uma noite de pura selvageria. RAIMUNDOS apresenta seu repertório imbatível de clássicos da punkadaria verde amarelo e o GANGRENA GASOSA lança seu 4º álbum de estúdio, ‘Gente Ruim Só Manda Lembrança Pra Quem Não Presta’. Seus tímpanos nunca mais serão os mesmos!

:::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::: 
Raimundos + Gangrena Gasosa
Data: Sexta, 04/05
Abertura dos Portões: 22:00
Local: Circo Voador

1º Lote:*
R$ 40 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 40 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 40 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 80 (inteira)

2º Lote:*
R$ 50 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 50 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 50 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 100 (inteira)
*Lote sujeito a alteração sem aviso prévio

Ingressos à venda na bilheteria do Circo e na Ingresso Rápido pelo link http://bit.ly/RaimundosnoCirco

2018-02-21-gangrenaeraimundos-765x496.jpg

Sua banda predileta de forrócore e o único grupo saravá do planeta se reúnem para uma noite de pura selvageria. RAIMUNDOS apresenta seu repertório imbatível de clássicos da punkadaria verde amarelo e o GANGRENA GASOSA lança seu 4º álbum de estúdio, ‘Gente Ruim Só Manda Lembrança Pra Quem Não Presta’. Seus tímpanos nunca mais serão os mesmos!

:::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::: ::::::::::::::::::::::::::::
Raimundos + Gangrena Gasosa
Data: Sexta, 04/05
Abertura dos Portões: 22:00
Local: Circo Voador

1º Lote:*
R$ 40 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 40 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 40 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 80 (inteira)

2º Lote:*
R$ 50 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 50 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 50 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 100 (inteira)
*Lote sujeito a alteração sem aviso prévio

Ingressos à venda na bilheteria do Circo e na Ingresso Rápido pelo link: http://bit.ly/RaimundosnoCirco

Sem título2.jpg

Em 1987, quatro brasilienses resolveram misturar os dois estilos que mais curtiam: o forró pé se serra de Zenilton com o punk melódico dos Ramones. Assim surgia os Raimundos e o rock brasileiro nunca mais foi o mesmo. Agora chegou a hora de homenagear a banda que deu origem a tudo com um show especialmente dedicado ao melhor do cancioneiro ramônico. No sábado, dia 12, o Circo traz o Raimundos Rock Fest, com Raimundos tocando um set especial só de músicas do Ramones – além de seus maiores sucessos –, a maior banda de Saravá Metal de todos os tempos, o Gangrena Gasosa, e uma lenda do rock candango pela primeira vez no Circo, o Galinha Preta.

Não dá pra dimensionar a influência dos Ramones na música mundial. Estima-se que duas em cada duas bandas boas ouviram alguma música dos protopunks nova-iorquinos antes de resolver tocar. Poucas, porém são tão ligadas a obra dos Ramones quanto os Raimundos. A começar pelo nome, seguindo pela pegada, melodia, rapidez e distorção. É possível ouvir nitidamente a vibe ramoniana em cada nota emitida pelos Raimundos. Músicas como ‘Pequena Raimunda’ reforçam ainda mais a devoção pelos quatro cabeludos do apocalipse. Já era hora de um show dedicado a essa instituição do rock mundial.

No repertório, clássicos como ‘Sheena is a Punk Rocker’, ‘Rockaway Beach’, ‘Blitzkrieg Bop’, ‘Teenage Lobotomy’ e ‘I Wanna Live’ serão metralhados sem dó nem piedade naquela velocidade créu 5. Músicas mais melodiosas como ‘Strenght to Endure’, ‘I Believe in Miracles’ e ‘Poison Heart’ ganham versões mais fiéis à gravação, de um jeito que nem os originais tocavam ao vivo. E ainda tem ‘California Sun’, ‘Bonzo Goes to Bitburg’ e muito mais.

Para compôr a primeira e insana edição do Raimundos Rock Fest, Digão, Canisso, Marquin e Caio convidaram duas bandas que, como eles, souberam reinventar um gênero gringo misturando estilos genuinamente brazucas para criar algo totalmente novo e absolutamente foda. O Gangrena Gasosa surgiu como uma resposta ao metal gringo, que cultuava entidades demoníacas estrangeiras ao invés de dar valor ao diabo nacional. Na ativa desde 1990, a banda carioca foi responsável por algumas obras primas da zoação headbanger como “Se Deus é Dez, Satanás é 666”, “Smells Like Tenda Espírita”, “Troops of Olodum” e “Welcome to Terreiro”. Nesse show, a Gangrena lança seu fanzine “Amputação” e mostra algumas novidades que farão parte do próximo disco.

Já os Galinha Preta são uma verdadeira lenda do rock candango, na ativa desde 2002, com um hardcore direto e agudo como uma bicuda nos bagos. Formado por Frango Kaos (vocal, samplers, guitarra), Bruno Tartalho (baixo), Japonês (guitarra) e Guilherme Tanner (bateria), eles abordam temáticas positivas em canções super do bem como “Ninguém Nesse Mundo é Porra Nenhuma”, “Sodomizaram Kadafi” e “Roubaram meu Rim”.

Se você acha que o mundo está muito coxinha, curte um som rápido e pesado, enfim, se você quer ver o oco, o Raimundos Rock Fest é a noite que vai restaurar sua fé na humanidade! Gabba Gabba Hey cabra da peste!

:::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::: ::::::::::::::::::::::
Raimundos Rock Fest
Raimundos toca Ramones + Gangrena gasosa + Galinha Preta

1º Lote:*
R$ 50 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 50 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 50 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 100 (inteira)


*Lote sujeito à alteração sem aviso prévio

12592694_1019359801467423_3309003969004213485_n

Em 1987 quatro brasilienses resolveram misturar os dois estilos que mais curtiam: O forró pé de serra de Zenilton com o punk melódico dos Ramones. Surgia os Raimundos e o rock brasileiro nunca mais foi o mesmo.

Agora chegou a hora de homenagear a banda que deu origem a série com um show especialmente dedicado ao melhor do cancioneiro ramônico. Nesse sabado, dia 12/03, o Circo traz o Raimundos Rock Fest, com o Raimundos tocando um set especial só de músicas do Ramones, além de seus maiores sucessos. E ainda a maior banda de Saravá Metal de todos os tempos, o Gangrena Gasosa e uma lenda do rock candango pela primeira vez no Circo, os Galinha Preta!

Não dá pra dimensionar a influência dos Ramones na música mundial. Estima-se que duas a cada duas bandas boas ouviram alguma música dos protopunks novaiorquinos antes de resolver tocar. Poucas porém estão ligadas a obra dos Ramones quanto os Raimundos.

A começar pelo nome, seguindo pela pegada, melodia, rapidez e distorção, ouve-se nitidamente a vibe ramoniana em cada nota emitida pelos Raimundos. Músicas como Pequena Raimunda reforçam ainda mais a devoção pelos quatro cabeludos do apocalipse. Já era hora de um show dedicado a essa instituição do rock mundial.

No repertório, clássicos como Sheena is a Punk Rocker, Rockway Beach, Blitzkrieg Bop, Teenage Lobotomy e I Wanna Live serão metralhados sem dó nem piedade naquela velocidade Créu 5. Músicas mais melodiosas como Straight to Endure, I Believe in Miracles e Poison Heart ganham versões mais fiéis a gravação, de um jeito que nem os originais tocavam ao vivo. E ainda tem California Sun, Bonzo Goes to Bitburgh e muito mais.

Para compôr a primeira e insana edição do Raimundos Rock Fest, Digão, Canisso, Marquin e Caio convidaram duas bandas que como eles, souberam reinventar um gênero gringo misturando estilos genuinamente brazucas para criar algo totalmente novo e absolutamente foda!

O Gangrena Gasosa surgiu como uma resposta ao metal gringo, que cultuava entidades demoníacas estrangeiras ao invés de dar valor ao diabo nacional. Na ativa desde 1990, a banda carioca cometeu algumas obras primas da zoação headbanger como “Se Deus é Dez, Satanás é 666”, “Smells Like Tenda Espirita”, “Troops of Olodum” e “Welcome to Terreiro”. Nesse show, a Gangrena lança seu fanzine “Amputação” e mostra algumas novidades que farão parte do próximo disco.

Os Galinha Preta são uma verdadeira lenda do rock candango, na ativa desde 2002 com um hardcore direto e agudo como uma bicuda nos bagos. Formado por Frango Kaos (vocal, samplers, guitarra), Bruno Tartalho (baixo), Japonez (guitarra) e Guilherme Tanner (bateria), eles abordam temáticas positivas em canções super do bem como “Ninguém Nesse Mundo é Porra Nenhuma”, “Sodomizaram Kadafi” e “Roubaram meu Rim”.

Se você acha que o mundo tá muito coxinha, curte som rápido e pesado, enfim, se voce quer ver o oco, o Raimundos Rock Fest é a noite que vai restaurar sua fé na humanidade! Gabba Gabba Hey cabra da peste!

:::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::: ::::::::::::::::::::::
Raimundos Rock Fest
Raimundos toca Ramones + Gangrena gasosa + Galinha Preta

1º Lote:*
R$ 50 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 50 (cliente Odeon que apresentar ingresso de algum filme do cinema ou cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 50 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 100 (inteira)
*Lote sujeito à alteração sem aviso prévio

JA(83)

Behemoth no palco do Circo Voador

Uma chuva fina depois de um dia de Sol, clima abafado, sufocante. E neste clima infernal é que os cariocas receberam pela primeira vez os poloneses do Behemoth. A banda vinha de uma apresentação arrasadora em São Paulo no sábado e segundo informações, no Rio não seria diferente. O evento contou também com mais duas bandas, a debutante Tellus Terror e a infame Gangrena Gasosa.

As portas do Circo Voador abriram no horário, o público teve a oportunidade de adquirir merchandising das bandas, além de uma variedade de camisas e material novo da Unearthly, que eu indico a aquisição. A primeira banda a subir ao palco foi a Tellus Terror, banda que vem divulgando o surpreendente debut – Ez Life DV8.

O som da casa estava excepcional e alto como sempre; a Tellus Terror aproveitou a oportunidade para a gravação do show para um lançamento futuro. A banda portou-se muito bem no palco, mesmo com pouco tempo de formação, teve uma postura muito madura e espero vê-los usando um espaço maior para tirar minha dúvida sobre a movimentação de palco dos integrantes.

JA(21)

Zé Pelintra a frente da Gangrena Gasosa

Depois da primeira boa impressão causada pela Tellus Terror, era hora de uma das bandas mais infames e adoradas do underground carioca, a Gangrena Gasosa. No momento em que a banda subiu ao palco, o público já poderia ser considerado mediano e agitou sem parar ao som do Saravá Metal do Gangrena.

Clássicos como “Centro do Pica Pau Amarelo”, “A Supervia Informa”, “Vem Nariz”, “Eu Não Entendi Matrix” foram desferidos. A banda dominou o palco e fez a galera cantar e curtir, a frase do vocalista Zé Pelintra – “Satan vai ser depois, agora aqui é Satanás!” – parecia ter surtido efeito, a Gangrena Gasosa se portou como dona da casa e mandou muitíssimo bem.

Terminado o set da Gangrena Gasosa, era hora dos poloneses do Behemoth adentrarem ao palco. Divulgando seu último trabalho, ‘The Satanist’ (2014), e com incensos posicionados vem a execução da introdução “Blow Your Trumpets Gabriel”. Para quem não sabe, o anjo (que não é o mesmo que arcanjo) Gabriel soará suas trombetas e anunciará a chegada dos quatro cavaleiros do apocalipse no fim dos tempos e esse era o prenúncio da entrada dos quatro cavaleiros do Behemoth.

JA(43)

Adam Nergal

O baterista Inferno foi o primeiro a assumir seu posto, logo em seguida Seth (Guitarra) e Orion (Baixo) assumiram suas posições como dois pilares ao lado da bateria e pareciam uma espécie de escolta para a entrada de Nergal, com o grande público gritando seu nome. Nergal sobe ao palco e incita os fãs.

A banda começa o show com “Ora Pro Nobits Lucifer” (The Satanist, 2014) e faz com que todos se agitem. Os poloneses sabiam bem o que fazer para a platéia: “Conquer All” (Demigod, 2004), Decade Of Therion (Satanica, 1999) e As Above So Below (Zos Kia Cultus (Here And Beyond), 2002) deram sequência ao show.

A banda se mostrava muito simpática e receptiva com o público, a satisfação era notória nos olhares dos membros da banda, alguns sorrisos de contentamento no canto das bocas dos integrantes poderiam ser vistos, e o Behemoth mostrou como uma grande banda deve se portar. Como pode-se notar com as faixas apresentadas, a banda decidiu mostrar seu total poderio de fogo conquistado em sua carreira em sua primeira passagem pelo Rio de Janeiro.

JA(111)

Orion, braços abertos para os fãs do Rio

O Behemoth conta com dois grandes nomes a sua frente: Nergal e Orion dominam o palco como poucos. Nergal carrega chamas, passa defumador no palco, rasga páginas da Bíblia, vocifera blasfêmias mas sabe comandar um show como ninguém. A banda manteve o ritmo da apresentação para o prazer, e a dor, dos pescoços do público. Terminado o set principal, o coro gritando pelos poloneses era alto, e a banda volta mascarada para a execução da excepcional e nova O Father O Satan O Sun.

Noite excepcional para os cariocas e certamente um dos melhores shows que passaram pelo Brasil em 2014. Simplesmente excepcional.

 

Setlist Behemoth: Blow Your Trumpets Gabriel / Ora Pro Nobis Lucifer / Conquer All / Decade of Therion / As Above So Below / Slaves Shall Serve / Christians to the Lions / The Satanist / Ov Fire and the Void / Furor Divinus / Ludzie Wschodu (Siekiera cover) / Alas, Lord Is Upon Me / At the Left Hand ov God / Chant for Eschaton 2000 / Bis: O Father O Satan O Sun!