Posts com Tag ‘DFC’

Evento tem as bandas Overkill e Tankard (foto) como headliners – fotos: divulgação
Já começou a contagem regressiva para a tão aguardada primeira edição do Overload Beer Fest! A organização do evento revelou recentemente os horários das atrações que vão se apresentar, no próximo dia 3 de fevereiro, no Carioca Club, em São Paulo.

Serão mais de 8h ininterruptas com grandes representantes do thrash metal/hardcore no Brasil e no exterior, além de seguir os mesmos padrões de qualidade realizados durante as três históricas edições do Overload Music Fest.

O evento vai promover o encontro histórico de nomes consagrados como Overkill (EUA), Tankard (ALE) e Ratos de Porão, além de D.F.C., Surra e Blasthrash. Também haverá venda de cervejas artesanais*, burgers, lanches veganos e metal market.

Apesar da grande procura, os fãs ainda podem garantir presença adquirindo os ingressos disponíveis no site do Clube do Ingresso (https://www2.clubedoingresso.com/evento/overloadbeerfest) e pontos de venda autorizados. Mais informações no serviço abaixo.

Veja a programação oficial do Overload Beer Fest 2019:

Celebrando praticamente 40 anos de estrada, o Overkill, um dos nomes mais respeitados do thrash metal mundial, finalmente está de volta ao Brasil, após tanto tempo sem reencontrar os fãs. Bobby “Blitz” Ellsworth (vocal), Carlo “D.D.” Verni (baixo), Dave Linsk (guitarra), Derek Tailer (guitarra) e Jason Bittner (bateria) já vem promover o pesado novo álbum “The Wings Of War”, que será lançado, no dia 22 de fevereiro, via Nuclear Blast.

Já o Tankard não vê a hora de desembarcar e protagonizar mais uma histórica apresentação no País. Andreas “Gerre” Geremia (vocal), Frank Thorwarth (baixo), Olaf Zissel (bateria) e Andreas “Andy” Gutjahr (guitarra) não dispensam energia no palco com performances hilárias, mesmo tocando um poderoso thrash metal old school. Representante do “The Big Teutonic 4” ao lado de Kreator, Sodom e Destruction, o Tankard, desde a formação em 1982, na belíssima Frankfurt, segue na estrada sempre fazendo a diversão da galera ao exaltar a cerveja e as belas mulheres.

A lendária banda brasileira Ratos de Porão está pronta para mais uma vez tomar a capital paulista de assalto. Após longa tour do aclamado álbum “Século Sinistro”, João Gordo (vocal), Jão (guitarra), Juninho (baixo) e Boka (bateria) seguem mantendo a mesma vitalidade, força e irreverência do inicio de carreira. O quarteto possui uma longa discografia com álbuns que se tornaram clássicos absolutos como “Crucificados pelo Sistema” (1984), “Cada Dia Mais Sujo e Agressivo” (1987), “Brasil” (1989) e “Anarkophobia” (1990).

Quem também promete roubar a cena do Overload Beer Fest é o D.F.C. Donos de clássicos do hardcore nacional como “Igreja Quadrangular do Triângulo Redondo”, “O Massacre da Guitarra Elétrica” e “O Mal que vem para Pior”, o grupo brasiliense atualmente formado por Tulio (vocal), Miguel (guitarra), Leonardo (baixo) e Bruno (bateria) está completando 26 anos e não será um mero coadjuvante diante de tantos grandes nomes.

Representando a respeitada cena do hardcore santista, o Surra é atualmente formado por Leeo Mesquita (guitarra/vocal), Guilherme Elias (baixo/vocal) e Victor Miranda (bateria). Influenciados pelos riffs rápidos do Thrash Metal e pela linguagem direta e a atitude do hardcore punk, o power trio já dividiu palco com alguns dos principais nomes como Sepultura, Ratos de Porão, Dead Fish, Claustrofobia, D.F.C., Garage Fuzz, Project46 e até mesmo nomes internacionais como D.R.I. e Dr. Living Dead. Por falar em palcos, a banda se tornou conhecida pelo seu ritmo incansável de turnês. Desde 2012, já são mais de 250 shows por todas as regiões do Brasil e mais de 10 países da Europa.

O Blasthrash, um dos nomes mais respeitados do underground sul-americano, terá mais uma oportunidade para mostrar o poder do seu thrash metal diante dos fãs paulistanos. Após dividir o palco com Tankard, Assassin, Onslaught, Toxic Holocaust e Vader, Dario Viola (vocal), Jhon França (guitarra), Diego Rocha (guitarra), Diego Nogueira (baixo) e Rafael Sampaio (bateria) estão preparados para abrir a festividade em grande estilo.

*Se beber, não dirija! Opte por transporte público, táxi ou aplicativos de transporte privado. O Carioca Club fica ao lado da estação Faria Lima – Linha Amarela do Metrô.

Links relacionados:
https://www.facebook.com/OverkillWreckingCrew
https://www.facebook.com/tankardofficial
https://www.facebook.com/RatosdePoraoOficial
https://www.facebook.com/dfchaos
https://www.facebook.com/surrahardcore
https://www.facebook.com/Blasthrash
https://www.facebook.com/overloadbrasil
https://www.facebook.com/UltimateMusicPR

SERVIÇO SÃO PAULO
Overload orgulhosamente apresenta Overload Beer Fest
Line-up: Overkill, Tankard, Ratos de Porão, DFC, Surra e Blasthrash
Cervejas artesanais, burgers, lanches veganos e metal market

Data: domingo, 3 de fevereiro de 2019
Local: Carioca Club
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 – Pinheiros (próximo ao metrô Faria Lima)
Horário: 14h (open doors) | 15h (showtime)
Imprensa: press@theultimatemusic.com | 11 964.197.206
Evento Fb: https://www.facebook.com/events/2326945987376148
Classificação etária: 16 anos. Entre 14-16 anos somente acompanhado por pai ou mãe munidos de documentos.
Estacionamento: nas imediações (sem convênio)
Estrutura: ar condicionado, acesso para deficientes, área para fumantes

# SETORES / PREÇOS (1º lote)
– Pista meia/promocional: R$120
– Camarote meia/promocional: R$ 180,00
*O ingresso promocional antecipado é válido mediante a entrega de 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento.

# COMPRA PELA INTERNET – https://www2.clubedoingresso.com/evento/overloadbeerfest
# PONTO DE VENDA OFICIAL (sem taxa de serviço – apenas em dinheiro): bilheteria do Carioca Club
# PONTOS AUTORIZADOS (com taxa de conveniência):http://www.clubedoingresso.com/ondecomprar

**** Para a compra de ingressos para estudantes, aposentados e professores estaduais, os mesmos devem comparecer pessoalmente portando documento na bilheteria respectiva ao show ou nos pontos de venda. Esclarecemos que a venda de meia-entrada é direta, pessoal e intransferível e está condicionada ao comparecimento do titular da carteira estudantil no ato da compra e no dia do espetáculo, munido de documento que comprove condição prevista em lei;
***** A produção do evento NÃO se responsabiliza por ingressos comprados fora do site e pontos de venda oficiais;
****** É expressamente proibida a entrada com câmeras fotográficas e filmadoras profissionais ou semi-profissionais.

Fonte: The Ultimate Music Press

facebook_cidade_09.jpg

Evento será dia 20, no Martim Cererê, e contará ainda com os goianos da Chef Wong’s, This is Perro, Lobinho e os 3 Porcão e os paulistas da Sukinho di 10

O punk rock dará o tom na 9ª etapa do Cidade Rock, sábado, dia 20, no Martim Cererê. E essa edição contará com dois convidados especiais: o Sukinho di 10, vindo de Carapicuíba (SP), e o DFC, um dos maiores e mais tradicionais nomes do hardcore de Brasília. A noite conta ainda com os goianos do This is Perro, Lobinho e os 3 Porcão, Chef Wong’s e Señores.

Formada em 1993, a DFC (sigla para Distrito Federal Chaos) é uma das bandas mais antigas e tradicionais da cena brasiliense dos anos 90, a mesma que deu origem a nomes como Raimundos, Little Quail e Maskavo Roots. Influenciado por grupos como Dead Kennedys, Agnostic Front, Discharge, Suicidal Tendencies e Napalm Death, o DFC já lançou seis discos com “letras explícitas”, críticas e sarcásticas e que retratam o pior da sociedade brasileira. Violência, religião, política e drogas estão entre os temas abordados com freqüência pela banda que até hoje mantém a originalidade e o respeito dos fãs do hardcore pelo País.

Representante de peso do punk goiano, o Señores surgiu em 1999 e até hoje mantém sua formação original e o estilo. Já lançou três discos, sendo o último deles o conceitual Balões de Ar, inspirado em profundas mudanças pessoais pelas quais passaram os integrantes da banda, com perdas de pessoas importantes e engajamento em movimentos sociais. No disco, todas as 18 faixas constituem partes de uma mesma história sobre uma sociedade do futuro, em que cientistas e grandes empresários criam uma forma de se apropriar do ar da atmosfera. Atualmente a banda prepara mais um disco conceitual, Aqui é Chernobyl, que abordará as mazelas na terra do Césio 137.

Já a Sukinho di 10 é uma banda de punk rock bubblegum criada em 2002, no interior de São Paulo. O lema da banda é fazer música com diversão e bom humor num som altamente influenciado por Ramones, The Queers, Teenage Bottlerocket, Carbona e Holly Tree, entre outras.

Ramones é também a principal influência da Chef Wong’s. O power trio faz um punk rock rápido, direto, alto e também cheio de bom humor. A banda toca com freqüência nos festivais e pubs da cidade e lançou, ano passado, um EP digital com quatro músicas gravadas no Estúdio Volt, com o produtor Ricardo Darin.

Uma das mais antigas bandas punks em atividade em Goiânia, a Lobinho e os 3 Porcão é liderada por João Punk, figura bem conhecida do underground local. O grupo esteve recentemente em turnê pela América do Sul e também no festival Universo Paralelo, realizado durante o réveillon, no litoral da Bahia.

A 9ª edição do Cidade Rock será aberta por uma banda da nova geração do rock goiano, formada em Senador Canedo. A This is Perro é um trio que chama atenção pelas composições em português e arranjos que derivam do grunge, rap e hardcore, criando uma musicalidade totalmente independente de rótulos.

Evento: Cidade Rock 09

Shows com: DFC (DF), Señores, Chef Wong’s, Lobinho e os 3 Porcão, Sukinho di 10 (SP) e This is Perro

Data: Sábado, 20 de outubro, a partir das 19 horas

Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, Setor Sul)

ENTRADA FRANCA

Fonte: Roadie Metal

thumbnail.jpg

Nos últimos instantes da década de 1970, Warriors – Os Selvagens da Noite lotou cinemas e logo causou frenesi como um dos mais eletrizantes filmes de ação do momento, mostrando a realidade violenta das ruas e o engajamento de jovens em gangues para lutar contra o sistema. Não à toa as ideias do filme ganharam notoriedade na ainda incipiente cena punk rock brasileira nos anos seguintes e, como uma homenagem e reverência à época, a Agência Sobcontrole criou o Warriors Festival, que acontece dia 21 de julho no Espaço 555, com 10 bandas!

Periferia S.A., Skamoondongos, DFC, Surra, Cosmogonia, Norte Cartel, Direction, Faca Preta, Santa Muerte e Eskrötasão as bandas escaladas para a primeira edição do Warriors Fest, cujos ingressos já estão à venda online e, a partir do dia 27/5 também em pontos físicos, sem taxa (mais informações no serviço abaixo).

Assim como a gangue Warriors, protagonista do filme, que se aventurou pelas ruas de Nova Iorque para defender a integridade dos integrantes e escapar de armadilhas dos grupos rivais, as bandas do festival – da nova e velha geração punk/hardcore/crossover – representam a resistência da música de protesto ante modismos e as adversidades em estar na linha de frente do sempre sólido e persistente underground brasileiro.

Periferia S.A. – Jão, guitarrista e membro fundador da banda de hardcore/crossover thrash Ratos de Porão, também canta e toca guitarra no Periferia S.A com antigos integrantes do RDP, Jabá (baixo e vocal) e Dru (bateria). É um ícone nacional do punk de protesto que nasceu nos anos 80, ficou inativo por 23 anos e, reformulado desde 2014, está firme na proposta de executar um som intenso e agressivo com letras que colocam o dedo na ferida da sociedade e do retrógrado tradicionalismo.

Skamoondongos – O Warriors Fest recebe a primeira banda paulista de ska, formada em 1995. Os incontáveis shows dentro da cena punk e a perseverança para se consolidar levou o Skamoondongos a um incrível contrato com a gravadora Paradoxx, e assim chegaram e conquistaram fama além de um nicho. MTV, paradas de sucesso da rádio 89 são apenas alguns dos veículos por onde circularam constantemente nas décadas passadas. Reativada em 2014 por Axl Rude e Wellington Mello da formação clássica original, a banda é composta também por músicos experientes no cenário nacional, com passagens no Cólera, Radio Ska, Maleducados, Falsones, Nokaos, entre outras.

DFC – Molecada 666, Igreja Quadrada do Triângulo Redondo e O Mal Que Vem par Pior são títulos de músicas e álbuns desta lendária banda do Distrito Federal que permeiam o imaginário de qualquer fã de hardcore/crossover. Desde o início da década de 1990 fazem uma autêntica mistura de D.R.I., Attitude Adjustment, Varukers, Cryptic Slaughter, Dead Kennedys, Agnostic Front, Discharge, R.D.P., com canções cantadas em português repletas de sarcasmo.

Surra – Thrash punk antifascista, assim se autodeclara o Surra, que desde 2012 é mesmo uma porradaria – das boas. Os paulistas é hoje uma das bandas mais ativas e requisitadas da música pesada, com álbuns elogiadíssimos pela crítica e público: Bico na Cara (2012), Tamo na Merda (2016) e o EP Ainda Somos Culpados (2017). Já dividiu o palco com grandes nomes como Sepultura, Ratos de Porão, Project46, Dead Fish e Claustrofobia e tocou em grandes palcos e festivais, como o Hangar 110, Carioca Club, Oxigênio Fest e Roça’n’Roll.

Cosmogonia – Representante do Riot formada em 1993 em Osasco (SP) só por mulheres, a feminista Cosmogonia faz punk/hardcore agitado e energético. Entre 1998 e 2006 a banda gravou alguns singles e participou de coletâneas. Voltou em 2017 após um hiato de 12 anos com Gabi nos vocais, Maria Esther na guitarra e Dani na bateria, oriundas da formação de 2005 a 2007. Farol no baixo se junta à banda no final do ano passado. Ouça ‘O Sentir que Violenta’, uma música que resume a criatividade e ferocidade das mensagens da banda.

Norte Cartel – O hardcore rápido e ácido dos cariocas ecoa há mais de 10 anos pelo mundo, oriundo das cinzas da seminal Solstício e cujo norte é sempre as raízes nova-iorquinas eternizadas por Madball, Sick of it All e Warzone. O debut Fiel à Tradição e o segundo álbum, De Volta ao Jogo, são registros que colocam o Norte Cartel no alto escalão do hc nacional que prega respeito, amizade e união.

Direction – Banda nova, velhos conhecidos do punk/hardcore no Brasil. O Direction foi formado em 2016 por Thiago de Jesus, André Vieland, Rafael Stringasci e Fausto Oi, que tocam ou tocaram em bandas seminais da cena, como Good Intentions, Inspire, Live By The Fist e Dedication. O time de peso lançou o debut Mesmo Horizonte no mesmo ano em que nasceu, onde apresentam 10 músicas calcadas numa sonoridade old school, com muita melodia.

Faca Preta – O autêntico street punk do Faca Preta está em plena crescente e hoje a banda é uma das mais empolgantes da cena. Foi formada em 2013 por experientes músicos do underground nacional e tem, hoje, Marcelo na bateria, que também é baterista do Chuva Negra. Na bagagem, um EP de 2016, com o hit São Paulo, e o single Vida Dura, que saiu na coletânea Para Incomodar Vol.2, organizada pela Hearts Bleed Blue e Semper Adversus.

Santa Muerte – É latente a influência do thrash metal e do crossover oitentista na música do Santa Muerte, banda formada por três meninas na capital paulista em 2012. O som rápido e cru, popularmente apontado como “direto e reto”, ganha autenticidade pela voz estridente de Marília Massaro, também a guitarrista.

Eskröta – Mais uma representante do thrash 80 formado apenas por mulheres, o Eskröta aposta em riffs metalizados e na verve punk. O power-trio está na ativa desde o ano passado e atualmente divulgam o EP Eticamente Questionável, masterizado por Prika Amaral (Nervosa) e mixado por Leeo Mesquita (Surra).

SERVIÇO

Warriors Festival

Evento: www.facebook.com/warriorsfest

Data: 21 de julho de 2018

Horário: das 14 horas às 22 horas

Local: Espaço 555

Endereço: Avenida São João, 555 – Centro/SP (próximo à Estação República do metro e da Galeria do Rock)

Ingresso: R$ 30 (1º lote – estudante e promocional); R$ 40 (2º lote – estudante e promocional)

Online: https://ticketbrasil.com.br/festival/6093-warriorsfestival-saopaulo-sp/ingressos

Físico (sem taxa): Galeria do Rock, na Loja 255 (1º andar, tel 3361-6951); Penha, na Ska Skate (rua Capitão João Cesário, 79, tel 2305-7000)

Ingressos nos pontos físicos somente a partir do dia 27.05.

Censura: 14 anos. Menor de 14 somente acompanhado com responsável

 

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia