Posts com Tag ‘Bruce Dickinson’

Compositor, pianista e organista, o inglês Jon Lord é aclamado como um dos mais importantes nomes da história do rock. Além de ter passado por bandas como o Whitesnake, ele fundou e integrou durante mais de duas décadas o Deep Purple, e deixou uma carreira extensa: foram 12 álbuns solos, 19 álbuns com o Deep Purple e seis álbuns com o Whitesnake.

Seu canto de cisne, o “Concerto For Group And Orchestra”, transformou-se em uma das mais aplaudidas turnês do Purple, e continuou a ser apresentado por ele, ao lado das mais renomadas orquestras, depois de sua saída da banda em 2002. Após a morte de Lord, em 2012, o “concerto” esperaria sete anos para voltar aos palcos, em 2019, no Canadá, e depois em 2021, na Hungria.

Em 2023, 54 anos após sua estreia nos palcos, o “Concerto” e os maiores sucessos de Lord com o Deep Purple estão de volta para uma turnê por quatro cidades brasileiras. Em sua passagem pelo país, será apresentado por Bruce Dickinson (Iron Maiden) nos vocais, que volta ao país especialmente para o show e que comanda uma banda formada por John O’Hara (Jethro Tull) nos teclados, Tanya O’Callaghan (Whitesnake) no baixo, Kaitner Z Doka (Jon Lord, Ian Paice) na guitarra, Bernard Welz (Jon Lord, Don Airey) na bateria e Mario Argandonia (Scorpions…) na percussão.

Além deles, o show terá no palco uma orquestra sinfônica de mais de 80 instrumentistas, montada especialmente para a ocasião com integrantes da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e de algumas das principais sinfônicas do país. Ela será conduzida por Paul Mann, que já participou de dezenas de apresentações do concerto, incluindo a histórica performance de 1999 no Royal Albert Hall.

No Brasil os shows acontecerão em São Paulo, no dia 15 de abril, na Vibra São Paulo; em Curitiba, no dia 19 de abril, no Teatro Positivo; no Rio de Janeiro, dia 21 de abril, no Vivo Rio; e em Porto Alegre, no dia 25 de abril, no Auditório Araújo Vianna.

Confira o SERVIÇO completo em midiorama.com/bruce-dickinson-celebra-jon-lord-deep-purple

Bruce mandou um recado para os fãs e informou que vai cantar duas músicas suas em arranjo especial para banda e orquestra: “Jerusalem” e “Tears of The Dragon”. Veja:

Apresentações acontecem em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre em abril de 2023.

Midiorama

“Concerto For Group And Orchestra” e sucessos do Deep Purple chegam ao Brasil com vocais de Bruce Dickinson, Orquestra Sinfônica e músicos convidados. Apresentações acontecem em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre em abril de 2023.

Compositor, pianista e organista, o inglês Jon Lord é aclamado como um dos mais importantes nomes da história do rock. Além de ter passado por bandas como o Whitesnake, ele fundou e integrou durante mais de duas décadas o Deep Purple, e deixou uma carreira extensa: foram 12 álbuns solos, 19 álbuns com o Deep Purple e seis álbuns com o Whitesnake. Seu canto de cisne, o “Concerto For Group And Orchestra”, transformou-se em uma das mais aplaudidas turnês do Purple, e continuou a ser apresentado por ele, ao lado das mais renomadas orquestras, depois de sua saída da banda em 2002. Após a morte de Lord, em 2012, o “concerto” esperaria sete anos para voltar aos palcos, em 2019, no Canadá, e depois em 2021, na Hungria.

Em 2023, 54 anos após sua estreia nos palcos, o “Concerto” e os maiores sucessos de Lord com o Deep Purple estão de volta para uma turnê por quatro cidades brasileiras. Em sua passagem pelo país, será apresentado por Bruce Dickinson (Iron Maiden) nos vocais, que volta ao país especialmente para o show e que comanda uma banda formada por John O’Hara (Jethro Tull) nos teclados, Tanya O’Callaghan (Whitesnake) no baixo, Kaitner Z Doka (Jon Lord, Ian Paice) na guitarra, Bernard Welz (Jon Lord, Don Airey) na bateria e Mario Argandonia (Scorpions…) na percussão.

Além deles, o show terá no palco uma orquestra sinfônica de mais de 80 instrumentistas, montada especialmente para a ocasião com integrantes da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e de algumas das principais sinfônicas do país. Ela será conduzida por Paul Mann, que já participou de dezenas de apresentações do concerto, incluindo a histórica performance de 1999 no Royal Albert Hall.

No Brasil os shows acontecerão em São Paulo, no dia 15 de abril, na Vibra São Paulo; em Curitiba, no dia 19 de abril, no Teatro Positivo; no Rio de Janeiro, dia 21 de abril, no Vivo Rio; e em Porto Alegre, no dia 25 de abril, no Auditório Araújo Vianna. Os ingressos estarão à venda a partir do dia 06 de setembro (ver serviço completo abaixo). Além do concerto o show apresentará ainda alguns dos principais sucessos do Deep Purple. A turnê brasileira do “Concerto for Group and Orchestra” é uma realização da MCA Concerts.

O Concerto
“Concerto For Group And Orchestra” surgiu como um álbum ao vivo do Deep Purple, com a participação da Royal Philharmonic Orchestra, dirigido por Malcolm Arnold e gravado no Royal Albert Hall de Londres, em setembro de 1969. Composto por Jon Lord, com algumas poucas letras escritas por Ian Gillan, é o primeiro álbum completo a apresentar Ian Gillan nos vocais e Roger Glover no baixo. Foi lançado em vinil em dezembro de 1969. A apresentação foi uma das primeiras combinações de rock com uma orquestra completa.

Dividida em três movimentos, a partitura original do concerto foi perdida em 1970, e foi recriada em 1999. Em 25 e 26 de setembro deste ano, trinta anos após sua apresentação inicial, o “Concerto” foi novamente apresentado ao vivo no Royal Albert Hall. Para tornar essa performance possível, uma nova partitura foi criada por Lord com a ajuda de Paul Mann e Marco de Goeij, ouvindo a gravação e assistindo ao vídeo da performance de 1969. Encorajado pelo sucesso das apresentações de 1999, o Deep Purple levou o “Concerto” em turnê, primeiro apresentando-o na América do Sul com orquestras locais, depois na Europa com a George Enescu Philharmonic Orchestra, e no Japão com a New Japan Philharmonic Orchestra, todas conduzidas por Paul Mann.

Em 24 de setembro de 2009, Jon Lord juntou-se à RTE Concert Orchestra no National Concert Hall, em Dublin, na Irlanda para comemorar o 40º aniversário da primeira apresentação do Concerto. Também foram apresentadas peças da carreira solo de Jon Lord e várias músicas do Deep Purple.

Em outubro de 2012, foi lançada uma versão de estúdio do “Concerto”. A gravação apresenta a Royal Liverpool Philharmonic Orchestra conduzida por Paul Mann. Os solistas são Jon Lord no orgão, Darin Vasilev, Joe Bonamassa, Steve Morse na guitarra, Steve Balsamo, Kasia ?aska e Bruce Dickinson no vocal, Brett Morgan na bateria e Guy Pratt no baixo. O disco foi mixado no Abbey Road Studios no final de maio de 2012 e de acordo com Paul Mann, Jon Lord ouviu a master final da gravação alguns dias antes de sua morte em 16 de julho de 2012.

Sobre a gravação Lord afirmou: “Ao longo destes últimos anos, desde que deixei o Deep Purple, eu toquei mais de 30 vezes com orquestras e maestros diferentes em todo o mundo, e, claro, eu fiz isso bem mais de 30 vezes com o Purple na turnê Concerto, de modo que fui aprimorando a peça ao vivo no palco e tive a oportunidade de mudar as coisas na pontuação que não estavam soando muito bem. É, portanto, uma perspectiva maravilhosa e emocionante ter a gravação definitiva da versão definitiva da partitura”.

Jon Lord
Conhecido por ter integrado as bandas Deep Purple, Whitesnake, Paice, Ashton & Lord, The Artwoods e Flower Pot Men, Jon Lord foi um compositor, pianista e organista, considerado o pioneiro na fusão do rock com música clássica. Em 1968, Lord fundou a banda de rock inglesa Deep Purple. Ele e o baterista Ian Paice foram os únicos integrantes constantes da banda durante a fase inicial da sua existência (1968-1976) e, a partir do momento em que eles refundaram a banda, em 1984, até a saída de Lord em 2002.

O Deep Purple teve início em 1968, com o nome Roundabout. A primeira formação lançou três discos de pouca repercussão – ‘Shades Of Deep Purple’, ‘The Book Of Taliesyn’ e o álbum homônimo ‘Deep Purple’. O nome definitivo foi sugerido por Ritchie Blackmore, e retirado de uma música que a sua avó gostava. Em 1969, resolveram arriscar uma mudança no direcionamento musical da banda, convidando o vocalista Ian Gillan e o baixista Roger Glover, passando a buscar um estilo que misturasse música clássica europeia ao hard rock, que surgia na Inglaterra, com bandas como Yardbirds e Led Zeppelin. O primeiro álbum com esta formação, foi exatamente ‘Concerto For Group And Orchestra’, que foi recebido com respeito, mas um pouco de estranheza pela crítica. Não foi, todavia, um grande sucesso de público.

Dariam uma virada de 180 graus em 1970, com o álbum ‘Deep Purple In Rock’, que com seu hard rock direto e bem feito, rapidamente chegou ao topo das paradas, transformando imediatamente o Deep Purple em uma banda muito conhecida e influente. São deste disco alguns dos primeiros grandes clássicos da banda, “Speed King” e “Child In Time”. O álbum ‘Fireball’, de 1971, confirmou o sucesso da banda, e com ‘Machine Head’ (um dos clássicos do rock de todos os tempos, lançado em 1972) o Purple atingiu o auge de sua fama. Constam deste álbum dois de seus maiores hits, o hino “Smoke On The Water” (com o riff mais marcante da história do hard rock) e “Highway Star”. A turnê que se seguiu rendeu outro álbum clássico, o ao vivo ‘Made In Japan’.

Quando decidiu sair da banda Lord afirmou: “Foi terrível sair. Era a minha banda, eu era um membro fundador e os caras eram grandes amigos meus. Eu passei noites e noites sem dormir, mas percebi que estava começando a gostar menos da situação e ficando apenas acostumado com a mesma. De repente me descobri pensando que não gostaria de tocar noite após noite, e quando percebi aquilo, eu sabia que tinha de tomar uma decisão. Eu verifiquei se seria possível tirar um ano de férias, mas eles disseram que não achavam isso viável. Então eu disse que, naquele caso, teria de sair”. Em 1984 Lord voltaria a recriar a banda, onde ficaria até 2002, quando deixou o Deep Purple e foi substituído pelo tecladista Don Airey (ex-Rainbow, ex-Ozzy Osbourne). Em 2004, gravou um single chamado “The Sun Will Shine Again” com Anni-Frid Frida Lyngstad, ex-integrante do grupo sueco ABBA. Jon Lord faleceu em Londres, aos 71 anos de idade, em 2012.

SERVIÇO SÃO PAULO
Data: Sábado, 15/04/2023
Local: Vibra São Paulo
Endereço: Avenida das Nações Unidas, 17.955 – Vila Almeida
Horário de abertura das portas: 19h
Horário de início do show: 21h
Classificação indicativa: 18 anos, menores de 18 anos a entrada é permitida apenas com autorização do responsável legal.
Acessibilidade para PCD.

Preços dos ingressos:
Camarote – R$980 / Meia R$490
Cadeira Premium – R$890 / Meia R$445
Cadeira Central – R$800 / Meia R$400
Cadeira Lateral – R$700 / Meia R$350
Poltrona Central – R$720 / Meia R$360
Poltrona Lateral – R$620 / Meia R$310
Plateia Superior Central – R$500 / Meia R$250
Plateia Superior Lateral – R$400 / Meia R$200
Visão Parcial – R$300 / Meia R$150

Vendas de ingressos: https://uhuu.com/evento/sp/sao-paulo/bruce-dickinson-the-music-of-jon-lord-and-deep-purple-10632

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, professores, pessoas acima de 60 anos e PCD.
Bilheteria física: Bilheteria da Vibra São Paulo

SERVIÇO CURITIBA
Data: Quarta-feira, 19/04/2023
Local: Teatro Positivo
Endereço: Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido
Horário de abertura das portas: 20h
Horário de início do show: 21h
Classificação indicativa: 14 anos, menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, elevador e assentos para obesos.

Preços dos ingressos:
Plateia Premium – R$1.100 / Meia R$550
Plateia Inferior – R$900 / Meia R$450
Plateia Superior Central – R$800 / Meia R$400
Plateia Superior Lateral – R$700 / Meia R$350

Vendas de ingressos: https://www.diskingressos.com.br/event/303

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue, portadores de câncer e PCD.
Descontos Especiais:
Clube Disk Ingressos – Desconto de 50% sobre o valor de Inteira.
Clube Gazeta do Povo – Desconto de 50% sobre o valor de Inteira.
Bilheteria física: Bilheteria do Teatro Positivo

SERVIÇO RIO DE JANEIRO
Data: Sexta-feira, 21/04/2023
Local: Vivo Rio
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo
Horário de abertura das portas: 20h
Horário de início do show: 21h
Classificação indicativa: 18 anos, menores de 18 anos a entrada é permitida apenas com autorização do responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, rampas e assentos para obesos.

Preços dos ingressos:
Cadeira Premium – R$980 / Meia R$490,00
Cadeira Vip – R$890 / Meia R$445
Cadeira Setor 01 – R$800 / Meia R$400
Cadeira Setor 02 – R$720 / Meia R$360
Cadeira Setor 03 – R$630 / Meia R$315
Camarote A – R$980 / Meia R$490
Camarote B – R$890 / Meia R$445
Balcão – R$700 / Meia R$350
Frisa – R$600 / Meia R$300

Vendas de ingressos: https://www.showpass.com.br/evento/198/The_Music_of_Jon_Lord_and_Deep_Purple

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens até 21 anos, jovens de baixa renda até 29 anos, professores, pessoas acima de 60 anos e PCD.

Bilheteria física: Bilheteria do Vivo Rio

SERVIÇO PORTO ALEGRE
Data: Terça-feira, 25/04/2023
Local: Auditório Araújo Vianna
Endereço: Avenida Osvaldo Aranha, 685 – Bairro Bom Fim
Horário de abertura das portas: 19h30m
Horário de início do show: 21h
Classificação indicativa: 16 anos, menores de 16 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, rampas e assentos para obesos.

Preços dos ingressos:
Plateia Gold – R$1.100 / Meia R$550 / Solidário R$560
Plateia Baixa Central – R$880 / Meia R$440 / Solidário R$450
Plateia Baixa Lateral – R$780 / Meia R$390 / Solidário R$400
Plateia Alta Central – R$700 / Meia R$350 / Solidário R$360
Plateia Alta Lateral – R$580 / Meia R$290 / Solidário R$300

Vendas de ingressos: https://bileto.sympla.com.br/event/76303

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, doadores de sangue, pessoas acima de 60 anos e PCD.
Descontos Especiais:
Ingresso Solidário – Desconto especial mediante doação de 1Kg de alimento não perecível.
Clube Assinante Zero Hora: Desconto de 50% sobre o valor de Inteira
Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Loja Planeta Surf Bourbon Wallig (Av. Assis Brasil, 2611 – Loja 249 – Jardim Lindóia – Porto Alegre)

Links relacionados:
https://www.midiorama.com/
https://mcaconcerts.com/
https://www.facebook.com/midiorama
https://www.facebook.com/mcaconcerts
https://twitter.com/midiorama
https://www.instagram.com/midioramaoficial/
https://www.instagram.com/mcaconcerts/

Midiorama Entertainment

bruce-feed-new

O aguardado evento especial “WHAT DOES THIS BUTTON DO? UMA NOITE COM BRUCE DICKINSON” – programado para acontecer no mês de agosto desta ano em São Paulo, e adiado devido à pandemia da COVID-19 – está confirmado para o 11 de dezembro de 2021, no Tom Brasil, em São Paulo. Os ingressos já adquiridos serão válidos para a nova data e novos ingressos estão à venda pela Livepass.com.br.

Além da apresentação paulista, Curitiba também receberá Bruce Dickinson no dia 12 de dezembro de 2021, na Ópera de Arame. A data de abertura da venda de ingressos e preços serão anunciados em breve.

Além de ser um dos artistas mais famosos e aclamados da atualidade, por conta de sua carreira como vocalista do Iron Maiden, Bruce Dickinson também tem uma vida singular fora dos palcos, sendo piloto e capitão de uma companhia aérea, empresário da aviação, cervejeiro, roteirista de cinema, romancista e autor de best-sellers, apresentador de rádio, ator de televisão, esgrimista internacional, comentador de esportes e palestrante motivacional

A publicação em 2017 de sua autobiografia best-seller do New York Times e UK Times, “WHAT DOES THIS BUTTON DO?” fez com que Bruce fosse convidado para uma série de leituras pelos cinemas do Reino Unido, surgindo daí a palestra “WHAT DOES THIS BUTTON DO? UMA NOITE COM BRUCE DICKINSON”, que acabou por se tornar um verdadeiro “one-man” show, onde o artista entretém por mais de duas horas o público que vem lotando teatros mundo afora, incluindo uma apresentação esgotada no Edinburgh Festival Fringe, considerado um dos maiores festivais de artes do mundo.

Dividida em duas partes, sendo a primeira metade uma visão com muito humor da verdadeira montanha russa que é sua vida, onde Bruce conta suas incríveis histórias, algumas inclusive que foram cortadas da edição final do livro, vividamente ilustradas com fotografias exclusivas.

Já a segunda metade da noite é dedicada a uma sessão de perguntas e respostas, onde perguntas extravagantes, francas e muitas vezes totalmente loucas são muito bem recebidas e respondidas invariavelmente por Bruce, o que torna o evento sempre muito aplaudido e extremamente divertido, tornando-se uma oportunidade imperdível para testemunhar um dos maiores ícones da história da música mundial em um ambiente totalmente íntimo.

Comentários sobre a Palestra:

“Houve momentos de riso, momentos de aplausos escandalosos e momentos em que você podia ouvir um alfinete cair, enquanto saboreávamos cada uma de suas palavras… um professor de histórias. Altamente articulado, animado, espirituoso e, às vezes, totalmente hilário “- Heavymag, Sydney, Austrália

“O que mais chamou minha atenção na palestra foi a enorme capacidade de improvisar e interagir com o público … realmente uma noite muito interessante … imperdível” – Wall Of Sound, Sydney, Austrália

“Wow Bruce, apenas wow !! Um contador de histórias fantástico… um privilégio ouvir suas próprias histórias contadas em primeira mão pelo próprio ”- Silver Tiger Media, Melbourne, Austrália

“Um verdadeiro show de Dickinson que fluiu lindamente… um excelente contador de histórias… um showman talentoso… Para os fãs de Iron Maiden, rock e metal, aviação ou simplesmente interessandos em vida em geral, o show de Dickinson é imperdível “- Overdrive, Melbourne, Austrália

“Armado apenas com seu humor, charme e uma apresentação de slides, Bruce Dickinson oferece uma idéia íntima de sua vida deslumbrante “- Aftonbladet, Suécia

“Bruce Dickinson é uma superestrela … Quando você se aprofunda, descobre que seu tremendo senso de humor facilita a narração de uma história épica. Esse homem tem um coração enorme e um espírito de luta sem igual”. – Copenhagen Post, Dinamarca

“Bruce Dickinson é um homem ansioso, dedicado a explorar e aprender coisas novas… um contador de histórias fantástico” – Radio Rock, Bauer Media, Noruega.

“Dickinson é uma força da natureza no palco …” – Turun Sanomat, Finlândia

“Dickinson estava pegando fogo, passeando pelo palco, zombando implacavelmente de si mesmo. E dos outros. Extremamente espirituoso como o esperado” – Morgunbladid, Islândia

“O talentoso Sr. Dickinson… é um comediante perfeito… como se não tivesse feito mais nada em sua vida” – Tages-Anzeiger, Suíça.

“Bruce fascina por 2 horas e 45 minutos com histórias divertidas.” – Lords of Metal, Holanda

“Um líder incrível em todos os aspectos, um excelente artista e intérprete, mas o que não sabíamos é que ele também é um orador excepcional, cheio de engenhosidade”. – Red HardnHeavy, Espanha

 

Serviço

São Paulo

DATA:
11 de dezembro

LOCAL:
TOM BRASIL (R. Bragança Paulista, 1281 – Várzea de Baixo, São Paulo – SP, 04727-002)

HORÁRIO:
DURAÇÃO:
2h30

CLASSIFICAÇÃO:
16 anos desacompanhados. Menores de 16 anos apenas acompanhados de pai ou responsável legal

MAIS INFORMAÇÕES:
VENDAS: LIVEPASS.COM.BR a partir de 25 de novembro, 10 horas.

SETORES E PREÇOS

Camarote – R$300,00

Auditório Vip – R$300,00

Auditório 1 – R$240,00

Frisas – R$280,00

Platéia Superior- R$200,00

Ingressos: Livepass

 

Curitiba

DATA:
12 de dezembro

LOCAL:
Ópera de Arame (R. João Gava, 970 – Abranches, Curitiba – PR, 82130-010)

HORÁRIO:
A determinar

DURAÇÃO:
2h30

CLASSIFICAÇÃO:
A determinar

MAIS INFORMAÇÕES:
Em breve informações sobre venda de ingressos

 

 

Midiorama Entertainment

brucedickinsonsarajevotrailer2017_638

O trailer oficial de “Scream For Me Sarajevo”, um documentário contando a história de um concerto de 1994 realizado pelo vocalista do Iron Maiden, Bruce Dickinson durante os ataques a Sarajevo, pode ser visto abaixo.

“Scream For Me Sarajevo” estreou mundialmente durante a 22ª edição do Festival de Cinema de Sarajevo, que foi realizada em Agosto passado na capital da Bósnia e Herzegovina. O documentário deverá receber uma versão comercial antes do final de 2017.

“Scream For Me Sarajevo” foi escrito por Jasenko Pasic, dirigido por Tarik Hodzic e produzido pela Prime Time Productions.

Pasic comentou: “Eu tive a idéia para o filme uma noite quando eu estava lendo a história de Chris Dale sobre o concerto de Bruce Dickinson que foi realizado em 1994 em Sarajevo. Então, comecei a busca por pessoas que estavam no BKC naquela noite e essa história resultou no filme. Tatjana Bonny, Alex Elena, Tarik Hodzic e Adnan Cuhara são as pessoas que criaram este filme comigo, que mostraram toda a crueldade e o horror do cerco a Sarajevo, assim como o povo que viveu normalmente nessas circunstâncias, “Scream For Me Sarajevo” é um filme sobre a vida”.

 

Fonte: Blabbermouth.net

Ontem (19-02-2015), o site do fã clube oficial do Iron Maiden na Inglaterra emitiu a seguinte nota:

“Pouco antes do Natal, o vocalista do Maiden, Bruce Dickinson, visitou seu médico para um check-up de rotina. Isto o levou a realizar alguns exames e biópsias que revelaram um pequeno tumor na parte traseira de sua língua. Um período de sete semanas de tratamento de quimioterapia e radiologia foi concluído ontem. Como o tumor foi apanhado nas fases iniciais, o prognóstico felizmente é extremamente bom. A equipe médica de Bruce espera que ele tenha uma recuperação completa prevista para o final de maio. Então vai demorar mais alguns meses para Bruce voltar à boa forma. Entretanto pedimos por sua paciência, compreensão e respeito por Bruce e privacidade da sua família até que nós atualizemos todos até o final de maio. Bruce está indo muito bem, considerando as circunstâncias, e toda a equipe é muito positiva.”

Leia o original:

“BRUCE DICKINSON UNDERGOES CANCER TREATMENT

Just before Christmas, Maiden vocalist Bruce Dickinson visited his doctor for a routine check-up. This led to tests and biopsies which revealed a small cancerous tumour at the back of his tongue. A seven week course of chemotherapy and radiology treatment was completed yesterday. As the tumour was caught in the early stages, the prognosis thankfully is extremely good. Bruce’s medical team fully expect him to make a complete recovery with the all clear envisaged by late May. It will then take a further few months for Bruce to get back to full fitness. In the meantime we would ask for your patience, understanding and respect for Bruce and his family’s privacy until we update everyone by the end of May. Bruce is doing very well considering the circumstances and the whole team are very positive.”

Show gravado em Pinewood Studios – Londres em 28 de Agosto de 1993.

Neste bootleg, está a gravação do último show da primeira fase de Bruce Dickinson no Iron Maiden. 

Embora as constantes oscilações durante a turnê dos álbuns Fear Of The Dark e A Real Live One, o que ouvimos neste registro é uma excelente apresentação da banda.

Este bootleg é encontrado com diversas capas, mas todos possuem as mesmas 13 músicas e mesma qualidade de áudio, embora uma das versões esteja gravada em 2 discos.

 

O show acabou resultando no DVD Raising Hell. Um registro memorável para os fãs em um dos momentos mais delicados que a banda passou. 

Uma aquisição respeitável para os maidenmaníacos e um item não muito fácil de ser encontrado.

Confira:

01. Be Quick Or Be Dead 
02. The Trooper 
03. Eddie’s Tales/Instrumental
04. The Evil That Men Do
05. Hallowed Be Thy Name 
06. Wrathchild
07. From Here To Eternity
08. Fear Of The Dark/Instrumental
09. The Number Of The Beast
10. Bring Your Daughter… …To The Slaughter
11. 2 Minutes To Midnight
12. Run To The Hills
13. Iron Maiden

De acordo com o Mail Online, o vocalista do Iron Maiden, Bruce Dickinson, pode ter que voltar à música em tempo integral, a empresa Astraeus Airlines, onde ele trabalhou por anos como piloto sênior, está condenada a cessar as operações.

A Astraeus, que aluga aviões e tripulação de cabine para outras companhias aéreas, culpou “o pouco volume de negócios” durante o verão e a falta de contratos para o inverno 2011-2012, e “uma fase extremamente ruim com uma série de questões técnicas”.

o executivo-chefe da companhia, Hugh Parry, elogiou a equipe de pilotos e as pessoas de todos os setores que trabalham  para a companhia aérea. Ele disse: “Nós batalhamos duro para salvar a Astraeus, mas o pequeno número de negócios durante o verão de 2011, a falta de contratos para o inverno 2011-2012, e um pouco de falta de com uma série de questões técnicas, mostra que não temos outra opção, a não ser cessar todas as operações e colocar a Astraeus Airlines nas mãos dos administradores”.

Fonte: Blabbermouth.net

Tattoed Millionaire é o primeiro álbum lançado por Bruce Dickinson em 1989. Na época, ainda sendo frontman do Iron Maiden, Bruce se aventurou neste primeiro trabalho e contou com os músicos Janick Gers na guitarra, Andy Carr no baixo e Fabio Del Rio atacando a bateria.

Este single é homônimo ao primeiro álbum de Bruce Dickinson e é tratado como o primeiro single da carreira do mesmo (*). O álbum trazia uma sonoridade um pouco diferente do que estávamos acostumados a ouvir na voz de Bruce. O álbum além de ser Heavy Metal, flertava com o Hard Rock, sucesso absoluto entre os fãs.

Este single foi lançado em várias versões e uma das mais bonitas é esta em Shaped Disc que conta com as músicas Tattoed Millionaire (Lado A) e Ballad Of Mutt (Lado B).

A concepção e as cores são bem marcantes neste lançamento e é um ítem muito belo para os fãs além de raro, é incomum achar este ítem vendendo por aí, seu preço varia entre R$ 70,00 a R$ 90,00.

(*) – O fato é que o primeiro single da carreira solo de Bruce Dickinson na realidade foi Bring Your Daughter … To The Slaughter composta para fazer parte da trilha sonora do filme A Nightmare On Elm Street: The Dream Child (no Brasil, A Hora do Pesadelo – Parte 5). A música acabou sendo usada pelo Iron Maiden no álbum No Prayer For The Dying.