Posts com Tag ‘Crappy Jazz’

mail (1)

O recém lançado ‘Véspera’, o primeiro álbum do Crappy Jazz já nas principais plataformas de streaming, a partir deste mês de agosto começa a ser divulgado também ao vivo. O duo se apresenta nesta quinta-feira, 9/8, no Estação Café Brasil, em Londrina, na companhia das bandas Peixe Cobra (Curitiba) e Vulgar Gods(Londrina).

Entre o groove, o peso e ritmos percussivos, o noise rock do Crappy Jazz ganha ainda mais autenticidade por cantar em português. ‘Véspera’ tem 11 faixas, compostas por Silva Leonel (baixo e vocal) e Yuri Muller (bateria e vocal) e produzidas no Estúdio Pai Muller, em Cambé. A masterização ficou por conta de Chris Hanzsek (EUA), que tem no currículo trabalhos com Soundgarden, Nando Reis e Far From Alaska. Ouça o disco aqui: http://tratore.com.br/smartlink/vespera.

O Peixe Cobra faz um competente post-rock com influências de Tortoise e Mogwai, junto a referências a ritmos como afrobit e outras brasilidades. A sonoridade ímpar, com um quê experimental, pode ser conferida no disco de estreia homônimo, lançado no início deste ano.

Conterrâneos do Crappy Jazz, o Vulgar Gods mistura rock psicodélico, punk rock e stoner. A banda tem um álbum, ‘Queen of Sound’, e se prepara para o lançamento do novo single, ‘Theodore’.

mailSERVIÇO 
Crappy Jazz divulga ‘Véspera’ em Londrina 

Evento: https://www.facebook.com/events/838554303017310 
Bandas: Crappy Jazz, Peixe Cobra e Vulgar Gods 
Data: 9 de agosto de 2018 
Horário: 21 horas 
Local: Estação Café Brasil 
Endereço: Rua Humaitá, 472, Londrina/PR 
Ingresso: R$ 8

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia

mail.jpg

Véspera, na etnologia da palavra, pressupõe expectativas e esperas, uma ponte entre o futuro e o passado. Mas longe de meros conceitos, estas noções estão presentes nas músicas do duo de noise rock Crappy Jazz, de Londrina, que lança o primeiro álbum Véspera nas principais plataformas de streaming, com distribuição digital da Tratore.

Ouça aqui: https://tinyurl.com/y84yo2ue (Youtube) e https://tinyurl.com/yaceadae (Spotify).

O noise rock de Véspera é repleto de groove e ritmos percussivos. Outra característica marcante na proposta do Crappy Jazz é cantar em português, e desta forma, as músicas soam bastante orgânicas, com uma crueza ímpar. Os singles ‘Subitamente’ e ‘Djenga’, presentes no disco de estreia, são temas que evidenciam peso entre riffs marcantes e andamentos ora cadenciados, ora agressivos. Nação Zumbi, Sepultura e System of a Down são referências que situam por onde caminha – musicalmente – o duo londrinense.

Yuri Muller (bateria, vocal, percussão e piano) e Silva Leonel (baixo, backing vocal, percussão e ruídos), os mentores do Crappy Jazz, compuseram as 11 faixas de Véspera em distintos momentos desde que a banda foi formada, em 2015. Para eles, o trabalho gradativo na produção do disco de estreia acompanha a evolução musical e pessoal de cada um.

“Evoluímos, com o tempo, na forma de compor e arranjar tudo. Há desde faixas mais diretas, como ‘Não me vê’, uma das primeiras faixas que fizemos e lançamos, até canções como ‘Abismo’, uma das últimas composições do álbum com essa introdução meio climática”, explica Silva.

A escolha do renomado artista gráfico norte-americano Jesse Draxler para a capa de Véspera, sintetiza esteticamente o que o Crappy Jazz faz na música. Draxler, quem tem artes para o rapper hype Kendrick Lammar e com a banda Deafheaven, criou uma expressão como se fosse o resultado de todas as músicas do disco tocadas ao mesmo tempo na mente de uma pessoa, onde ela consegue visualizar algo cada vez que “olha” (escuta) esses pensamentos (letras) tendo, assim, suas interpretações. “Um conflito entre o ouvinte e o som”, resume Yuri.

O álbum, produzido por Yuri Muller, foi gravado e mixado no Pai Muller Studio, em Cambé (Paraná) entre 2017 e 2018. Já a masterização ficou por conta de Chris Hanzsek, no Hanzsek Audio (EUA), o responsável por trabalhos com Melvins, Soundgarden e Far From Alaska.

CRAPPY JAZZ NA INTERNET

www.facebook.com/CrappyJazz

www.instagram.com/crappyjazzoficial

https://twitter.com/CZZOficial

https://soundcloud.com/crappyjazz

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia

mail

Capa do primeiro álbum do duo de rock noise de Londrina será assinada por Jesse Draxler, que já fez artes para Kendrick Lammar e Deafheaven – Crédito da foto: João Gaspar

 

Véspera é o título do primeiro álbum do duo de noise rock Crappy Jazz, com lançamento confirmado para o dia 26 de julho nas principais plataformas de streaming. A distribuição digital será via Tratore.

São 11 músicas, entre elas a recém lançada ‘Subitamente’, e ‘Zero’, divulgada em 2017. Yuri Muller (bateria, vocal, percussão e piano) e Silva Leonel (baixo, backing vocal, percussão e ruídos) mostram em Véspera a mesma liberdade criativa dos singles, sempre com muito groove, explorando desde sonoridade pesadas com elementos do metal e do hardcore, até brasilidades. Nação Zumbi, Sepultura e System of a Down são possíveis referências.

O título Véspera, de acordo com o duo, tem a ver com expectativas e esperas, várias letras do disco falam um pouco disso, e é um nome que remete tanto ao futuro, quanto ao passado, como lembrar a véspera de algum acontecimento importante ou, ainda, a espera de algo que está pra acontecer.

O álbum, produzido por Yuri, foi gravado e mixado no Pai Muller Studio, em Cambé (Paraná) entre 2017 e 2018. Já a masterização ficou por conta de Chris Hanzsek, no Hanzsek Audio (EUA), o responsável por trabalhos com Melvins, Soundgarden e Far From Alaska.

A capa de Véspera também é assinada por um artista gringo, Jesse Draxler, quem tem artes para o rapper hype Kendrick Lammar e com a banda Deafheaven.

‘Subitamente’, o quarto videoclipe do Crappy Jazz, foi lançado em abril deste ano. Confira:

https://bit.ly/2qO7ZEI

Do groove das linhas de baixo à batida forte e quebrada da bateria, o Crappy Jazz mostra em ‘Subitamente’ que a criatividade é a base do trabalho.

O videoclipe foi produzido pela própria banda, em conjunto do filmmaker Vitor Ueno.

 

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia

thumbnail.jpg

Duo londrinense toca neste domingo, 6 de maio, ao lado das bandas Mind Reverse e Fusage – Foto: ​Isabella Monteiro

O próximo domingo em Maringá promete muita música pesada! As bandas Mind Reverse, Fusage, ambas de Maringá, e a londrinense Crappy Jazz tocam neste dia 6 no Armazen do Jô, na primeira edição do Sunday Noise.

É a primeira vez que a Crappy Jazz tocará a nova música Subitamente, recém lançada em vídeoclipe. A nova música mostra a evolução da proposta de Silva Leonel (baixo e vocal) e Yuri Muller (bateria e vocal) na mistura de estilos, com peso, ginga e melodia, algum entre o noise rock e sonoridades que remente à musicalidade brasileira. Confira o clipe da nova música Subitamente: https://bit.ly/2qO7ZEI.

O Sunday Noise consiste em uma iniciativa das bandas, junto com o espaço, para promover a música autoral na cidade. O Sunday Noise tem entrada com o preço de R$10. Além dos shows, haverá ainda discotecagem rock e promoções no local.

Fusage – O quarteto maringaense Fusage está na ativa desde 2016. O grupo, que faz um som com influências de Stoner e do rock dos anos 90, já tocou em diversas casas maringaenses e no Mato Grosso do Sul. Já dividiram palco com artistas como Stolen Byrds, Overfuzz, Red Mess, Water Rats, Nevilton, Camarones Orquestra Guitarrística, Comsequencia, Mind Reverse, Deb and The Mentals, Corona Kings e Ruínas de Sade. O grupo é formado por Douglas Takazono (guitarra/vocal), Diogo Rozada (guitarra/backing vocals), Luiz Miguel (baixo) e Christian Jesus (bateria). Atualmente está em fase de divulgação do primeiro álbum de estúdio, “Age of Fuzz”, lançado no ano passado, produzido e masterizado por Haroldo Rickli no Estúdio H.

Crappy Jazz – Na ativa desde 2015, o duo faz um trabalho com referências que vão desde o hardcore, o surf, o noise, e até, ritmos nordestinos. Após 4 faixas ‘singles’ lançadas desde 2016, a banda lançou em abril/2018 o vídeo da faixa ‘Subitamente’, primeira música do disco de estreia, que tem lançamento previsto ainda para este semestre. O Crappy Jazz já se apresentou em diversos espaços culturais e bares de Londrina e região, além de ter se apresentado em duas edições do Festival Demosul.

Mind Reverse – Em atividade desde o fim de 2015, a Mind Reverse surgiu com um só objetivo: fazer sua própria música. Os membros Eduardo Curti (vocal), Gabriel Hernandes (guitarra), Guilherme Antunes (baixo) e Guilherme Silva (bateria) focaram seus esforços no processo de composição e gravação, em conjunto com o ex-membro Rene Marcel (guitarra), e lançaram seu primeiro trabalho em abril de 2017, o EP Mind Reverse.

As influências caminham por diversas vertentes do rock, desde o clássico ao heavy metal/stoner, e também flerta com a funk music americana. Atualmente a banda se encontra finalizando as composições de segundo trabalho, com previsão de lançamento para a segunda metade de 2018, e promete superar as expectativas daqueles que já conhecem seu trabalho.

SERVIÇO
Sunday Noise no Armazém

Bandas Fusage, Crappy Jazz e Mind Reverse

Data: 6 de maio de 2018

Horário: 19 horas

Local: Armazen do Jô

Endereço: Avenida Joaquim Duarte Moleirinho, 4392)

Entrada: R$ 10

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia

thumbnail

Nova música, lançada em videoclipe, anuncia disco de estreia do duo londrinense – Foto: Isabela Monteiro

‘Subitamente’, o quarto videoclipe do duo Crappy Jazz, de Londrina, já está disponível no YouTube. Confira:

 

A nova música mostra a evolução da proposta de Silva Leonel (baixo e vocal) e Yuri Muller (bateria e vocal) na mistura de estilos, com peso, ginga e melodia, algum entre o noise rock e sonoridades que remente à musicalidade brasileira.

Do groove das linhas de baixo à batida forte e às vezes quebrada da bateria, o Crappy Jazz mostra em ‘Subitamente’ que é criatividade é a base do trabalho – a banda está na ativa desde 2015. Em relação às músicas lançadas anteriormente, como ‘Zero’ e ‘Jenga’, a atual é mais acessível, mas com a mesma veia experimental de outrora, misturando rock, metal alternativos noventista, noise e ritmos brasileiros. Nação Zumbi, Deftones, System of A Down e Mars Volta são algumas inevitáveis referências.

O videoclipe foi produzido pela própria banda, em conjunto do filmmaker Vitor Ueno, e gravado no início deste ano na Usina Cultural, em Londrina. ‘Subitamente’ foi gravada/produzida por Yuri Muller e masterizada por Chris Hanzsek (EUA), que tem no currículo trabalhos com os gigantes Melvins, Soundgarden, além da nova sensação do rock nacional, Far From Alaska.

‘Subitamente’ ainda prepara o Crappy Jazz para o lançamento do disco de estreia, com previsão de sair no primeiro semestre de 2018, já devidamente composto e gravado. Os singles anteriores estão disponíveis tanto no Youtube como no canal da banda no Soundcloud (/crappyjazz).

“Crappy Jazz é uma falha, em que todo o fracasso te leva ao zero e você tem que recomeçar e achar forças pra se levantar, é onde o nosso pior se destaca, assim criando forças pra algo positivo surgir e você seguir em frente; é onde a gente torna nossas dores internas em arte, música. Esse é o Crappy Jazz no dia a dia”, define a banda sobre o próprio trabalho que, pela natureza do processo, dá um salto à diante com ‘Subitamente’.

Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia