Os paulistas do PÓSTUMA anunciaram em suas redes sociais a capa do seu próximo single, intitulado “Remission”, que será lançado no próximo dia 13/08/2021.

O trabalho, além de integrar todas as principais plataformas digitais e de download do mundo, também estará disponível no canal oficial da banda no YouTube como um videoclipe, a partir das 13 horas, acesse o link abaixo e clique em “Definir lembrete”:

https://youtu.be/TSYKmvHmT6M

Siga o PÓSTUMA em seu serviço de streaming mais utilizado e receba este material em primeira mão: http://li.sten.to/Postuma

Contato para shows (PRESENCIAIS OU EM LIVES):
E-mail: postumadm@gmail.com
WhatsApp/Telegram: (46) 98838-7204 – Sangue Frio Produções


Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Sites relacionados:
https://www.facebook.com/PostumaDeath/
https://www.instagram.com/postumaoficial/
https://www.youtube.com/channel/UCVzgevbj2a0BPUNT6WCqpDw
https://postuma.bandcamp.com/
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/POSTUMA/79

Fonte: Sangue Frio Produções

Trabalhando na divulgação do seu atual trabalho, “Entrance To Mictlán”, os baianos do AZTLÁN acabam de confirmar presença em mais um evento online.

Trata-se do ‘2º Lockdown Metal Fest’, que acontecerá no dia 22/08/2021 a partir das 19 horas e apresentará de forma oficial a nova formação da banda, anunciada recentemente, confira o cartaz:

Siga Under Martyrs/Under Talk no Instagram para mais informações: https://www.instagram.com/undermartyrs/

SERVIÇO:
Show: 2º Lockdown Metal Fest
Local: Under Martyrs YouTube Channel
Endereço: https://www.youtube.com/channel/UCtLan5ZTXbN2RfA1ngepXnw
Data: 22/08/2021
Horário: 19 horas


Como supracitado, o AZTLÁN confirmou a entrada do guitarrista Diego Linhares, que ao lado de Marcello “Paganus” Antunes (baixo e vocal), Mateus Alves (guitarra) e Gilmar Vurmun (bateria), dará sequência aos vindouros projetos do grupo, confira: https://sanguefrioproducoes.com/n/3304

Encontre o atual EP, “Entrance To Mictlán”, nas principais plataformas de streaming e download do mundo em apenas um clique: https://li.sten.to/EntranceToMictlan

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Sites relacionados:
https://www.facebook.com/aztlanalive/
https://www.instagram.com/aztlanalive/
https://www.youtube.com/channel/UCXJRmb9EU-i8aVbuMAqp5uQ
https://aztlanalive.bandcamp.com/
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/AZTLAN/82

Fonte: Sangue Frio Produções

Não é segredo que no início de 2020, a Torture Squad vinha trabalhando em seu 9º álbum de estúdio, que viria para suceder à estreia da atual formação, com “Far Beyond Existence”. Infelizmente, a pandemia da Covid-19 e as medidas de distanciamento social, obrigaram a banda a parar com todo o processo de gravação e produção, que se encontrava caminhando para o final, fazendo com que o mesmo só fosse retomado nesse ano de 2021. Ainda sim, em virtude do momento difícil vivido por todos, a banda acaba de anunciar que o novo álbum só deve ser lançado, provavelmente, no primeiro semestre de 2022, por julgar esse um momento mais adequado para tal. O baterista Amílcar Christófaro falou um pouco a respeito dessa decisão.

“O que nós desejamos realmente é que a virada de 2021 para 2022, seja um momento de renovação para toda a humanidade, e que todos os acontecimentos dos últimos dois anos fique como algum tipo de aprendizado. Desejamos de que 2022 em diante,  as pessoas venham com uma energia renovada, deixando toda a obscuridade vivida para trás. Tudo que vem ocorrendo nos últimos tempos, tem sido impiedoso e doloroso demais, e esperamos que isso fique no passado, com o próximo ano abrindo um portal de energia renovada para todos nós. É nesse momento, no qual todos olham para frente, é que queremos apresentar nosso novo álbum, nossas novas músicas.”

Além disso, outros 2 aspectos pesaram na decisão da banda. O primeiro deles, é que, obviamente, a escolha de deixar o álbum para 2022, permite que a banda trabalhe no mesmo com mais calma, ainda mais em um período onde a pandemia não está vencida, e cuidados e distanciamento ainda se fazem necessários. O segundo é a decisão da banda de fazer o restante do ano de 2021, como um período de celebração dos 20 anos de lançamento de seu 3º álbum de estúdio, “The Unholy Spell”. Para tanto, em breve a banda estará anunciando dois eventos, onde pretende tocar o trabalho na íntegra.

Para acompanhar todas as novidades do Torture Squad, acompanhe a banda em suas redes sociais.

Torture Squad:

May “Undead” Puertas – vocal

Rene Simionato – guitarra

Castor – baixo

Amilcar Christófaro – bateria

Mais informações:

Site Oficial: www.torturesquad.net.br

Facebook: www.facebook.com/torturesquad

Instagram: https://www.instagram.com/torture_squad/

YouTube: www.youtube.com/torturesquadband

Spotify: https://open.spotify.com/artist/6E3iq1WfZbw2YEeTKVZYJR?si=oQ-74pdnTmmThENy8pB4TQ

Roadie Metal

O rock é aquilo que pode te fazer dançar, chorar ou até cair nos braços de alguém. Em 1970, isso acontecia com a leveza do blues ou com o vigor do hard rock. E é com essa mesma proposta que o cantor e compositor Gab Sanches divulga o seu single de estreia: Hey Baby

A faixa resgata a simplicidade romântica e ácida do gênero enquanto ainda referencia um mix de funk e soul. 

Escute Hey Baby no Youtube

As sessões de gravação ocorreram parcialmente no Estúdio Sunshine, em Santos (SP), onde foram captadas as linhas de guitarra e baixo. A voz e a bateria, por outro lado, foram gravadas no estúdio do Curso de Produção Fonográfica, da Fatec Tatuí, no interior de São Paulo.  

O cantor contou com o suporte dos músicos André Cypriano (bateria), Leandro Ramos (baixo) e Vassilis Konsolakis (guitarra solo). Na oportunidade, Gab Sanches gravou a guitarra rítmica e assinou a produção de Hey Baby. Segundo ele, a letra da faixa retrata uma paixão à primeira vista. 

“Sabe aquele momento da festa em que estamos dançando nos encantamos com alguém com uma simples troca de olhares? É um sentimento que faz a gente sentir que se conhece há muito tempo. E é justamente sobre esse flerte que eu canto nessa música”, frisou. 

Vermell Press

A vocalista e instrutora vocal Tati Klingel tem longa estrada dentro do cenário musical. Atualmente integra as bandas Hokmoth e Divine Pain, ambas de metal extremo, desenvolvendo vocais agressivos que mesclam guturais e rasgados.  Tati dá aulas de vocal há oito anos, com o projeto A Arte de Berrar, se tornando uma referência nacional. Além do acompanhamento dos aprendizes na parte musical, presta assessoria para o crescimento dos alunos como artistas em cima do palco.

O novo canal do YouTube tem como objetivo demonstrar técnicas e fornecer dicas sobre esse tipo de canto. O primeiro vídeo disponibilizado é um tutorial sobre a técnica Fry Scream, no qual a vocalista demonstra uma sequência com quatro passos para quem quiser treinar e aprender. “Eu treino essa sequência há um bom tempo e senti que foi ajudando a memorizar a técnica. Também é uma sequência que passo para meus alunos de Fry Scream”, afirma.

O vídeo estreia no dia 23 de julho às 12h no YouTube. O canal trará novidades semanalmente.

Assista: 

Além do vídeo, Tati instigou seus seguidores: “Fica aqui o desafio de você tentar a sequência e postar os 4 passos no seu reels ou nos stories. Terei a honra de compartilhar! Essa é a arte de berrar!”

Histórico
A carreira de Tati Klingel como vocalista de metal extremo começou há cerca de 15 anos, quando integrou o Diagora, tributo ao Arch Enemy. Atualmente, além de cursar música na UFPR, a cantora integra as bandas Hokmoth e Divine Pain, ambas com lançamentos recentes.

Informações:
YouTube: https://bit.ly/Lvnavox-Tatiklingel
Instagram: @tatiklingel
Facebook: https://www.facebook.com/tatiklingel.vocal
Site: https://tatiklingel.com/
E-mail: aartedeberrar@gmail.com

Acesso Music

Dando sequência em uma série de lives bombásticas, o canal do Youtube HEAVY CULTURE recebeu Max Cavalera para um bate-papo sobre o Go Ahead And Die e demais assuntos ligados à sua extensa carreira, seja com o Sepultura, Soulfly, Cavalera Conspiracy e agora com esta verdadeira máquina metálica que tem ao lado de seu filho Igor Amadeus Cavalera, que é responsável por guitarras, baixo e vocal, enquanto Zach Coleman, do Black Curse, é o dono das baquetas. Tendo como convidado especial Sergiomar Menezes, do site Rebel Rock, o staff do canal pôde tirar algumas dúvidas sobre a atual fase de Max e seus planos futuros.

Segundo Max, o Go Ahead And Die é algo“é totalmente cru, não tenta ser sofisticado, é o contrário, a gente abraça a podreira”, afirmando que está muito feliz com o álbum e que a recepção está muito boa e que muita gente quer ver esse material ao vivo. Carregando uma pegada mais crua e primitiva, o debut autointitulado do trio é um reflexo das influências de Max, principalmente naquilo que ele ouvia na década de 1980, dizendo que “esse disco está na sua coleção desde os anos 80, só que saiu semana passada. Aquele sentimento que você já tem esse disco, e você tem esse disco desde 87, na sua coleção de discos antigos desde 87, mas saiu esse ano, saiu agora”.

Deixando bem claro que será metaleiro para o resto da vida e que vendeu sua alma para o Metal, Max relembrou a fase em que ficou distanciado desse seu irmão Iggor Cavalera, comentando sobre o primeiro show de retorno dos dois juntos aos palcos e os projetos que vieram a seguir. Outro projeto que ele está envolvido agora, as lives do Max Tracks, é na verdade, segundo ele, um jeito de mostrar aos fãs como ele criou aqueles riffs, sem cobrar nada por isso. Enquanto trabalha na divulgação do Go Ahead And Die e do Killer Be Killed, Max segue compondo para o próximo disco do Soulfly. Ele revelou também qual seu álbum preferido do Cavalera Conspiracy, citando “Psychosys”, onde há um nível maior de raiva e “sangue nos olhos”, segundo comentou, lamentando que não houve turnê de divulgação do álbum. Um novo álbum do Cavalera Conspiracy, talvez um EP, só será visto após das turnês do Soulfly.

Questionado por ser uma influência para inúmeras bandas ao longo das décadas, Max diz: “eu sou um estudante de Metal, tento achar bandas novas e entro em contato com elas, eu continuo sendo influenciado, mas eu acho muito legal influenciar outras bandas, como o Gojira, influenciado pelo “Roots”. Vejo que o trabalho não foi em vão”, mas admite: “eu sou mais influenciado do que influenciador”. O ídolo do Metal brasileiro sente muito orgulho do passado e da época em que mal sabiam tocar e falar inglês. Recentemente ele, Jairo Guedz (guitarra) e Iggor gravaram uma versão estilo “quarentena” de “Antichrist”, o que fez Max relembrar aquela época: “a gente era moleque, não sabia tocar direito, eu nem falava inglês direito, meio que ia imitando o Venom, Bathory… então é uma coisa muito legal esse lance… É totalmente verdadeiro o sentimento que a gente passa nesses discos, mas a gente tá com raiva, juntamente com a situação que a gente tava no brasil, a gente tava bem revoltado. O Brasil naquela época era um pais perfeito para esse tipo de som, e hoje também”.

Para conferir estes e outros assuntos, acesse:

Finalizando o mês de julho, o HEAVY CULTURE receberá, no dia 27/07, o guitarrista Karl Sanders do Nile, e no dia 30/07 a equipe receberá a banda Headhunter D.C. com Sérgio Baloff (vocal) e Paulo Lisboa (ex-guitarrista) fazendo um raio X do álbum “Born… Suffer… Die”, que completa 30 anos.

Mais informações:

Facebook: https://www.facebook.com/heavyculturebra
Grupo: https://www.facebook.com/groups/159610798712141
Instagram: https://www.instagram.com/heavyculture
Youtube: https://www.youtube.com/HeavyCulture
E-mail: heavyculture2020@gmail.com
Assessoria de Imprensa: www.wargodspress.com.br

Wargods Press

Com músicas em português e a parceria na distribuição digital com a Olga Music (braço da Ada Music), o BAYSIDE KINGS chega ao segundo single desta nova fase: Miragem, mais uma canção com reflexão existencialista por meio de um hardcore punk maduro e aberto.

Confira o vídeo de Miragem: 

Ouça no streaming: https://ada.lnk.to/miragem.

No single sucessor de Existência (lançad0 em junho) a banda santista deixa mensagem mais densa. Mensagem aborda a dualidade do sentimento de busca, como explica o vocalista Milton Aguiar:

“Estamos constantemente em busca de um ponto final, pensando sempre no futuro e não raramente, neste processo, esquecemos do presente, do viver o agora”.

‘Miragem’ critica a sensação do futuro que nunca chega e o sentimento de desconexão com a existência, com o agora. “Miragem fala destas buscas, às vezes utópicas quando não se leva em consideração o momento atual, o viver o presente”, completa Milton.

A sonoridade acompanha a profundidade da letra e, em Miragem, o BAYSIDE KINGS soa mais melódico, cadenciado, com influência do post-hardcore da emblemática banda canadense Alexisonfire, mas sem perder o horizonte da agressividade do seu peculiar hardcore punk – agora cantado em português para igualmente melhor reverberar suas mensagens.

Miragem, assim como Existência, fazem parte do primeiro EP do atual momento da banda, já nomeado #livreparatodos.

A mudança
O cenário sócio-político nacional de 2018, conta Milton, foi o ponto de partida para a mudança na forma de levar a mensagem do BAYSIDE KINGS. “O agora e o futuro daquele tempo demandava à banda atingir nosso público e ir além de quem já nos conhece, e com uma mensagem uniforme”.

As letras em português, portanto, é uma forma de conversa com outros públicos, outras culturas, além de estreitar a relação com a já sólida base de fãs e pessoas ligadas ao hardcore punk.

“Queremos abrir novos campos de diálogo”, revela o vocalista, que estudou as métricas do português para adequar a sua forma de cantar – bandas como Colligere e Mais que Palavras são algumas referências para este processo. O resultado está em Existência, em que cada palavra da música é entendida.

“Um recomeço, com a experiência e maturidade de 10 anos. “Queremos coisas novas e esse é o momento ideal”, completa Milton.

Ficha técnica
Miragem foi gravada no TOTH, em Guarulhos (São Paulo)
Mix, master e produção de Danilo de Souza e Fernando Uehara (músicos do Bullet Bane)

Acompanhe as novidades da BAYSIDE KINGS

https://linktr.ee/baysidekings

Tedesco Mídia

Rock psicodélico, blues e resistência. É com esse espírito que a banda Ancestral Diva divulga o seu álbum de estreia no dia 23 de julho. Homônimo, o disco é inspirado na música setentista e versa sobre a liberdade, a paz e o amor. 

Escute o álbum Ancestral Diva

Ao todo, 11 faixas integram o álbum. Entre elas, estão a faixa Lamento, gravada em colaboração com a drag queen, Dolly Piercing, e os singles Macumbeira e Dançando no Inferno. Esta última, inclusive, conta com uma performance teatral de Ricardo Righi na introdução. 

As sessões de gravação ocorreram no estúdio Última Gota, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Na ocasião, a banda contou com o suporte do produtor artístico e engenheiro de áudio, Vitor Lopes. A masterização ficou a cargo de Fred Chamone. 

O vocalista Babo Gruppi explica o significado de “Ancestral Diva”. 

“É um nome inspirado no simbolismo das árvores milenares que resistem ao tempo. Elas têm suas raízes enterradas, mas seguem vivas respirando. E esse sentimento de que é preciso resistir para sobreviver, está presente em todo o nosso disco”, frisou. 

O guitarrista Zé Mário Sousa, por sua vez, frisa que o grupo teve um caldeirão de influências durante o processo de produção do álbum. 

“Nós gostamos da sonoridade stoner/blues. Por isso, nos inspiramos em novos nomes como All Them Witches e Royal Blood. No entanto, também curtimos muita coisa nacional e ouvimos desde de Secos & Molhados a Pabllo Vittar. No Brasil, o Jards Macalé foi a principal referência. Ele lançou uma obra prima chamada ‘Besta Fera’. Esse álbum nos influenciou bastante”. 

A banda Ancestral Diva está em atividade desde 2019 e é oriunda do projeto The Spacetime Ripples, que em 2017 excursionou nos Estados Unidos. Além de Babo e Ze, a formação ainda é constituída pelos músicos Luce Lee (baixo, piano e synths) e Saulo Ferrari (bateria e percussão). 

  • Setlist
  1. Enterrado Vivo (Parte I)
  2. Lamento (feat. Dolly Piercing)
  3. Fim Distante
  4. Escancarado
  5. Macumbeira
  6. Levada da Breca
  7. Dançando no Inferno
  8. Despertamente
  9. Enterrado Vivo (Parte II)
  10. Pindorama
  11. Samba Para o Fim do Mundo

Vermell Press

Com muitas novidades para este segundo semestre de 2021 os paulistas do DESDOMINUS acabam de anunciar sua mais nova parceria.

Trata-se do vínculo firmado com a Sangue Frio Produções para que esta cuide dos assuntos relacionados à assessoria de imprensa, marketing, relações-públicas, divulgação em massa manutenção de agenda e muito mais.

Saiba mais acessando: https://sanguefrioproducoes.com/artistas/DESDOMINUS/89

Encontre o DESDOMINUS em TODAS as plataformas de streaming e download do mundo com apenas um clique, acesse: https://li.sten.to/Desdominus

Formada no ano de 1993 em Americana/SP por Ney Paulino (bateria), único membro remanescente da formação original, a banda conta com duas demos-tape e três álbuns lançados, com os quais o Desdominus ganhou respeito e admiração, firmando sua bandeira no underground. O quarto álbum está prestes a ser lançado esse ano e apesar de contar em sua atual formação com três novos músicos, trará o inconfundível DNA, forjado durante seus 28 anos de existência.

A banda se destaca pela qualidade de suas músicas que permeiam com variações do brutal ao atmosférico e com grande carga sentimental, características que se tornaram marcantes na identidade da banda. Trazendo em suas letras críticas e visões pessoais, a banda se mostra contrária a qualquer tipo de segmento religioso, destruindo a moral, velhos ídolos e velhos conceitos.

O Desdominus traz em seu currículo shows ao lado de grandes nomes do metal nacional e internacional, dos quais se destacam: At The Gates (Suécia), Rotting Christ (Grécia), Master (EUA), Asphyx (Holanda), Enthroned (Bélgica), Grafenstein (Alemanha), God Dethroned (Holanda), Elexorien (Holanda),  Besath (Polônia), Gorgoroth (Noruega), David Shankle Band (ex-Manowar) (EUA), Krisiun (Brasil), Vulcano (Brasil), Genocídio (Brasil), Gangrena Gasosa (Brasil), Dark Avenger (Brasil).

FORMAÇÃO:

Daniel Curtolo: Guitarra / Vocal
Rodrigo Pereira: Guitarra
Adriano Justino: Baixo
Ney Paulino: Bateria


Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato
Sites relacionados:
https://www.facebook.com/desdominus/
https://www.instagram.com/desdominusofficial/
https://www.youtube.com/channel/UCV2Wrk7TvMHWCAlATfLwLdw
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/DESDOMINUS/89
Fonte: Sangue Frio Produções

O programa de número #126 do Comando Noise foi ao ar no último domingo, dia 18/07/2021, e acompanhado dele o bloco SANGUE NOISE, com dois grandes nomes do cenário underground nacional.

Divulgando as bandas INFESTATIO, com o novo single “Never Fall Back” e faixas do atual full length “Unleash The End” e os catarinenses do CHRONON, trazendo como destaque músicas do debut álbum “Music Field Theory”, a nova edição veio com tudo podendo ser ouvida pelo link a seguir: https://www.mixcloud.com/comandonoise/126o-comando-noise-18072021/

Confira a programação completa aqui: https://www.facebook.com/comandonoise/posts/349296953257245

O programa Comando Noise é apresentado por José Eduardo Brondi, o ‘Titio Bron Bron’, e vai ao ar todo domingo a partir das 20 horas pelas seguintes web rádios:

Radio Baixada Santista: http://www.radiobaixadasantista.com.br/
Skate Metal Old Web Radio: http://skatemetalold.com/
Web Rádio Alternativa Rock: http://radioalternativarock.com/

Bandas interessadas em participar do bloco SANGUE NOISE escreva para contato@sanguefrioproducoes.com e solicite mais informações.

Contato Comando Noise: titiobronbron@gmail.com
Sites relacionados:

https://www.facebook.com/comandonoise/
https://www.sanguefrioproducoes.com/
https://www.comandonoise.com/sanguenoise/
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/INFESTATIO/74
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/CHRONON/81

Fonte: Sangue Frio Produções