Scorpions: 50th Aniversary World Tour

Publicado: 28/09/2016 por Pedro Mello em Eventos, News, Resenhas Shows, Uncategorized
Tags:, , , ,
29533245781_306c432d5e_o.jpg

Scorpions no palco do Metropolitan.

Após três shows em São Paulo, era a hora da maior banda alemã de rock, Scorpions se apresentar no Rio de Janeiro. O local para a apresentação foi o Metropolitan, que chegou perto da lotação máxima, devemos lembrar que depois do ocorrido na boate Kiss no Sul do país, todas as casas de show passaram por reformulações quanto a espaço e capacidade.

A banda que completa 50 anos de carreira, adiou por tempo indeterminado sua aposentadoria que fora declarada a algum tempo atrás. Com algumas mudanças de line up e o afastamento de James Kottak (Bateria), devido a um problema de saúde, a banda subiu ao palco com os eternos Klaus Meine (Vocal), Rudolf Schenker (Guitarra), Mathias Jabs (Guitarra), Pawel Maciwoda (Baixo) e Mikkey Dee, baterista do Motörhead assumindo as peles.

O palco estava bem montado e a produção da banda é de alto nível, paredes de telas de Led pelo ambiente, um som nítido e um belo show de luzes. A banda subiu ao palco com ‘Going out With a bang’, música que abre o mais novo álbum da banda “Return To Forever” seguida por ‘Make It Real’, ‘The Zoo’, ambas presentes em “Animal Magnetism”, álbum de 1980 e ‘Coast To Coast’ do clássico “Lovedrive” (1979) com Meine empunhando uma guitarra.

28989853173_51d0aea3db_o.jpg

Klaus Meine.

Até então o que víamos pelas pistas eram pessoa agitando, dançando e veio o momento de silêncio para os não tão Rockers, o medley contendo ‘Top Of The Bill’ (“In Trance”, 1975), ‘Steamrock Fever’ (“Taken By Force”, 1977), ‘Speedy’s Coming’ (“Fly To The Rainbow”, 1974) e ‘Catch Your Train’ (“Virgin Killer”, 1976). Claro, o tempo passou e o alcance vocal de Klaus Meine não é mais o mesmo, mas é muito bom ouvir estes verdadeiros clássicos.

Conversava com um querido amigo na saída do show e lembramos do show do Uli Jon Roth executando apenas músicas do Scorpions para talvez… uma centena de pessoas em uma casa que cabe com folga 500. Talvez os hits do Scorpions os tenham deixado Pop demais ou o público de hoje talvez não se interesse pelo que não é tocado nas FMs, vai saber, enfim.

O set seguiu com ‘We Built This House’ (“Return To Forever”).  A balada ‘Delicate Dance’, música inédita apresentada no álbum “MTV Unplugged In Athens” de 2013, abriu espaço para o set acústico, com todos os membros da banda a frente do palco para a execução de um novo medley contendo ‘Always Somewhere’ (1979), a nova ‘Eye Of The Storm’ e a seminal ‘Send Me An Angel’ (“Crazy World”, 1990).

As baladas continuaram ao som da icônica ‘Wind Of Change’, canção que virou tema da queda do Muro de Berlim.  O “peso” foi retomado com ‘Rock ‘n’ Roll Band’ (2015) abrindo caminho para ‘Dynamite’ (“Blackout”, 1982) alegrando os fãs das antigas.

29323389890_73fde1b3f2_o.jpg

Mikkey Dee e a homenagem a Lemmy Kilmister.

Momento especial do set, aproveitando a presença de Mikkey Dee, que sinceramente roubou o show com seu carisma e fôlego de garoto, a banda homenageia o indefectível Lemmy Kilmister, o eterno líder do Motörhead e entoa o hino ‘Overkill’, com imagens de Lemmy no telão, sendo cantada em alto e bom som pelos bangers que ali estavam. Ao término da homenagem, Mikkey realizou seu fantástico solo de bateria.

Mantendo o ritmo, a próxima música do set foi ‘Blackout’ (homônimo de 1982) com Rudolf Schenker portando uma guitarra que soltava fumaça. Rápida pausa para Klaus Meine entoar um trecho de “Cidade Maravilhosa” e intercalá-la com ‘No One Like You’, também presente em “Blackout” seguida por ‘Big City Nights’ (“Love At First Sting”, 1984) que fechou o set regular.

Apesar de algumas músicas não mostrarem a pegada original da banda e o show estar voltado ao lado mais comercial e o novo álbum, o show dos alemães ainda é um prato cheio. Claro, a banda possui 50 anos de carreira e é difícil agradar a todos. O Scorpions passou por várias fases e poderiam fazer 5 sets temáticos se quisessem.

O bis foi composto pela balada ‘Still Loving You’, que fez a alegria dos casais beijoqueiros de plantão, e a agitada ‘Rock You Like a Hurricane’, ambas de “Love At First Sting”. Um final previsível mas ainda, estranhamente, prazeroso.

28987787564_9aa07aee01_o.jpg

Mathias Jabs e Rudolf Schenker.

Scorpions Setlist: Going Out With a Bang / Make It Real / The Zoo / Coast To Coast / Medley: Top of the Bill – Steamrock Fever – Speedy’s Coming – Catch Your Train / We Built This House / Delicate Dance / Medley Acústico: Always Somewhere – Eye of the Storm – Send Me an Angel / Wind of Change / Rock ‘n’ Roll Band / Dynamite / Overkill (Motörhead Cover) / Drum Solo / Blackout / No One Like You / Big City Nights / Bis: Still Loving You / Rock You Like a Hurricane.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s