Sepultura: “Endurance”

Publicado: 16/06/2017 por Pedro Mello em News, Uncategorized
Tags:,

18447252_1246658215448834_7561937265224655512_n.png

Na última quarta-feira, 14 de Junho de 2017, fora declarado o “Dia Sepultura”, onde 70 salas de cinema no Brasil exibiriam, “Endurance”, documentário que conta um pouco da saga que contempla os 30 anos da maior banda de Heavy Metal do Brasil.

Primeiramente o desabafo. Como fã, fiquei um pouco decepcionado por alguns fatores: baixa divulgação da exibição do documentário, não tinha um pôster sequer do filme no cinema para se tirar uma foto, e eles poderiam ter distribuídos alguns pôsteres para os que compareceram a este evento, como o que ocorreu na execução do filme em Los Angeles, seria foda, mas nada disso rolou. E nem vou comentar o fato da mal educação de alguns presentes na sala e o fato de acenderem as luzes no início do filme.

Vamos agora ao que interessa, o documentário. O vídeo foi dirigido por Otávio Juliano, que acumulou mais de 800 horas de material sobre a banda, contando com depoimentos de músicos, produtores, managers, membros, ex-membros e apoiadores da banda.

O relato precioso do guitarrista Jairo Guedez, mostra como a banda tosca de garagem de Minas Gerais começara a se profissionalizar e almejar novos horizontes. A busca por um novo vocalista com identidade própria e a luta da banda, contra fãs radicais e membros da gravadora, em mostrar que Derrick fora a escolha certa é louvável.

Outros momentos significativos ficam por conta da conversa entre o baterista Jean Dolabella e a banda, se abrindo quanto o seu estado de espírito dentro da vida corrida entre turnês e gravações. Com a saída de Jean, outro momento legal de se ver, foi a audição de seu substituto, Eloy Casagrande. Outrora baterista da banda do vocalista Andre Mattos, Eloy é um grande prodígio das baquetas e apesar da idade destoante dos outros membros da banda, conseguiu seu espaço e é hoje uma peça fundamental na estrutura do Sepultura.

Momentos de bastidores, trechos de shows, processos de composição, tudo está registrado no filme. Alguns grandes nomes da música como Lars Ulrich (Metallica), David Ellefson (Megadeth), Phil Anselmo (Down), Vinnie Paul (Hellyeah), Corey Taylor (Spipknot), Scott Ian (Anthrax), Phil Campbell (Motorhead), Tod Singerman (ex-empresário da banda), Serginho Groisman (Apresentador), João Gordo (Ratos de Porão) e Vladimir Korg (Chakal) deixam seu parecer quanto ao Sepultura.

João Eduardo de Faria Filho, fundador da Cogumelo Records, fala com Andreas e Paulo sobre o início da banda, comentando como eram as coisas na década de 80 e os investimentos que a Cogumelo fez no Sepultura. 

Claro que não se pode colocar 30 anos da banda em 2 horas de filme. Para alguém que queira mais informações, entrevistas diretas com Jean e Eloy fazem falta. O outro lado da história com os irmãos Cavalera também seriam bem vindos, talvez, utopicamente, poderiam esquecer o momento de ruptura no documentário, ou chamar apenas de “o momento em nós nos separamos”, e falarem mais da banda em si, do que focar na briga. 

Agora, um fato que desagradou, foi o fato, de pelo menos na sessão em que fomos, não passarem as duas músicas inéditas executadas ao vivo, como haviam prometido. Apesar do documentário ser bem elucidativo, repleto de boas histórias e mostrar o significado do Sepultura no Heavy Metal mundial, esperaremos ansiosos pela versão em Blu-Ray que esperamos que conte com muitas horas extras de material. Nota: 7,5.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s