Stratosphere Project: banda lança potente disco de power metal “Depersonalization”

Publicado: 30/11/2021 por Pedro Mello em News
Tags:, ,

“Stratosphere Project” é o novo projeto do músico Flávio Brandão. “Depersonalization” é um álbum semi conceitual, onde o músico assina todas as guitarras, baixo, teclados e arranjos de bateria, e convidou vocalistas do mundo inteiro para participar do disco de power metal. Todas as composições são criadas pelo musicista, que é também responsável pela parte técnica de pré e pós-produção dos álbuns. O disco “Depersonalization” se encontra disponível para audição em todas as plataformas de streaming.

As quatro primeiras faixas de “Depersonalization” vem com a ideia de passar por um conjunto de transtornos da mente. As demais músicas não fazem parte desse conceito diretamente, mas tem suas temáticas ora subjetivas, ora inspiradas em ideias dos compositores sobre a vida ou sobre histórias. A música tema do álbum trata da despersonalização, um sintoma muito peculiar em portadores de diversos transtornos onde a pessoa perde a noção da realidade e não sabe mais diferenciar se o que está vendo é, na verdade, um sonho lúcido ou uma alucinação.

Projeto formado no final de 2019, iniciou suas atividades de forma despretensiosa, e consistia de músicas colaborativas focadas no power metal de bandas como Helloween, Stratovarius, Masterplan, entre muitas outras influências musicais. “Stratosphere Projec” – “Depersonalization” conta com a participação dos vocalistas Volker Siefer, Rainer Michael Ludvik, Lean Van Ranna, Gus Castro e Michael Hos.

Sobre as Musicas:
Apathy (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – O álbum inicia com Apathy em um pequeno trecho de um prelúdio inspirado em Bach 935. Em seguida, a música escala para uma levada power metal clássico fortemente inspirada em Helloween e Gamma Ray. Nos vocais temos Volker Siefert.

Depersonalization (Harmonia por Flavio Brandão, Letras por Ludvik) – Assim como descrito na explicação conceitual do álbum. Depersonalization trata de forma suave sobre um sintoma severo em quadros bipolares e de esquizofrenia. Mesmo descrevendo de forma lírica um sintoma de um transtorno, a música traz em seu refrão a ideia de perseverança sobre a tristeza. A levada é muito forte porém cadenciada. Uma fórmula fortemente inspirada nas bandas de power metal do final dos anos 1980 e 1990. Nos vocais temos Rainer Michael Ludvik.

Delusion (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Delusion traz reflexões sobre o dia a dia de um portador de esquizofrenia que passa diariamente por delírios. Em uma levada cadenciada, a letra diz muito sobre o sentimento de abandono emocional em que os portadores passam, levado muitas vezes pela falta de compreensão das pessoas ao seu redor. Nos vocais temos Lean Van Ranna.

Hallucination (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Hallucination vem com inspiração dos neoclássicos da década de 90 com uma levada ao estilo Helloween nos primórdios com Kai e Kiske. A letra fala sobre a prova de fogo que é passar por um quadro alucinatório. Nos vocais temos Volker Siefert.

Silver Line (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Essa música é bem subjetiva, fala um pouco sobre as lutas diárias e o confronto contra nós mesmos em nosso cotidiano e como é possível sempre ver um lado positivo até mesmo na guerra que enfrentamos todos os dias de nossas vidas. A música em si é um heavy metal tradicional com raízes em bandas como Judas Priest. Nos vocais Gus Castro.

Last Call (Harmonia por Flavio Brandão, Letras por Ludvik) – Em Last Call Ludvik faz uma analogia com voos sobre oportunidades perdidas na vida. Às vezes deixamos passar oportunidades únicas na vida por não ter certeza do que realmente queremos. Em levada cadenciada, a música evolui de um lick com uma levada forte da guitarra que desenha a harmonia para os vocais únicos de Ludvik. Nos vocais temos Rainer Michael Ludvik.

Twilight Storm (Harmonia e Letra por Flavio Brandão) – Essa música é temática e trata sobre uma tropa medieval de guerreiros que lutam contra forças sombrias, a chamada Twilight Storm. Com uma levada rápida e fortemente inspirada em Gamma Ray e Stratovarius, essa música se destaca com sua pequena orquestração inspirada na vigésima quinta de Mozart. Nos vocais temos Lean Van Ranna.

Hey Mary (Harmonia por Flavio Brandão, Letra por Flavio Brandão e Michael Hos) – Essa música trata de um relacionamento quebrado onde o locutor pede perdão a Mary por seus erros passados. É uma balada romântica que destoa um pouco do álbum mas que faz sentido em um contexto de vida do compositor Flavio. Com uma levada mais rock, ela mistura um pouco do acústico e das guitarras distorcidas para dar o clima de arrependimento. Nos vocais Michael Hos.

Confira:

Collapse Agency

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s